Skoda Octavia Break 2.0 TDI – Ensaio Teste

By on 5 Março, 2021

Skoda Octavia Break 2.0 TDI – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

A família agradece

Não é por acaso que o Skoda Octavia foi um dos sete finalistas ao prémio Car of the Year. É visto como um modelo capaz de garantir aos clientes funcionalidade, espaço e soluções inteligentes. Para além disso, é também um modelo fundamental para a marca checa ao ser o best-seller. Nesta quarta geração mantém a famosa carroçaria Break e apresenta-se com um dos melhores designs de sempre, acompanhado por um reforço tecnológico de assinalar. Tal como as restantes marcas do Grupo Volkswagen, recorre à mais recente evolução da plataforma MQB e soluções Diesel, como é o caso da unidade em ensaio com o motor 2.0 TDI. Será esta a melhor carrinha familiar do mercado?


Mais:

Espaço, sentido prático, eficiência, conforto

Menos:

Comandos de climatização digitais

Exterior

8/10

Exterior (8/10) A Skoda não poupou esforços aos designers nesta quarta geração e as imagens falam por si. O exterior apresenta linhas modernas, não tão sóbrias como as anteriores gerações. De facto, está bem mais vistosa graças à nova grelha e assinatura de luz em LED. Na secção traseira, encontramos farolins igualmente em LED e o logo Skoda ao longo da tampa da bagageira. Em suma, mantém uma estética discreta, mas muito mais elegante e chamativa do que anteriormente. Ao nível de dimensões, a variante Break está 22 mm mais comprida e 15 mm mais larga face à anterior geração.

Interior

9/10

Interior (9/10) Tal como o exterior, também o interior apresenta um visual mais atraente. Isto é acompanhado por uma evolução na qualidade dos materiais utilizados, suaves ao toque nas zonas superiores do tablier e nas portas dianteiras, acompanhados por uma montagem bastante satisfatória. Ainda ao nível estético destaque para o arrojado volante multifunções de dois braços, estreia de head-up display (opcional), painel de instrumentos digital e um ecrã central de 9,2 polegadas. Este último tem o mais recente sistema de infotainment da marca que, após alguma habituação, torna-se simples de utilizar. Um dos pontos menos práticos desta carrinha que se caracteriza exatamente por ser prática, é a passagem dos comandos de ar condicionado para o ecrã central, o que dificulta a sua utilização durante a condução. Este dado está em linha com o praticado pelos “irmãos” de grupo.

No entanto, não é por estar mais elegante que o interior não mantém o espaço e soluções inteligentes pelas quais a Skoda é conhecida. A já referida revisão de dimensões significa um aumento de espaço na segunda fila de bancos. Dois adultos viajam com conforto graças ao amplo espaço para pernas e de cabeça. Aliás, é até possível sentar três adultos nos bancos traseiros sem que exista “luta de cotovelos”, um dado raro de encontrar neste segmento e até em carrinhas de dimensões superiores. Já a bagageira aumenta 30 litros para um total de 640 litros, um valor referencial no segmento.

Equipamento

8/10

Equipamento (8/10) No que diz respeito a equipamento, a Skoda Octavia Break deste ensaio possui o nível Style, o intermédio da gama, à frente do Ambition e atrás do RS e Scout. De série os clientes podem contar com cockpit virtual, câmara traseira, cruise control, espelhos retrovisores exteriores, front assist com travagem de emergência, lane assist, sistema de infotainment com navegação Columbus, ecrã de 9,2 polegadas, conectividade ao smartphone ou Wi-Fi. De um modo geral, não é preciso investir em demasia em opcionais visto que a carrinha já vem bem equipada. Ainda assim, a unidade em ensaio conta com os seguintes opcionais: jantes de 17 polegadas Pulsar Aero (185€), head-up display (615€) e pintura metalizada (500€).

Consumos

/10

Consumos (9/10) Ao nível de consumos, não é novidade que o motor 2.0 TDI é uma solução eficiente. Mais ainda quando estamos perante uma carrinha com um dos coeficientes aerodinâmicos mais baixos do segmento. Assim, a Skoda anuncia um consumo combinado de 4,5 l/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos uma média de 5.0 l/100 km, um valor ligeiramente superior. Se o objetivo é ter uma carrinha para fazer muitos quilómetros, percebemos que é fácil conseguir valores a rondar os 4,8 l/100 km em autoestrada, enquanto em cidade os números sobem para os 6,5 l/100km.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Ao volante, a Skoda Octavia Break garante um rolar refinado, estável e confortável. O amortecimento é suave e absorve a grande maioria das imperfeições da estrada. Porém, do outro lado da moeda, não é tão dinâmica como, por exemplo, a carrinha Leon ao revelar algum adornar de carroçaria em curvas mais apertadas. Porém, a Octavia Break não é, nem quer ser, uma carrinha com pretensões desportivas. De um modo geral, a Octavia Break garante aquilo que uma carrinha familiar deve ter: conforto numa utilização diária.

Motor

8/10

Motor (8/10) A Skoda Octavia Break em ensaio está equipada com o motor quatro cilindros de 2.0 litros TDI, associado à transmissão DSG de sete velocidades, uma solução que debita 150 cavalos e 360 Nm de binário. Com estes números a carrinha acelera dos 0 aos 100 km/h em 8,8 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 222 km/h.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) A Skoda Octavia Break é uma das melhores carrinhas familiares do mercado. Nesta quarta geração acrescentou um design atrativo e reforço tecnológico a argumentos pelos quais é conhecida como espaço, sentido prático e soluções inteligentes. Tudo isto acompanhado por um motor 2.0 TDI eficiente e com potência mais do que suficiente para uma utilização diária. Por fim, a Skoda Octavia Break começa nos 36 655 €.

Concorrentes

Seat Leon ST 2.0 TDI – Motor: 2.0 litros Diesel; potência: 150 cavalos; transmissão: automática; preço base: 37 878€ 

Toyota Corolla Touring Sports – Motor: 2.0 litros gasolina + sistema híbrido; potência: 184 cavalos; transmissão: automática; preço base: 34 720€

Kia Ceed SW – Motor: 1.6 CRDi, Diesel + sistema mild hybrid; potência: 136 cavalos; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 26 150€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, Diesel

Cilindrada (cm3): 1968

Diâmetro x Curso (mm): 81 x 95,5

Taxa de Compressão: 16

Potência máxima (CV/rpm): 150 / 3000 e 4200

Binário máximo (Nm/rpm): 360 / 1600 e 2750

Transmissão: automática de 7 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo semi-rígido (barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,8

Velocidade máxima (km/h): 222

Consumos misto (l/100 km): 4,5

Emissões CO2 (gr/km): 118 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4689/1829/1468

Distância entre eixos (mm): 2686

Largura de vias (fr/tr mm): 1587/1577

Peso (kg): 1600

Capacidade da bagageira (l): 640

Deposito de combustível (l): 50,8

Pneus (fr/tr): 205/55 R17

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) A Skoda não poupou esforços aos designers nesta quarta geração e as imagens falam por si. O exterior apresenta linhas modernas, não tão sóbrias como as anteriores gerações. De facto, está bem mais vistosa graças à nova grelha e assinatura de luz em LED. Na secção traseira, encontramos farolins igualmente em LED e o logo Skoda ao longo da tampa da bagageira. Em suma, mantém uma estética discreta, mas muito mais elegante e chamativa do que anteriormente. Ao nível de dimensões, a variante Break está 22 mm mais comprida e 15 mm mais larga face à anterior geração.

Interior

Interior (9/10) Tal como o exterior, também o interior apresenta um visual mais atraente. Isto é acompanhado por uma evolução na qualidade dos materiais utilizados, suaves ao toque nas zonas superiores do tablier e nas portas dianteiras, acompanhados por uma montagem bastante satisfatória. Ainda ao nível estético destaque para o arrojado volante multifunções de dois braços, estreia de head-up display (opcional), painel de instrumentos digital e um ecrã central de 9,2 polegadas. Este último tem o mais recente sistema de infotainment da marca que, após alguma habituação, torna-se simples de utilizar. Um dos pontos menos práticos desta carrinha que se caracteriza exatamente por ser prática, é a passagem dos comandos de ar condicionado para o ecrã central, o que dificulta a sua utilização durante a condução. Este dado está em linha com o praticado pelos “irmãos” de grupo.

No entanto, não é por estar mais elegante que o interior não mantém o espaço e soluções inteligentes pelas quais a Skoda é conhecida. A já referida revisão de dimensões significa um aumento de espaço na segunda fila de bancos. Dois adultos viajam com conforto graças ao amplo espaço para pernas e de cabeça. Aliás, é até possível sentar três adultos nos bancos traseiros sem que exista “luta de cotovelos”, um dado raro de encontrar neste segmento e até em carrinhas de dimensões superiores. Já a bagageira aumenta 30 litros para um total de 640 litros, um valor referencial no segmento.

Equipamento

Equipamento (8/10) No que diz respeito a equipamento, a Skoda Octavia Break deste ensaio possui o nível Style, o intermédio da gama, à frente do Ambition e atrás do RS e Scout. De série os clientes podem contar com cockpit virtual, câmara traseira, cruise control, espelhos retrovisores exteriores, front assist com travagem de emergência, lane assist, sistema de infotainment com navegação Columbus, ecrã de 9,2 polegadas, conectividade ao smartphone ou Wi-Fi. De um modo geral, não é preciso investir em demasia em opcionais visto que a carrinha já vem bem equipada. Ainda assim, a unidade em ensaio conta com os seguintes opcionais: jantes de 17 polegadas Pulsar Aero (185€), head-up display (615€) e pintura metalizada (500€).

Consumos

Consumos (9/10) Ao nível de consumos, não é novidade que o motor 2.0 TDI é uma solução eficiente. Mais ainda quando estamos perante uma carrinha com um dos coeficientes aerodinâmicos mais baixos do segmento. Assim, a Skoda anuncia um consumo combinado de 4,5 l/100 km. Durante o nosso ensaio conseguimos uma média de 5.0 l/100 km, um valor ligeiramente superior. Se o objetivo é ter uma carrinha para fazer muitos quilómetros, percebemos que é fácil conseguir valores a rondar os 4,8 l/100 km em autoestrada, enquanto em cidade os números sobem para os 6,5 l/100km.

Ao volante

Ao volante (8/10) Ao volante, a Skoda Octavia Break garante um rolar refinado, estável e confortável. O amortecimento é suave e absorve a grande maioria das imperfeições da estrada. Porém, do outro lado da moeda, não é tão dinâmica como, por exemplo, a carrinha Leon ao revelar algum adornar de carroçaria em curvas mais apertadas. Porém, a Octavia Break não é, nem quer ser, uma carrinha com pretensões desportivas. De um modo geral, a Octavia Break garante aquilo que uma carrinha familiar deve ter: conforto numa utilização diária.

Concorrentes

Seat Leon ST 2.0 TDI – Motor: 2.0 litros Diesel; potência: 150 cavalos; transmissão: automática; preço base: 37 878€ 

Toyota Corolla Touring Sports – Motor: 2.0 litros gasolina + sistema híbrido; potência: 184 cavalos; transmissão: automática; preço base: 34 720€

Kia Ceed SW – Motor: 1.6 CRDi, Diesel + sistema mild hybrid; potência: 136 cavalos; transmissão: manual de seis velocidades; preço base: 26 150€

Motor

Motor (8/10) A Skoda Octavia Break em ensaio está equipada com o motor quatro cilindros de 2.0 litros TDI, associado à transmissão DSG de sete velocidades, uma solução que debita 150 cavalos e 360 Nm de binário. Com estes números a carrinha acelera dos 0 aos 100 km/h em 8,8 segundos, enquanto a velocidade máxima é de 222 km/h.

Balanço final

Balanço Final (8/10) A Skoda Octavia Break é uma das melhores carrinhas familiares do mercado. Nesta quarta geração acrescentou um design atrativo e reforço tecnológico a argumentos pelos quais é conhecida como espaço, sentido prático e soluções inteligentes. Tudo isto acompanhado por um motor 2.0 TDI eficiente e com potência mais do que suficiente para uma utilização diária. Por fim, a Skoda Octavia Break começa nos 36 655 €.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, Diesel

Cilindrada (cm3): 1968

Diâmetro x Curso (mm): 81 x 95,5

Taxa de Compressão: 16

Potência máxima (CV/rpm): 150 / 3000 e 4200

Binário máximo (Nm/rpm): 360 / 1600 e 2750

Transmissão: automática de 7 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo semi-rígido (barra de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos 

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 8,8

Velocidade máxima (km/h): 222

Consumos misto (l/100 km): 4,5

Emissões CO2 (gr/km): 118 g/km 

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4689/1829/1468

Distância entre eixos (mm): 2686

Largura de vias (fr/tr mm): 1587/1577

Peso (kg): 1600

Capacidade da bagageira (l): 640

Deposito de combustível (l): 50,8

Pneus (fr/tr): 205/55 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 37955€
Preço da versão base (Euros): 36655€