Renault Arkana TCe 140 – Ensaio Teste

By on 20 Setembro, 2021

Renault Arkana TCe 140 – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

O novo “estiloso” da Renault

A Renault decidiu acrescentar um novo membro do segmento C SUV e, tendo em conta que já têm o Kadjar, decidiram inovar. De facto, adotaram um estilo coupé que, pelos primeiros meses de encomendas, está a ter uma grande aceitação na Europa. Neste ensaio testámos o Renault Arkana com o motor 1.3 TCe de 140 cv com sistema mild-hybrid de 12V, associado a uma caixa automática EDC. Aposta certa?


Mais:

Design, bagageira, motor

Menos:

visibilidade traseira

Exterior

8/10

Exterior (8/10) Apesar de ser construído com a plataforma modular CMF-B, a mesma utilizada nos mais pequenos Clio e Captur, o Arkana tem dimensões de SUV de segmento superior ao medir um pouco mais de 4,5 metros de comprimento. Quanto à estética, a secção dianteira é semelhante à utilizada nos modelos mais recentes da marca gaulesa ao apresentar faróis LED com a grelha em preto ao centro. Do pilar B para trás é onde encontramos as principais novidades, como é o caso do tejadilho a fluir até à traseira criando um visual dinâmico e elegante, tão típico de um SUV Coupé, um estilo que, até então, apenas fazia parte da gama das marcas premium.

Interior

8/10

Interior (8/10) Passando para o interior, o Renault Arkana não está tão próximo dos “primos de segmento” Mégane e Kadjar, mas sim dos inferiores Clio e Captur. Deste modo, o condutor tem à sua disposição um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro o ecrã tátil “flutuante” transmite as informações do mais recente sistema de infotainment da marca. De destacar a utilização de comandos físicos para a climatização, algo que ajuda a utilização do mesmo por parte do condutor durante a condução.

Relativamente a construção, o Renault Arkana não apresentou grandes problemas e os materiais escolhidos estão em linha com os rivais de segmento. No que diz respeito a espaço, não nos podemos deixar enganar pelo estilo coupé. A Renault conseguiu encontrar um bom compromisso entre estilo e funcionalidade ao permitir viajar com dois adultos nos bancos traseiros. Para além disso, o Arkana conta com 513 litros de volumetria da bagageira, um valor que é, inclusive, superior ao mais familiar Kadjar (472 litros). No entanto, o estilo mais dinâmico perturba a visibilidade traseira visto que o condutor conta com um óculo traseiro bastante pequeno.  

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) O Renault Arkana deste ensaio está equipado com o nível R.S. Line, ou seja, o topo de gama que confere, igualmente, um visual mais desportivo. Assim, apresenta de série coisas como faróis e farolins LED, câmara de marcha-atrás, cruise control adaptativo e limitador de velocidade, sistema de assistência na transposição de faixa, alerta de ângulo morto, alerta de obstáculo, navegação, Renault multi-sense, jantes de 18 polegadas, bancos dianteiros com ajuste elétrico e aquecidos, vidros traseiros escurecidos, volante em couro, ar condicionado automático, entre outras. Destaque ainda para os opcionais Pack Look (800€), pintura metalizada (530€) e pneu sobresselente (170€).

Consumos

7/10

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, a Renault anuncia uma média de 5,9 l/100 km. Durante o nosso ensaio realizámos um valor médio a rondar os 6,4 l/100 km, um consumo satisfatório tendo em conta que temos à nossa disposição 140 cv. Já em autoestrada os valores sobem ligeiramente, para os 6,9 l/100km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Neste ensaio, o Renault Arkana provou aquilo que já tinha prometido no nosso primeiro contacto durante a apresentação nacional. Com uma posição de condução elevada, típica de um SUV, temos uma boa visibilidade para a estrada. A afinação de suspensão está em linha com o que a Renault nos tem habituado, ou seja, ligeiramente mais suave, o que beneficia o conforto e ajuda a filtrar da melhor forma as irregularidades da estrada. Apesar de isso perturbar a dinâmica, o Renault Arkana oferece movimentos de carroçaria bastante controlados em trajetos sinuosos, numa clara melhoria face ao outro modelo da marca neste segmento, o Kadjar.

Motor

8/10

Motor (8/10) O Renault Arkana deste ensaio tem o motor de entrada na gama. Falamos do já conhecido quatro cilindros de 1.3 litros TCe que debita 140 cv e 260 Nm de binário. Esta solução está associada em exclusivo à transmissão automática EDC, algo que ajuda a realizar acelerações dos 0 aos 100 km/h em 9,8 segundos e atingir uma velocidade máxima de 205 km/h. Este motor tem pulmão mais do que suficiente para uma utilização ligeiramente mais dinâmica ao apresentar uma resposta linear, apesar de perder algum fulgor quando nos aproximamos do “redline”. Quanto à caixa, esta apresenta um funcionamento suave na maioria das solicitações.

Balanço Final

8/10

Balanço final (8/10) Em suma, o Renault Arkana é um SUV que vem oferecer bastante à gama da marca gaulesa. Assume-se como a proposta mais irreverente no segmento C SUV, deixando o Kadjar para quem procura uma solução mais discreta. Por fim, com o nível de equipamento R.S. Line, o Arkana começa nos 36 200€, valor esse que desce para os 31 600€ na versão de acesso à gama.

Concorrentes

Nissan Qashqai DIG-T 158CV – Motor: Quatro cilindros, 1.3 litros, turbo, gasolina + mild hybrid; Potência: 158 cv e 270 Nm de binário; Transmissão: Automática; Bagageira: 504 litros; preço base: 31 300€

Citroën C4 PureTech 130 – Motor: Quatro cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 130 cv e 300 Nm de binário; Transmissão: Automática de 8 velocidades; Bagageira: 380 litros; preço base: 25 607€

Audi Q3 Sportback 35 TFSI S Tronic – Motor: Quatro cilindros, 1.5 litros, turbo, gasolina; Potência: 150 cv e 250 Nm de binário; Transmissão: Automática de 7 velocidades; Bagageira: 410 litros; preço base: 48 260€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1333

Diâmetro x Curso (mm): 72,2 x 81,4

Taxa de Compressão: n.d.

Potência máxima (CV/rpm): 140/4500-6000

Binário máximo (Nm/rpm): 260/1750-3500

Tração: dianteira

Transmissão: Automática de 7 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9,8

Velocidade máxima (km/h): 205

Consumos misto (l/100 km): 5,9

Emissões CO2 (gr/km): 132

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4568/1821/1576

Distância entre eixos (mm): 2720

Largura de vias (fr/tr mm): 1562/1584

Peso (kg): 1411

Capacidade da bagageira (l): 513

Deposito de combustível (l): 50

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 37 800 €

Preço da versão base (Euros): 36 200 €

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) Apesar de ser construído com a plataforma modular CMF-B, a mesma utilizada nos mais pequenos Clio e Captur, o Arkana tem dimensões de SUV de segmento superior ao medir um pouco mais de 4,5 metros de comprimento. Quanto à estética, a secção dianteira é semelhante à utilizada nos modelos mais recentes da marca gaulesa ao apresentar faróis LED com a grelha em preto ao centro. Do pilar B para trás é onde encontramos as principais novidades, como é o caso do tejadilho a fluir até à traseira criando um visual dinâmico e elegante, tão típico de um SUV Coupé, um estilo que, até então, apenas fazia parte da gama das marcas premium.

Interior

Interior (8/10) Passando para o interior, o Renault Arkana não está tão próximo dos “primos de segmento” Mégane e Kadjar, mas sim dos inferiores Clio e Captur. Deste modo, o condutor tem à sua disposição um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro o ecrã tátil “flutuante” transmite as informações do mais recente sistema de infotainment da marca. De destacar a utilização de comandos físicos para a climatização, algo que ajuda a utilização do mesmo por parte do condutor durante a condução.

Relativamente a construção, o Renault Arkana não apresentou grandes problemas e os materiais escolhidos estão em linha com os rivais de segmento. No que diz respeito a espaço, não nos podemos deixar enganar pelo estilo coupé. A Renault conseguiu encontrar um bom compromisso entre estilo e funcionalidade ao permitir viajar com dois adultos nos bancos traseiros. Para além disso, o Arkana conta com 513 litros de volumetria da bagageira, um valor que é, inclusive, superior ao mais familiar Kadjar (472 litros). No entanto, o estilo mais dinâmico perturba a visibilidade traseira visto que o condutor conta com um óculo traseiro bastante pequeno.  

Equipamento

Equipamento (7/10) O Renault Arkana deste ensaio está equipado com o nível R.S. Line, ou seja, o topo de gama que confere, igualmente, um visual mais desportivo. Assim, apresenta de série coisas como faróis e farolins LED, câmara de marcha-atrás, cruise control adaptativo e limitador de velocidade, sistema de assistência na transposição de faixa, alerta de ângulo morto, alerta de obstáculo, navegação, Renault multi-sense, jantes de 18 polegadas, bancos dianteiros com ajuste elétrico e aquecidos, vidros traseiros escurecidos, volante em couro, ar condicionado automático, entre outras. Destaque ainda para os opcionais Pack Look (800€), pintura metalizada (530€) e pneu sobresselente (170€).

Consumos

Consumos (7/10) Relativamente a consumos, a Renault anuncia uma média de 5,9 l/100 km. Durante o nosso ensaio realizámos um valor médio a rondar os 6,4 l/100 km, um consumo satisfatório tendo em conta que temos à nossa disposição 140 cv. Já em autoestrada os valores sobem ligeiramente, para os 6,9 l/100km.

Ao volante

Ao volante (8/10) Neste ensaio, o Renault Arkana provou aquilo que já tinha prometido no nosso primeiro contacto durante a apresentação nacional. Com uma posição de condução elevada, típica de um SUV, temos uma boa visibilidade para a estrada. A afinação de suspensão está em linha com o que a Renault nos tem habituado, ou seja, ligeiramente mais suave, o que beneficia o conforto e ajuda a filtrar da melhor forma as irregularidades da estrada. Apesar de isso perturbar a dinâmica, o Renault Arkana oferece movimentos de carroçaria bastante controlados em trajetos sinuosos, numa clara melhoria face ao outro modelo da marca neste segmento, o Kadjar.

Concorrentes

Nissan Qashqai DIG-T 158CV – Motor: Quatro cilindros, 1.3 litros, turbo, gasolina + mild hybrid; Potência: 158 cv e 270 Nm de binário; Transmissão: Automática; Bagageira: 504 litros; preço base: 31 300€

Citroën C4 PureTech 130 – Motor: Quatro cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 130 cv e 300 Nm de binário; Transmissão: Automática de 8 velocidades; Bagageira: 380 litros; preço base: 25 607€

Audi Q3 Sportback 35 TFSI S Tronic – Motor: Quatro cilindros, 1.5 litros, turbo, gasolina; Potência: 150 cv e 250 Nm de binário; Transmissão: Automática de 7 velocidades; Bagageira: 410 litros; preço base: 48 260€

Motor

Motor (8/10) O Renault Arkana deste ensaio tem o motor de entrada na gama. Falamos do já conhecido quatro cilindros de 1.3 litros TCe que debita 140 cv e 260 Nm de binário. Esta solução está associada em exclusivo à transmissão automática EDC, algo que ajuda a realizar acelerações dos 0 aos 100 km/h em 9,8 segundos e atingir uma velocidade máxima de 205 km/h. Este motor tem pulmão mais do que suficiente para uma utilização ligeiramente mais dinâmica ao apresentar uma resposta linear, apesar de perder algum fulgor quando nos aproximamos do “redline”. Quanto à caixa, esta apresenta um funcionamento suave na maioria das solicitações.

Balanço final

Balanço final (8/10) Em suma, o Renault Arkana é um SUV que vem oferecer bastante à gama da marca gaulesa. Assume-se como a proposta mais irreverente no segmento C SUV, deixando o Kadjar para quem procura uma solução mais discreta. Por fim, com o nível de equipamento R.S. Line, o Arkana começa nos 36 200€, valor esse que desce para os 31 600€ na versão de acesso à gama.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 1333

Diâmetro x Curso (mm): 72,2 x 81,4

Taxa de Compressão: n.d.

Potência máxima (CV/rpm): 140/4500-6000

Binário máximo (Nm/rpm): 260/1750-3500

Tração: dianteira

Transmissão: Automática de 7 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 9,8

Velocidade máxima (km/h): 205

Consumos misto (l/100 km): 5,9

Emissões CO2 (gr/km): 132

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4568/1821/1576

Distância entre eixos (mm): 2720

Largura de vias (fr/tr mm): 1562/1584

Peso (kg): 1411

Capacidade da bagageira (l): 513

Deposito de combustível (l): 50

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 37 800 €

Preço da versão base (Euros): 36 200 €

Preço da versão ensaiada (Euros): 37800€
Preço da versão base (Euros): 36200€