Seat Leon Sportstourer FR 2.0 TDI DSG – Ensaio Teste

By on 29 Novembro, 2022

A vingança do Diesel

Basta olhar para os preços dos combustíveis para descobrir que o Diesel é mesmo o alvo a abater, já estando mesmo mais caro que a gasolina, o que acaba por deixar diversas pessoas a pensar se este não é, então, o melhor momento para investir num híbrido. Ao mesmo tempo, propostas como a Seat Leon Sportstourer equipada com o motor 2.0 TDI continuam a provar que o Diesel ainda continua a ser melhor solução para quem passa bastante tempo em estrada e não quer estar preocupado com a autonomia, apenas com o conforto.

Texto: André Mendes
[email protected]


Mais:

– Imagem;
– Espaço a bordo;
– Bagageira;

Menos:

– Alguns materiais;
– Comandos táteis;
– Diferenças entre os lugares dianteiros e traseiros;

Exterior

7/10

A mais recente geração do Seat Leon parece ser aquela em que foi conseguido um excelente compromisso estético, mas também traços bem delineados e um visual mais tecnológico com a adoção de uma assinatura visual mais arrojada, especialmente na secção traseira, com uma faixa em LED a ocupar toda a largura da carroçaria. A atualização deste modelo trouxe uma versão do seu nome mais manuscrita, mas o topo da oferta em termos de equipamento ainda continua a ser esta versão FR, de caráter mais desportivo, ainda que as jantes de 17 polegadas não sejam a melhor ajuda neste ponto. Em contrapartida, esta é a versão que inclui alguns detalhes pintados num tom cinzento baço, tais como as capas dos espelhos retrovisores, a moldura da grelha dianteira ou alguns elementos estéticos na zona inferior do pára-choques dianteiro.

A febre dos SUV deixou o formato das carrinhas um pouco para segundo plano, mas esta Leon Sportstourer demonstra que a elegância de uma carrinha ainda é uma excelente opção a considerar, especialmente por famílias com crianças e com maiores necessidades de espaço por causa disso. E a sua “simpatia” até inclui um “Hola!” na secção lateral, sempre que nos recebe.

Interior

7/10

Logo desde os primeiros segundos a bordo da Leon Sportstourer percebemos que a equipa de design da marca espanhola é uma das que se empenha em criar um ambiente mais emotivo a bordo, com uma tendência minimalista crescente, mas também com um ambiente tecnológico mais presente, com a adoção de um painel de instrumentos totalmente digital e do monitor tátil que se encontra no topo da consola central. A iluminação ambiente inclui uma linha horizontal em LED que se prolonga do tablier para os painéis das portas e onde foram engenhosamente integrados os avisos luminosos em caso de estar presente uma viatura no ângulo morto e no caso de detetar algum objeto quando abrimos a porta. Por outro lado, é também a partir dos primeiros segundos que começamos a embirrar com os comandos da climatização, pois todos eles estão integrados no tal monitor tátil existente no topo do tablier e que requer mais do que um toque para as funções mais simples. E se desejarmos ajustar a temperatura ou a velocidade da ventilação, os comandos diretos existentes abaixo do monitor são táteis e deslizantes, não deixando obter o valor mais desejado, e sendo pouco práticos quando estamos a conduzir.

No que diz respeito ao espaço disponível a bordo, a Seat Leon Sportstourer é fantástica. Enquanto nos lugares dianteiros contamos com uma postura quase perfeita ao volante e com assentos confortáveis e com um bom apoio, na fila de trás o espaço disponível é ainda mais amplo, tanto em altura como no espaço para as pernas. O lugar do meio é mais elevado, mas conta com uma boa largura e na consola central há comandos (táteis) para a temperatura do ar condicionado e duas tomadas USB-C.

Um pouco mais atrás, na bagageira, surge um dos principais trunfos de uma carrinha, que são os 620 litros de capacidade deste compartimento, com um bom acesso, pequenos espaços de arrumação laterais e um enorme fundo falso disponível, uma vez que nesta versão não está presente o pneu de reserva.

Equipamento

6/10

O nível de equipamento FR está no topo da oferta da gama Leon, mas não é por isso que fica tremendamente recheado. Inclui alguns elementos básicos e outros que já nem são assim tão básicos, mas a maior quantidade de elementos que gostaríamos de ver incluídos, ainda se encontram na lista de opcionais disponíveis para este modelo. Por exemplo, no caso da unidade ensaiada, o sistema de iluminação Full LED adiciona quase 1.150 ao preço final deste modelo e o espaço com o carregamento sem fios para o telefone também é uma opção próxima dos 200 euros. E depois, há todos os sistemas de segurança e de conectividade, alguns que obrigam à presença de outros, a navegação, a pintura metalizada e até o forro do tejadilho em preto. E no total, sem grandes abusos na escolha, são quase 4.700 euros em equipamento opcional. Com umas jantes de 18 polegadas que ficariam muito melhor numa versão FR, lá ficávamos acima da fasquia dos cinco mil euros.

Consumos

6/10

Com uma utilização considerável em autoestrada e alguns percursos citadinos, o motor da Leon Sportstourer nunca chegou a descer da fasquia dos cinco litros, ou seja, não alcançámos o valor de 4,5 litros que a marca declara para um percurso misto. No entanto, e com um percurso misto em torno dos 100 quilómetros, conseguimos um valor de 5,4 litros. No final do ensaio, no entanto, o valor total indicado no computador de bordo era de 5,8 litros. Ou seja, as médias de consumo que nos permitem explorar o depósito de combustível ao máximo e efetuar o jogo da autonomia sem que isso inclua uma tomada elétrica.

Ao Volante

6/10

Seja em cidade, em estrada ou autoestrada, o chassis do Leon não tem grandes surpresas nem é dos que nos tenta desafiar. A sua compostura em curva é mais do que previsível e com a versão FR a afinação da suspensão é um pouco mais desportiva, fazendo com que os movimentos da carroçaria sejam diminuídos. No entanto, a unidade ensaiada contava com as jantes de 17 polegadas que equipam esta versão de série e, ainda que seja um bom compromisso, acabam por privilegiar mais o conforto do que a precisão da direção ou o comportamento em curva. Ainda assim, o chassis faz o seu trabalho e caixa permite-nos usar o modo manual através dos pequenos comandos atrás do volante.

Motor

6/10

Um eterno devorador de quilómetros e uma parceria perfeita para diversos modelos do Grupo Volkswagen. Os seus 150 cavalos de potência são a dose mais equilibrada para uma rotina convencional e para viagens mais longas, de preferência, acompanhado da caixa de velocidades DSG de dupla embraiagem que só não gosta das trocas de relações em manobras, porque de resto, é uma escolha obrigatória. Aliás, com a Leon Sportstourer e com o motor 2.0 TDI de 150 nem sequer existe a opção de caixa manual, apenas no motor de 115 cavalos.

Balanço Final

6/10

A Seat Leon Sportstourer continua a ser uma excelente escolha para qualquer família, com um amplo espaço a bordo e um nível de conforto elevado. A versão FR merecia uma melhoria de materiais e acabamentos a bordo, mas de forma geral é um bom espaço para “vivermos” durante uns minutos ou umas horas. Quanto ao motor 2.0 TDI, os seus préstimos continuam-nos a mostrar que ainda é uma das melhores opções para quem tem de percorrer muitos quilómetros, especialmente em autoestrada, ainda que esteja sempre presente aquele sentimento de que já tem os dias contados.

Concorrentes

Opel Astra Sports Tourer 1.5D GS
Motor: quatro cilindros, 1.5 litros, turbo; potência: 130 cavalos; consumo médio: 5,0 l/100km; preço base: 37.650 €

Peugeot 308 SW GT 1.5 BlueHDi
Motor: quatro cilindros, 1.5 litros, turbo; potência: 130 cavalos; consumo médio: 5,0 l/100km; preço base: 37.620 €

Škoda Octavia Break 2.0 TDI 150 Sportline DSG
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo; potência: 150 cavalos; consumo médio: 4,5 l/100km; preço base: 41.792 €

Volkswagen Golf Variant 2.0 TDI 150 R-Line DSG
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo; potência: 150 cavalos; consumo médio: 4,7 l/100km; preço base: 50.325 €

Ficha Técnica

Motor
Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasóleo
Cilindrada (cm3): 1.968
Potência máxima (CV/rpm): 150/3.000-4.200
Binário máximo (Nm/rpm): 360/1.700-2.750
Tração: Dianteira
Transmissão: Automática de sete velocidades
Direção: Assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): Independente, tipo McPherson / Eixo de torção
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9
Velocidade máxima (km/h): 218
Consumos misto (l/100 km): 4,5
Emissões CO2 (g/km): 117

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.642/1.799/1.437
Distância entre eixos (mm): 2.684
Largura de vias (fr/tr mm): 1.534/1.516
Peso (kg): 1.501
Capacidade da bagageira (l): 620
Depósito (l): 50
Pneus (fr/tr): 225/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 46.331 €
Preço da versão base (Euros): 41.792 €

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

A mais recente geração do Seat Leon parece ser aquela em que foi conseguido um excelente compromisso estético, mas também traços bem delineados e um visual mais tecnológico com a adoção de uma assinatura visual mais arrojada, especialmente na secção traseira, com uma faixa em LED a ocupar toda a largura da carroçaria. A atualização deste modelo trouxe uma versão do seu nome mais manuscrita, mas o topo da oferta em termos de equipamento ainda continua a ser esta versão FR, de caráter mais desportivo, ainda que as jantes de 17 polegadas não sejam a melhor ajuda neste ponto. Em contrapartida, esta é a versão que inclui alguns detalhes pintados num tom cinzento baço, tais como as capas dos espelhos retrovisores, a moldura da grelha dianteira ou alguns elementos estéticos na zona inferior do pára-choques dianteiro.

A febre dos SUV deixou o formato das carrinhas um pouco para segundo plano, mas esta Leon Sportstourer demonstra que a elegância de uma carrinha ainda é uma excelente opção a considerar, especialmente por famílias com crianças e com maiores necessidades de espaço por causa disso. E a sua “simpatia” até inclui um “Hola!” na secção lateral, sempre que nos recebe.

Interior

Logo desde os primeiros segundos a bordo da Leon Sportstourer percebemos que a equipa de design da marca espanhola é uma das que se empenha em criar um ambiente mais emotivo a bordo, com uma tendência minimalista crescente, mas também com um ambiente tecnológico mais presente, com a adoção de um painel de instrumentos totalmente digital e do monitor tátil que se encontra no topo da consola central. A iluminação ambiente inclui uma linha horizontal em LED que se prolonga do tablier para os painéis das portas e onde foram engenhosamente integrados os avisos luminosos em caso de estar presente uma viatura no ângulo morto e no caso de detetar algum objeto quando abrimos a porta. Por outro lado, é também a partir dos primeiros segundos que começamos a embirrar com os comandos da climatização, pois todos eles estão integrados no tal monitor tátil existente no topo do tablier e que requer mais do que um toque para as funções mais simples. E se desejarmos ajustar a temperatura ou a velocidade da ventilação, os comandos diretos existentes abaixo do monitor são táteis e deslizantes, não deixando obter o valor mais desejado, e sendo pouco práticos quando estamos a conduzir.

No que diz respeito ao espaço disponível a bordo, a Seat Leon Sportstourer é fantástica. Enquanto nos lugares dianteiros contamos com uma postura quase perfeita ao volante e com assentos confortáveis e com um bom apoio, na fila de trás o espaço disponível é ainda mais amplo, tanto em altura como no espaço para as pernas. O lugar do meio é mais elevado, mas conta com uma boa largura e na consola central há comandos (táteis) para a temperatura do ar condicionado e duas tomadas USB-C.

Um pouco mais atrás, na bagageira, surge um dos principais trunfos de uma carrinha, que são os 620 litros de capacidade deste compartimento, com um bom acesso, pequenos espaços de arrumação laterais e um enorme fundo falso disponível, uma vez que nesta versão não está presente o pneu de reserva.

Equipamento

O nível de equipamento FR está no topo da oferta da gama Leon, mas não é por isso que fica tremendamente recheado. Inclui alguns elementos básicos e outros que já nem são assim tão básicos, mas a maior quantidade de elementos que gostaríamos de ver incluídos, ainda se encontram na lista de opcionais disponíveis para este modelo. Por exemplo, no caso da unidade ensaiada, o sistema de iluminação Full LED adiciona quase 1.150 ao preço final deste modelo e o espaço com o carregamento sem fios para o telefone também é uma opção próxima dos 200 euros. E depois, há todos os sistemas de segurança e de conectividade, alguns que obrigam à presença de outros, a navegação, a pintura metalizada e até o forro do tejadilho em preto. E no total, sem grandes abusos na escolha, são quase 4.700 euros em equipamento opcional. Com umas jantes de 18 polegadas que ficariam muito melhor numa versão FR, lá ficávamos acima da fasquia dos cinco mil euros.

Consumos

Com uma utilização considerável em autoestrada e alguns percursos citadinos, o motor da Leon Sportstourer nunca chegou a descer da fasquia dos cinco litros, ou seja, não alcançámos o valor de 4,5 litros que a marca declara para um percurso misto. No entanto, e com um percurso misto em torno dos 100 quilómetros, conseguimos um valor de 5,4 litros. No final do ensaio, no entanto, o valor total indicado no computador de bordo era de 5,8 litros. Ou seja, as médias de consumo que nos permitem explorar o depósito de combustível ao máximo e efetuar o jogo da autonomia sem que isso inclua uma tomada elétrica.

Ao volante

Seja em cidade, em estrada ou autoestrada, o chassis do Leon não tem grandes surpresas nem é dos que nos tenta desafiar. A sua compostura em curva é mais do que previsível e com a versão FR a afinação da suspensão é um pouco mais desportiva, fazendo com que os movimentos da carroçaria sejam diminuídos. No entanto, a unidade ensaiada contava com as jantes de 17 polegadas que equipam esta versão de série e, ainda que seja um bom compromisso, acabam por privilegiar mais o conforto do que a precisão da direção ou o comportamento em curva. Ainda assim, o chassis faz o seu trabalho e caixa permite-nos usar o modo manual através dos pequenos comandos atrás do volante.

Concorrentes

Opel Astra Sports Tourer 1.5D GS
Motor: quatro cilindros, 1.5 litros, turbo; potência: 130 cavalos; consumo médio: 5,0 l/100km; preço base: 37.650 €

Peugeot 308 SW GT 1.5 BlueHDi
Motor: quatro cilindros, 1.5 litros, turbo; potência: 130 cavalos; consumo médio: 5,0 l/100km; preço base: 37.620 €

Škoda Octavia Break 2.0 TDI 150 Sportline DSG
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo; potência: 150 cavalos; consumo médio: 4,5 l/100km; preço base: 41.792 €

Volkswagen Golf Variant 2.0 TDI 150 R-Line DSG
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo; potência: 150 cavalos; consumo médio: 4,7 l/100km; preço base: 50.325 €

Motor

Um eterno devorador de quilómetros e uma parceria perfeita para diversos modelos do Grupo Volkswagen. Os seus 150 cavalos de potência são a dose mais equilibrada para uma rotina convencional e para viagens mais longas, de preferência, acompanhado da caixa de velocidades DSG de dupla embraiagem que só não gosta das trocas de relações em manobras, porque de resto, é uma escolha obrigatória. Aliás, com a Leon Sportstourer e com o motor 2.0 TDI de 150 nem sequer existe a opção de caixa manual, apenas no motor de 115 cavalos.

Balanço final

A Seat Leon Sportstourer continua a ser uma excelente escolha para qualquer família, com um amplo espaço a bordo e um nível de conforto elevado. A versão FR merecia uma melhoria de materiais e acabamentos a bordo, mas de forma geral é um bom espaço para “vivermos” durante uns minutos ou umas horas. Quanto ao motor 2.0 TDI, os seus préstimos continuam-nos a mostrar que ainda é uma das melhores opções para quem tem de percorrer muitos quilómetros, especialmente em autoestrada, ainda que esteja sempre presente aquele sentimento de que já tem os dias contados.

Ficha técnica

Motor
Tipo: 4 cilindros em linha, turbo, gasóleo
Cilindrada (cm3): 1.968
Potência máxima (CV/rpm): 150/3.000-4.200
Binário máximo (Nm/rpm): 360/1.700-2.750
Tração: Dianteira
Transmissão: Automática de sete velocidades
Direção: Assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): Independente, tipo McPherson / Eixo de torção
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 8,9
Velocidade máxima (km/h): 218
Consumos misto (l/100 km): 4,5
Emissões CO2 (g/km): 117

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.642/1.799/1.437
Distância entre eixos (mm): 2.684
Largura de vias (fr/tr mm): 1.534/1.516
Peso (kg): 1.501
Capacidade da bagageira (l): 620
Depósito (l): 50
Pneus (fr/tr): 225/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 46.331 €
Preço da versão base (Euros): 41.792 €

Preço da versão ensaiada (Euros): 46331€
Preço da versão base (Euros): 41792€