Peugeot 508 SW GT Hybrid – Ensaio Teste

By on 28 Janeiro, 2021

Peugeot 508 SW GT Hybrid – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

Carrinha atlética ligada à ficha

A Peugeot está focada na eletrificação da gama e a 508 SW não foge à regra. Nesta geração, a carrinha francesa é uma das figuras do segmento D, não só pelo visual cheio de personalidade, mas também pelos argumentos dinâmicos e tecnológicos que possui. No AutoMais ensaiamos a Peugeot 508 SW GT Hybrid, a versão mais potente da carrinha francesa, pelo menos enquanto não chega a variante desportiva PSE.


Mais:

design exterior; consumos; irreverência do interior.

Menos:

Volume da bagageira

Exterior

9/10

Exterior (9/10) Relativamente ao exterior, a variante híbrida plug-in é em praticamente tudo idêntica às soluções a combustão pura, com exceção dos logos Hybrid e da entrada de carregamento alojada por cima da cava de roda traseira do lado esquerdo. Assim, temos uma carrinha de silhueta baixa e alongada com um visual atraente e atlético.

Interior

8/10

Interior (8/10) Ao abrir a porta sem moldura, entramos num habitáculo que mantém a irreverência do exterior. De facto, facilmente percebemos que estamos um Peugeot pela utilização do volante compacto numa posição mais baixa e um tablier com linhas contemporâneas. De um modo geral é uma imagem “à francesa” que a marca utiliza em praticamente todos os modelos. Sendo esta a variante topo de gama, não é de estranhar a utilização de um misto de plásticos rijos e macios ao toque e uma boa qualidade de construção em praticamente todo o habitáculo.

Tudo isto é acompanhado por um painel de instrumentos digital com várias configurações disponíveis e, inclusive, visão noturna que deteta peões e animais que se atravessem no caminho. Ao centro do tablier surge um ecrã central de 10 polegadas que recebe menus extra dedicados a esta versão eletrificada. É o caso de informações relacionadas com gastos energéticos ou ainda um gráfico com os fluxos de energia entre motor a combustão, baterias e motor elétrico, algo típico em todos os veículos eletrificados da atualidade. Nos bancos traseiros, os passageiros viajam com desafogo, principalmente no espaço para pernas e em largura. Contudo, a as linhas exteriores prejudicam ligeiramente o espaço para cabeça. Quanto à bagageira, a versão Hybrid perde face às versões a combustão pura devido à inclusão da bateria e, assim, fica-se pelos 487 litros, menos 43 litros. Pode parecer algo reduzido para uma carrinha de cariz familiar, mas os espaços de arrumação no interior ajudam a atenuar este detalhe.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, sendo a versão GT, a carrinha híbrida plug-in está bem equipada. Podemos encontrar carregamento de smartphone sem fios, bancos aquecidos, jantes de 18 polegadas, active suspension control, faróis Full Led ou i-CockPit Amplify.

Consumos

/10

Consumos (8/10) No que diz respeito a consumos, a Peugeot anuncia 1,4 l/100 km. No Automais, em modo Hybrid com a bateria completa, conseguimos uma média de 6,0 l/100 km. Porém, quando o valor de autonomia chega ao zero, e recorremos apenas ao motor a combustão, os consumos sobem com facilidade para valores superiores a 7 l/100 km. O motor elétrico é ainda alimentado por uma bateria de 11,8 kWh que permite até 52 km de autonomia em modo elétrico, segundo a Peugeot. Durante o nosso ensaio, conseguimos realizar 42 km “100% elétricos” com um único carregamento. 

Ao Volante

8/10

Ao Volante (8/10) Ao volante, os 225 cavalos da Peugeot 508 SW são suficientes para performances satisfatórias. Contudo, um dos grandes pontos fortes desta carrinha familiar passa pelo conforto. Neste capítulo, a carrinha pode agradecer (e muito) ao evoluído sistema de amortecimento adaptativo que se faz realmente notar em estradas mais degradadas. Em autoestrada, o trabalho realizado na insonorização torna as viagens mais longas bastante silenciosas.

Motor

8/10

Motor (8/10) A Peugeot 508 SW GT Hybrid combina um motor 1.6 PureTech a gasolina a um propulsor elétrico que, em conjunto, debitam 225 cavalos de potência. Com estes argumentos, temos uma boa resposta ao acelerador e, por isso, não é de estranhar que a aceleração dos 0 aos 100 km/h seja feita em 8,1 segundos, um tempo satisfatório principalmente quando temos em conta que a carrinha pesa 1795 kg. De referir que a transição entre motor elétrico e a combustão é discreta em grande parte dos momentos.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) Em suma, a Peugeot 508 SW GT Hybrid é uma proposta bastante completa em praticamente todos os pontos, contudo, isso reflete-se, igualmente, no preço. Esta versão híbrida plug-in, na variante GT, começa nos 48 055€, valor esse superior as soluções a combustão. Se o objetivo é ter uma carrinha com espaço para a família, consumos contidos e potência suficiente para uma utilização mais apressada, a versão Hybrid é, certamente, uma escolha a ponderar.

Concorrentes

Skoda Superb Break Ambition 1.4 TSI iV – Motor: quatro cilindros 1.4 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 218 cavalos; autonomia elétrica: 55 km; preço base: 42 594€

Kia Optima SW PHEV – Motor: quatro cilindros 2.0 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 202 cavalos; autonomia elétrica: 31 km; preço base: 45 960€

Volkswagen Passat Variant GTE – Motor: quatro cilindros 1.4 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 218 cavalos; autonomia elétrica: 57 km; preço base: 49 307€

Ficha Técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha, injeção direta, gasolina, Turbo + sistema híbrido plug-in

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x curso (mm): 77 x 85,8

Taxa compressão: 16,5

Potência máxima (cv/rpm): 224/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 360/n.d.

Transmissão: Caixa automática de oito velocidades

Direção: direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr): independente, tipo McPherson com amortecimento pilotado/ multibraços com amortecimento pilotado

Travões (fr/tr): Discos ventilados/ Discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,1 

Velocidade máxima (km/h): 240

Consumo médio (L/100km): 1,4

Emissões de CO2 WLTP (g/km): 32

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4750/1859/1403

Distância entre eixos (mm): 2793

Largura das vias (fr/tr) (mm): n.d.

Peso (kg): 1795

Capacidade da bagageira (l): 487

Depósito de combustível (l): 43

Pneus (fr/tr): 235/45 R18

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (9/10) Relativamente ao exterior, a variante híbrida plug-in é em praticamente tudo idêntica às soluções a combustão pura, com exceção dos logos Hybrid e da entrada de carregamento alojada por cima da cava de roda traseira do lado esquerdo. Assim, temos uma carrinha de silhueta baixa e alongada com um visual atraente e atlético.

Interior

Interior (8/10) Ao abrir a porta sem moldura, entramos num habitáculo que mantém a irreverência do exterior. De facto, facilmente percebemos que estamos um Peugeot pela utilização do volante compacto numa posição mais baixa e um tablier com linhas contemporâneas. De um modo geral é uma imagem “à francesa” que a marca utiliza em praticamente todos os modelos. Sendo esta a variante topo de gama, não é de estranhar a utilização de um misto de plásticos rijos e macios ao toque e uma boa qualidade de construção em praticamente todo o habitáculo.

Tudo isto é acompanhado por um painel de instrumentos digital com várias configurações disponíveis e, inclusive, visão noturna que deteta peões e animais que se atravessem no caminho. Ao centro do tablier surge um ecrã central de 10 polegadas que recebe menus extra dedicados a esta versão eletrificada. É o caso de informações relacionadas com gastos energéticos ou ainda um gráfico com os fluxos de energia entre motor a combustão, baterias e motor elétrico, algo típico em todos os veículos eletrificados da atualidade. Nos bancos traseiros, os passageiros viajam com desafogo, principalmente no espaço para pernas e em largura. Contudo, a as linhas exteriores prejudicam ligeiramente o espaço para cabeça. Quanto à bagageira, a versão Hybrid perde face às versões a combustão pura devido à inclusão da bateria e, assim, fica-se pelos 487 litros, menos 43 litros. Pode parecer algo reduzido para uma carrinha de cariz familiar, mas os espaços de arrumação no interior ajudam a atenuar este detalhe.

Equipamento

Equipamento (8/10) Ao nível de equipamento, sendo a versão GT, a carrinha híbrida plug-in está bem equipada. Podemos encontrar carregamento de smartphone sem fios, bancos aquecidos, jantes de 18 polegadas, active suspension control, faróis Full Led ou i-CockPit Amplify.

Consumos

Consumos (8/10) No que diz respeito a consumos, a Peugeot anuncia 1,4 l/100 km. No Automais, em modo Hybrid com a bateria completa, conseguimos uma média de 6,0 l/100 km. Porém, quando o valor de autonomia chega ao zero, e recorremos apenas ao motor a combustão, os consumos sobem com facilidade para valores superiores a 7 l/100 km. O motor elétrico é ainda alimentado por uma bateria de 11,8 kWh que permite até 52 km de autonomia em modo elétrico, segundo a Peugeot. Durante o nosso ensaio, conseguimos realizar 42 km “100% elétricos” com um único carregamento. 

Ao volante

Ao Volante (8/10) Ao volante, os 225 cavalos da Peugeot 508 SW são suficientes para performances satisfatórias. Contudo, um dos grandes pontos fortes desta carrinha familiar passa pelo conforto. Neste capítulo, a carrinha pode agradecer (e muito) ao evoluído sistema de amortecimento adaptativo que se faz realmente notar em estradas mais degradadas. Em autoestrada, o trabalho realizado na insonorização torna as viagens mais longas bastante silenciosas.

Concorrentes

Skoda Superb Break Ambition 1.4 TSI iV – Motor: quatro cilindros 1.4 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 218 cavalos; autonomia elétrica: 55 km; preço base: 42 594€

Kia Optima SW PHEV – Motor: quatro cilindros 2.0 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 202 cavalos; autonomia elétrica: 31 km; preço base: 45 960€

Volkswagen Passat Variant GTE – Motor: quatro cilindros 1.4 litros a gasolina + sistema híbrido plug-in; potência: 218 cavalos; autonomia elétrica: 57 km; preço base: 49 307€

Motor

Motor (8/10) A Peugeot 508 SW GT Hybrid combina um motor 1.6 PureTech a gasolina a um propulsor elétrico que, em conjunto, debitam 225 cavalos de potência. Com estes argumentos, temos uma boa resposta ao acelerador e, por isso, não é de estranhar que a aceleração dos 0 aos 100 km/h seja feita em 8,1 segundos, um tempo satisfatório principalmente quando temos em conta que a carrinha pesa 1795 kg. De referir que a transição entre motor elétrico e a combustão é discreta em grande parte dos momentos.

Balanço final

Balanço Final (8/10) Em suma, a Peugeot 508 SW GT Hybrid é uma proposta bastante completa em praticamente todos os pontos, contudo, isso reflete-se, igualmente, no preço. Esta versão híbrida plug-in, na variante GT, começa nos 48 055€, valor esse superior as soluções a combustão. Se o objetivo é ter uma carrinha com espaço para a família, consumos contidos e potência suficiente para uma utilização mais apressada, a versão Hybrid é, certamente, uma escolha a ponderar.

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha, injeção direta, gasolina, Turbo + sistema híbrido plug-in

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x curso (mm): 77 x 85,8

Taxa compressão: 16,5

Potência máxima (cv/rpm): 224/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): 360/n.d.

Transmissão: Caixa automática de oito velocidades

Direção: direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr): independente, tipo McPherson com amortecimento pilotado/ multibraços com amortecimento pilotado

Travões (fr/tr): Discos ventilados/ Discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,1 

Velocidade máxima (km/h): 240

Consumo médio (L/100km): 1,4

Emissões de CO2 WLTP (g/km): 32

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4750/1859/1403

Distância entre eixos (mm): 2793

Largura das vias (fr/tr) (mm): n.d.

Peso (kg): 1795

Capacidade da bagageira (l): 487

Depósito de combustível (l): 43

Pneus (fr/tr): 235/45 R18

Preço da versão base (Euros): 48055€