Seat Ibiza 1.0 TSI – Ensaio Teste

By on 11 Novembro, 2021

Seat Ibiza 1.0 TSI – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

A melhor versão do Ibiza?

O Seat Ibiza passou, tal como o Arona que já ensaiámos, por uma renovação. O best-seller da marca espanhola melhorou em alguns capítulos de forma a continuar competitivo num segmento que, para além de extremamente competitivo, é importante para a marca espanhola. Neste ensaio tivemos o Ibiza com o motor 1.0 TSI de 110 cv acoplado a uma transmissão manual de seis velocidades, acompanhado pelo nível de equipamento mais desportivo, FR. Será esta a versão mais divertida da gama?


Mais:

Design, dinâmica, motor

Menos:

Preço de alguns opcionais

Exterior

8/10

Exterior (8/10) No exterior é preciso ter um “olho de falcão” para reparar nas diferenças. Devido a um design que continua muito atual, com linhas vincadas e bem definidas que o diferenciam dos restantes membros do segmento, a Seat decidiu atualizar em pequenos detalhes. O principal destaque é dado à designação do modelo na traseira agora em manuscrito, tal como acontece, por exemplo, no Arona ou Leon. Para além disso passa a ter de série em todas as versões faróis 100% LED.

Interior

8/10

Interior (8/10) O principal ponto alto desta atualização é o interior que está substancialmente diferente do antecessor. Ao abrir a porta somos brindados com um novo design de tablier. Agora, as saídas de ventilação são circulares nas laterais e o ecrã central já não está incorporado no tablier, mas sim uma zona superior. O carro em ensaio estava equipado com o de menores dimensões, 8,25 polegadas e conta com o mais recente sistema de infotainment da marca. Contudo, ao contrário do que acontece, por exemplo, no Leon, este sistema de entrada é, de longe, o mais simples de utilizar. A manutenção dos botões físicos referentes aos diferentes menus na parte inferior do ecrã torna a experiência bem mais agradável, numa clara demonstração de que às vezes a simplicidade é tudo.

Ao nível de materiais a Seat recorre agora a mais plásticos macios ao toque numa construção de boa qualidade. Relativamente ao espaço não há novidades, ou seja, tem uma boa habitabilidade, principalmente quando nos lembramos que se trata de um modelo de segmento B, ao oferecer um bom espaço para pernas e cabeça na segunda fila de bancos. A bagageira é também igual ao antecessor, ou seja, garante 355 litros de volumetria.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) No que diz respeito a equipamento, o Seat Ibiza deste ensaio conta com o nível FR, o mais desportivo e equipado da gama. De série, esta versão oferece coisas como suspensão desportiva, modos de condução, para-choques mais desportivos, volante mulfinções em pele, bancos dianteiros reguláveis em altura, vidros traseiros escurecidos, iluminação interior, espelhos exteriores com regulação elétrica, faróis full LED, sensor de chuva, entre outros. Com uma lista de opcionais longa, o Ibiza do artigo conta com FR Plus (1325€), pacote M condução & Segurança com ecrã de 8,25 polegadas (255€), pacote arrumação interior (290€), roda suplente (85€), sensores de estacionamento dianteiros e traseiros (355€), Seat Full Link (150€) e sistema keyless sem função safe (275€).

Consumos

7/10

Consumos (7/10) O motor três cilindros de 1.0 TSI que equipa o Ibiza deste ensaio é o com 110 cv e 200 Nm de binário e tem um consumo combinado anunciado de 5 l/100 km. Durante este nosso contacto percebemos que os valores médios numa utilização diária rondam os 5,7 l/100 km e, em autoestrada, é até possível andar nos 5 l/100 km. Caso explore os 110 cv numa condução mais acelerada pode esperar um aumento para perto dos 7 l/100 km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) O Seat Ibiza é um dos modelos do segmento B mais divertidos de conduzir, ao apresentar uma dinâmica ágil e um comportamento seguro. Em andamentos mais acelerados somos acompanhados por uma cada vez mais rara caixa manual que ajuda a tornar a condução um pouco mais emotiva. Os 110 cv são suficientes para tirar todo o partido do bom chassis do Ibiza. Talvez o ponto menos positivo passe por um eixo traseiro bastante firme que, em trajetos mais degradados, perturba o conforto dos passageiros traseiros.

Motor

8/10

Motor (8/10) O motor três cilindros 1.0 TSI é um “velho conhecido” do Grupo Volkswagen e assenta que nem uma luva no Seat Ibiza. A unidade em ensaio conta com o nível de potência mais elevado deste bloco, 110 cv e 200 Nm de binário. Não é o mais potente da gama, esse título fica ao encargo do quatro cilindros 1.5 TSI com 150 cv, mas este 1.0 TSI é, sem dúvida, o mais equilibrado da gama. A caixa de velocidades manual de seis velocidades destaca-se por ser agradável de utilizar. A resposta ao acelerador é satisfatória desde as 2000 rpm, com o Ibiza a perder um pouco de folgo perto do red line, uma característica já reconhecida dos motores três cilindros.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) A Seat atualizou o Ibiza nos sítios certos. Manteve um visual irreverente e de linhas retas, mas aproveitou para atualizar no capítulo da tecnologia. Não podemos deixar de destacar que, apesar de ser o ecrã mais pequeno, é o mais fácil de utilizar com os botões físicos na parte inferior a terem um papel crucial ao “arrumarem” tudo no sítio certo. Este motor 1.0 TSI de 110 cv com caixa manual, e o nível de equipamento FR, são uma boa combinação para quem procura um utilitário dinâmico.

Concorrentes

Ford Fiesta 1.0 EcoBoost ST-Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 170 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; Velocidade Máxima: 180 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: n.d.

Volkswagen Polo 1.0 TSI R-Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 95 cv e 175 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; Velocidade Máxima: 187 km/h; Transmissão: Manual de 5 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: 23 417€

Renault Clio TCe 90 RS Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 90 cv e 170 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 12,2 segundos; Velocidade Máxima: 180 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: 22 600€

Peugeot 208 1.2 PuteTech GT – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,9 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 21 640€

Citroën C3 1.2 PureTech Shine Pack – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 110 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,4 segundos; Velocidade Máxima: 198 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,6 l/100 km; Preço: 17 250€

Toyota Yaris 1.5 Hybrid Dynamic Force – Motor: três cilindros, 1.5 litros, turbo, gasolina + sistema híbrido; Potência: 116 cv e 120 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,7 segundos; Velocidade Máxima: 175 km/h; Transmissão: Automática CVT; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 21 970€

Hyundai i20 1.0 T-GDi Style Plus – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 172 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,4 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 20 160€

Opel Corsa 1.2 Turbo GS Line – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,9 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 20 470€

Mazda 2 1.5 Skyactiv Excellence – Motor: Quatro cilindros, 1.5 litros, gasolina; Potência: 90 cv e 148 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,8 segundos; Velocidade Máxima: 182 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 19 748€

Nissan Micra IG-T Tekna – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 92 cv e 144 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 13 segundos; Velocidade Máxima: 171 km/h; Transmissão: Automática CVT; Consumo combinado: 6,1 l/100 km; Preço: 18 670€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 999

Diâmetro x Curso (mm): 74,5 x 76,4

Taxa de Compressão: 11,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 110/5500

Binário máximo (Nm/rpm): 200/2000-3500

Tração: dianteira

Transmissão: Manual de seis velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,2

Velocidade máxima (km/h): 195

Consumos misto (l/100 km): 5

Emissões CO2 (gr/km): 116

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4059/1780/1444

Distância entre eixos (mm): 2564

Largura de vias (fr/tr mm): 1525/1505

Peso (kg): 1169

Capacidade da bagageira (l): 355

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr):

Preço da versão ensaiada: 24 503€

Preço da versão base: 21 768€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) No exterior é preciso ter um “olho de falcão” para reparar nas diferenças. Devido a um design que continua muito atual, com linhas vincadas e bem definidas que o diferenciam dos restantes membros do segmento, a Seat decidiu atualizar em pequenos detalhes. O principal destaque é dado à designação do modelo na traseira agora em manuscrito, tal como acontece, por exemplo, no Arona ou Leon. Para além disso passa a ter de série em todas as versões faróis 100% LED.

Interior

Interior (8/10) O principal ponto alto desta atualização é o interior que está substancialmente diferente do antecessor. Ao abrir a porta somos brindados com um novo design de tablier. Agora, as saídas de ventilação são circulares nas laterais e o ecrã central já não está incorporado no tablier, mas sim uma zona superior. O carro em ensaio estava equipado com o de menores dimensões, 8,25 polegadas e conta com o mais recente sistema de infotainment da marca. Contudo, ao contrário do que acontece, por exemplo, no Leon, este sistema de entrada é, de longe, o mais simples de utilizar. A manutenção dos botões físicos referentes aos diferentes menus na parte inferior do ecrã torna a experiência bem mais agradável, numa clara demonstração de que às vezes a simplicidade é tudo.

Ao nível de materiais a Seat recorre agora a mais plásticos macios ao toque numa construção de boa qualidade. Relativamente ao espaço não há novidades, ou seja, tem uma boa habitabilidade, principalmente quando nos lembramos que se trata de um modelo de segmento B, ao oferecer um bom espaço para pernas e cabeça na segunda fila de bancos. A bagageira é também igual ao antecessor, ou seja, garante 355 litros de volumetria.

Equipamento

Equipamento (7/10) No que diz respeito a equipamento, o Seat Ibiza deste ensaio conta com o nível FR, o mais desportivo e equipado da gama. De série, esta versão oferece coisas como suspensão desportiva, modos de condução, para-choques mais desportivos, volante mulfinções em pele, bancos dianteiros reguláveis em altura, vidros traseiros escurecidos, iluminação interior, espelhos exteriores com regulação elétrica, faróis full LED, sensor de chuva, entre outros. Com uma lista de opcionais longa, o Ibiza do artigo conta com FR Plus (1325€), pacote M condução & Segurança com ecrã de 8,25 polegadas (255€), pacote arrumação interior (290€), roda suplente (85€), sensores de estacionamento dianteiros e traseiros (355€), Seat Full Link (150€) e sistema keyless sem função safe (275€).

Consumos

Consumos (7/10) O motor três cilindros de 1.0 TSI que equipa o Ibiza deste ensaio é o com 110 cv e 200 Nm de binário e tem um consumo combinado anunciado de 5 l/100 km. Durante este nosso contacto percebemos que os valores médios numa utilização diária rondam os 5,7 l/100 km e, em autoestrada, é até possível andar nos 5 l/100 km. Caso explore os 110 cv numa condução mais acelerada pode esperar um aumento para perto dos 7 l/100 km.

Ao volante

Ao volante (8/10) O Seat Ibiza é um dos modelos do segmento B mais divertidos de conduzir, ao apresentar uma dinâmica ágil e um comportamento seguro. Em andamentos mais acelerados somos acompanhados por uma cada vez mais rara caixa manual que ajuda a tornar a condução um pouco mais emotiva. Os 110 cv são suficientes para tirar todo o partido do bom chassis do Ibiza. Talvez o ponto menos positivo passe por um eixo traseiro bastante firme que, em trajetos mais degradados, perturba o conforto dos passageiros traseiros.

Concorrentes

Ford Fiesta 1.0 EcoBoost ST-Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 170 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; Velocidade Máxima: 180 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: n.d.

Volkswagen Polo 1.0 TSI R-Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 95 cv e 175 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,8 segundos; Velocidade Máxima: 187 km/h; Transmissão: Manual de 5 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: 23 417€

Renault Clio TCe 90 RS Line – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 90 cv e 170 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 12,2 segundos; Velocidade Máxima: 180 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,2 l/100 km; Preço: 22 600€

Peugeot 208 1.2 PuteTech GT – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,9 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 21 640€

Citroën C3 1.2 PureTech Shine Pack – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 110 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,4 segundos; Velocidade Máxima: 198 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,6 l/100 km; Preço: 17 250€

Toyota Yaris 1.5 Hybrid Dynamic Force – Motor: três cilindros, 1.5 litros, turbo, gasolina + sistema híbrido; Potência: 116 cv e 120 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,7 segundos; Velocidade Máxima: 175 km/h; Transmissão: Automática CVT; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 21 970€

Hyundai i20 1.0 T-GDi Style Plus – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 172 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,4 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 20 160€

Opel Corsa 1.2 Turbo GS Line – Motor: três cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 100 cv e 205 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 10,9 segundos; Velocidade Máxima: 188 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 20 470€

Mazda 2 1.5 Skyactiv Excellence – Motor: Quatro cilindros, 1.5 litros, gasolina; Potência: 90 cv e 148 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 9,8 segundos; Velocidade Máxima: 182 km/h; Transmissão: Manual de 6 velocidades; Consumo combinado: 5,3 l/100 km; Preço: 19 748€

Nissan Micra IG-T Tekna – Motor: três cilindros, 1.0 litros, turbo, gasolina; Potência: 92 cv e 144 Nm; Aceleração 0 aos 100 km/h: 13 segundos; Velocidade Máxima: 171 km/h; Transmissão: Automática CVT; Consumo combinado: 6,1 l/100 km; Preço: 18 670€

Motor

Motor (8/10) O motor três cilindros 1.0 TSI é um “velho conhecido” do Grupo Volkswagen e assenta que nem uma luva no Seat Ibiza. A unidade em ensaio conta com o nível de potência mais elevado deste bloco, 110 cv e 200 Nm de binário. Não é o mais potente da gama, esse título fica ao encargo do quatro cilindros 1.5 TSI com 150 cv, mas este 1.0 TSI é, sem dúvida, o mais equilibrado da gama. A caixa de velocidades manual de seis velocidades destaca-se por ser agradável de utilizar. A resposta ao acelerador é satisfatória desde as 2000 rpm, com o Ibiza a perder um pouco de folgo perto do red line, uma característica já reconhecida dos motores três cilindros.

Balanço final

Balanço Final (8/10) A Seat atualizou o Ibiza nos sítios certos. Manteve um visual irreverente e de linhas retas, mas aproveitou para atualizar no capítulo da tecnologia. Não podemos deixar de destacar que, apesar de ser o ecrã mais pequeno, é o mais fácil de utilizar com os botões físicos na parte inferior a terem um papel crucial ao “arrumarem” tudo no sítio certo. Este motor 1.0 TSI de 110 cv com caixa manual, e o nível de equipamento FR, são uma boa combinação para quem procura um utilitário dinâmico.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 3 cilindros em linha, turbo, gasolina

Cilindrada (cm3): 999

Diâmetro x Curso (mm): 74,5 x 76,4

Taxa de Compressão: 11,5 a 1

Potência máxima (CV/rpm): 110/5500

Binário máximo (Nm/rpm): 200/2000-3500

Tração: dianteira

Transmissão: Manual de seis velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,2

Velocidade máxima (km/h): 195

Consumos misto (l/100 km): 5

Emissões CO2 (gr/km): 116

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4059/1780/1444

Distância entre eixos (mm): 2564

Largura de vias (fr/tr mm): 1525/1505

Peso (kg): 1169

Capacidade da bagageira (l): 355

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr):

Preço da versão ensaiada: 24 503€

Preço da versão base: 21 768€

Preço da versão ensaiada (Euros): 24503€
Preço da versão base (Euros): 21768€