Toyota Aygo X Undercover – Ensaio Teste

By on 28 Outubro, 2023

O novo Toyota Aygo X Undercover é um citadino inspirado no crossover, neste caso com uma edição limitada de um designer de moda. É um pequeno automóvel bem mais exclusivo que os seus irmãos Play, Pulse e Envy, os vários níveis de equipamento.
O que a edição Undercover tem a mais é um expressivo design by Jun Takahashi um designer que funde arte, streetwear e subculturas musicais entres os pingos da chuva da sua atividade na moda de alta gama em Paris.
Pensou num design original e inconfundível para o Toyota Aygo X, com as jantes em liga leve de 18’’ e os arcos de roda oversize a darem ao Aygo X um belo aspeto.
De resto, o Toyota Aygo X é um crossover muito compacto, ágil, fácil de guiar, claramente um automóvel pensado para o ambiente urbano, provavelmente um dos últimos moicanos em termos de carros pequenos, que as marcas se distanciam cada vez mais.
Este Aygo X Undercover tem um motor de três cilindros e 998 cm³, 72 cv, suficientes para o carro se ‘despachar’ bem na cidade, o seu meio-ambiente predileto.
É ágil na estrada, versátil, mas esqueça o espaço atrás de forem mais do que crianças pequenas. Depende do condutor e passageiro da frente, claro, mas no meu caso dificilmente mais do que uma criança cabe atrás de mim.
Este novo Aygo X é 235 mm mais comprido do que o seu antecessor, embora a distância entre eixos tenha aumentado apenas 90 mm.

Exterior

8/10

O Aygo X é um crossover bem atraente, a a carroçaria bicromática é original e dá um interessante caráter ao carro. As jantes grandes ajudam à postura do carro, e este aygo X ganhou muito com a sua passagem de hatchback para uma carroçaria crossover.
O carro tem um aspeto compacto, com muitos detalhes interessantes como por exemplo a silhueta do capot, as molduras das embaladeiras, as rodas muito chegadas à frente, as janelas traseiras inclinadas. É um automóvel com uma forte identidade individual.

Interior

6/10

O espaço é exíguo, mas não se podia esperar muito mais de um automóvel deste tipo.
À frente, nada a dizer o espaço chega e sobra para se encontrar uma boa posição de condução, mas apesar de ser um cinco portas, o acesso à traseira é limitado, e também o espaço para as duas pessoas que lá se podem sentar. O espaço para as pernas é muito apertado, especialmente se na frente o condutor for mais alto, mas em altura não há grandes crise. Já a bagageira tem 231 litros, bem razoável.
De resto, o carro está muito bem servido de tecnologia, com o Toyota Smart Connect num bom ecrã tátil de alta definição de 9″, bem integrado na consola central, com tudo o que é preciso, num sistema que devolve uma boa experiência ao utilizador.
O chassis tem características adicionais de segurança passiva, tais como reforços estruturais para absorção de impactos, de modo a garantir ainda mais segurança.
A insonorização é boa, a Toyota revela que o carro foi construído com a utilização extensiva e a otimização de materiais de isolamento acústico para criar um habitáculo mais silencioso.

Equipamento

7/10

O Aygo X ‘normal’ a versão play, começa nos 18.010€, o motor é o mesmo em todas as versões, o 1.0G a gasolina, neste caso com caixa manual de 5 velocidades, tendo como principal equipamento de série os espelhos retrovisores exteriores aquecidos, espelhos retrovisores exteriores elétricos,
Sensor de luz, Assistência de Condução Inteligente (LTA), Luzes de Máximos com Controlo Automático (AHB), Sistema de Pré-Colisão (PCS) com assistência de interseção, Sistema de Pré-Colisão (PCS) com deteção de peões e ciclistas e Ecrã multimédia de 7″.
O Aygo X pulse MT Hatchback 5 Portas já acrescenta ar condicionado manual, custa 19.010€, O Aygo X pulse CVT Hatchback 5 Portas tem o mesmo equipamento base mas caixa de velocidades CVT, custa a partir de 20.160€, O Aygo X envy MT Hatchback 5 Portas tem mais equipamento, o sistema “Smart Entry & Start”, custa a partir de 22.120€, este Aygo X Undercover que testámos é também um Hatchback de 5 Portas, tem como equipamento Espelhos retrovisores exteriores aquecidos, Espelhos retrovisores exteriores elétricos, Sensor de chuva, Sensor de luz, Sistema “Smart Entry & Start”, Assistência de Condução Inteligente (LTA), Luzes de Máximos com Controlo Automático (AHB) e Sistema de Pré-Colisão (PCS) com assistência de interseção, custa a partir de 22.490€, e há ainda o
Aygo X envy CVT Hatchback 5 Portas com o mesmo equipamento mas ciaxa de velocidades automática CVT, custa a partir de 23.490€.
O carro está equipado com vários recursos de segurança melhorados, o T-Mate combina o sistema Toyota Safety Sense com outras tecnologias ativas de direção e assistência ao estacionamento.

Consumos

7/10

O consumo é um dos fortes argumentos do Aygo X. Sem grandes preocupações numa boa combinação de estrada e cidade fizemos 5.6l/100 Km, quando a Toyota anuncia um consumo combinado WLTP de 4.9 l/100 km. Já um longo percurso que fizemos somente em cidade, fizemos 6,3 l/100 km, o que é muito bom. O carro é muito leve, tem pouco mais de 1.000 Kg e isso nota-se bem na agilidade e como se percebe, nos consumos.
Não o levei para autoestrada, fora do ambiente urbano, não faz sentido por regra, mas na pouca autoestrada que fiz, o carro não se envergonha nada a rodar bem entre os 120 e 130, mais do que isso, já se esforça bem mais.

Ao Volante

7/10

Para guiar na cidade o Aygo X é pouco menos que perfeito: é pequeno, tem 72 cv que chegam e sobram para as ‘encomendas’, é ágil, pequeno, gasta pouco, arruma-se quase em qualquer lado, é confortável, anda bem em estrada, a suspensão absorve bem as irregularidades e a posição de condução é bem alta para o carro que é.
O que destaco é mesmo a agilidade, no contexto a potência do motor é mais do que suficiente para conduzir a cidade, ainda que se ‘incline’ ligeiramente em curvas mais fechadas, a caixa de velocidades manual é algo que ainda gostamos de ter, até se conseguem melhores consumos assim do que com a CVT, embora a diferença não seja muita, segundo me garantem.
A direção é leve e precisa, talvez estas rodas de 18 polegadas sejam um pouco grandes, mas a verdade é que o carro guia-se bastante bem assim.
Fora disso, em estrada ou ainda menos auto-estrada, é um ‘martírio’ de tão lento…
É um automóvel totalmente virado para a cidade.

Motor

6/10

O motor do Aygo X é um 3 cilindros, com 998 cm³, 72 cv, que não é nada guloso, conseguindo-se facilmente consumos de 5.6l/100 Km, talvez até um pouco menos com um pouco de mais cuidado. com 72 cv não é um portento a andar, mas chega bem para o carro que é.

Balanço Final

7/10

O Aygo é um automóvel citadino muito interessante. Até o pormenor da posição de condução mais alta ‘ajuda à festa’, pois permite ‘navegar’ melhor no trânsito citadino.
O carro é bonito, peca pelo espaço nos bancos de trás, o que significa que um condutor com 1,85m, vai dificultar bastante o lugar atrás de si. Está muito bem equipado de série, a gama começa nos 18.010€ e vai até aos 23.490€, é confortável,tem muita e boa tecnologia.

Concorrentes

O Toyota Aygo X Cross não se compara a modelos de outras marcas, como aconteceu com o Aygo 2018 (a Toyota teve um acordo de colaboração com o Grupo PSA, agora Stellantis, do qual também operava o Citroën C1 e o Peugeot 108). A plataforma fabricada no Aygo 2022 é uma variante do GA-B que a Toyota emprega nos Yaris e Yaris Cross, com uma seção posterior reduzida e uns voladizos mais curtos.
Por conceito e tamanho, os modelos que mais se parecem são o Fiat Panda Cross e o Suzuki Ignis, com carros também ligeiramente acima dos níveis elevados. Destes, o Toyota é o mais barato (ficha comparativa), mas é o único que não tem o distintivo ECO da DGT, o que pode ser um inconveniente em poucos lugares agora e mais no futuro.
Se nos atermos apenas à longitude da carroceria (3,70 metros), então há mais alternativas (lista de turismos de até 3,80 metros de longitude) e algumas delas são mais baratas, como o Fiat 500, o Hyundai i10 , o Kia Picanto ou o Mitsubishi Space Star.

Ficha Técnica

 

Motor 1.0 Gasolina, 3 cilindros em linha 998 cm³
Potência máxima 72 cv / 53 kW
Binário máximo 93 Nm
Potência máxima 72 cv / 53 kW
Potência máxima 6.000 rpm
Binário máximo 93 Nm às 4.400 rpm
Posição transversal dianteira
Injeção de combustível Injeção indireta.
Paragem/arranque automático do motor (“Stop/Start”) Sim
Tração dianteira
Caixa de 5 velocidades Manual

Performance e consumo de combustível
Velocidade máxima 158 km/h
Aceleração 0-100 km/h 14,9 s
Consumo de combustível WLTP
Combinado 4,9 l/100 km
Emissões de CO₂ WLTP 110 g/km

Dimensões, peso, capacidades
Número de portas 5
Comprimento 3700 mm
Largura 1740 mm
Altura 1525 mm
Distância entre eixos 2.430 mm
Peso 1,015 kg
Depósito de combustível gasolina 35 litros
Volume da bagageira com uma fila de bancos disponível 829 litros
Volume mínimo com duas filas de bancos disponíveis 231 litros
Número de lugares sentados 4,
Chassis
Estrutura da suspensão dianteira Tipo McPherson
Mola da suspensão dianteira Mola helicoidal
Estrutura da suspensão traseira Elemento de torção da roda
Barra estabilizadora dianteira
Tipo de travões dianteiros Disco ventilado
Tipo de travão traseiro Tambor
Direção Tipo Cremalheira e pinhão, assistência Elétrica
Círculo de viragem entre bermas 9,4 m
Pneus dianteiros 175/60 R18 85H
Pneus traseiros 175/60 R18 85H
Jantes dianteiras e traseiras 5 x 18

 

Mais/Menos


Mais

Exclusividade
Design
Consumos
Equipamento

Menos

Espaço
Motor

Preços


Preço da versão ensaiada (Euros): 22490€

Preço da versão base (Euros): 18009€

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

O Aygo X é um crossover bem atraente, a a carroçaria bicromática é original e dá um interessante caráter ao carro. As jantes grandes ajudam à postura do carro, e este aygo X ganhou muito com a sua passagem de hatchback para uma carroçaria crossover.
O carro tem um aspeto compacto, com muitos detalhes interessantes como por exemplo a silhueta do capot, as molduras das embaladeiras, as rodas muito chegadas à frente, as janelas traseiras inclinadas. É um automóvel com uma forte identidade individual.

Interior

O espaço é exíguo, mas não se podia esperar muito mais de um automóvel deste tipo.
À frente, nada a dizer o espaço chega e sobra para se encontrar uma boa posição de condução, mas apesar de ser um cinco portas, o acesso à traseira é limitado, e também o espaço para as duas pessoas que lá se podem sentar. O espaço para as pernas é muito apertado, especialmente se na frente o condutor for mais alto, mas em altura não há grandes crise. Já a bagageira tem 231 litros, bem razoável.
De resto, o carro está muito bem servido de tecnologia, com o Toyota Smart Connect num bom ecrã tátil de alta definição de 9″, bem integrado na consola central, com tudo o que é preciso, num sistema que devolve uma boa experiência ao utilizador.
O chassis tem características adicionais de segurança passiva, tais como reforços estruturais para absorção de impactos, de modo a garantir ainda mais segurança.
A insonorização é boa, a Toyota revela que o carro foi construído com a utilização extensiva e a otimização de materiais de isolamento acústico para criar um habitáculo mais silencioso.

Equipamento

O Aygo X ‘normal’ a versão play, começa nos 18.010€, o motor é o mesmo em todas as versões, o 1.0G a gasolina, neste caso com caixa manual de 5 velocidades, tendo como principal equipamento de série os espelhos retrovisores exteriores aquecidos, espelhos retrovisores exteriores elétricos,
Sensor de luz, Assistência de Condução Inteligente (LTA), Luzes de Máximos com Controlo Automático (AHB), Sistema de Pré-Colisão (PCS) com assistência de interseção, Sistema de Pré-Colisão (PCS) com deteção de peões e ciclistas e Ecrã multimédia de 7″.
O Aygo X pulse MT Hatchback 5 Portas já acrescenta ar condicionado manual, custa 19.010€, O Aygo X pulse CVT Hatchback 5 Portas tem o mesmo equipamento base mas caixa de velocidades CVT, custa a partir de 20.160€, O Aygo X envy MT Hatchback 5 Portas tem mais equipamento, o sistema “Smart Entry & Start”, custa a partir de 22.120€, este Aygo X Undercover que testámos é também um Hatchback de 5 Portas, tem como equipamento Espelhos retrovisores exteriores aquecidos, Espelhos retrovisores exteriores elétricos, Sensor de chuva, Sensor de luz, Sistema “Smart Entry & Start”, Assistência de Condução Inteligente (LTA), Luzes de Máximos com Controlo Automático (AHB) e Sistema de Pré-Colisão (PCS) com assistência de interseção, custa a partir de 22.490€, e há ainda o
Aygo X envy CVT Hatchback 5 Portas com o mesmo equipamento mas ciaxa de velocidades automática CVT, custa a partir de 23.490€.
O carro está equipado com vários recursos de segurança melhorados, o T-Mate combina o sistema Toyota Safety Sense com outras tecnologias ativas de direção e assistência ao estacionamento.

Consumos

O consumo é um dos fortes argumentos do Aygo X. Sem grandes preocupações numa boa combinação de estrada e cidade fizemos 5.6l/100 Km, quando a Toyota anuncia um consumo combinado WLTP de 4.9 l/100 km. Já um longo percurso que fizemos somente em cidade, fizemos 6,3 l/100 km, o que é muito bom. O carro é muito leve, tem pouco mais de 1.000 Kg e isso nota-se bem na agilidade e como se percebe, nos consumos.
Não o levei para autoestrada, fora do ambiente urbano, não faz sentido por regra, mas na pouca autoestrada que fiz, o carro não se envergonha nada a rodar bem entre os 120 e 130, mais do que isso, já se esforça bem mais.

Ao volante

Para guiar na cidade o Aygo X é pouco menos que perfeito: é pequeno, tem 72 cv que chegam e sobram para as ‘encomendas’, é ágil, pequeno, gasta pouco, arruma-se quase em qualquer lado, é confortável, anda bem em estrada, a suspensão absorve bem as irregularidades e a posição de condução é bem alta para o carro que é.
O que destaco é mesmo a agilidade, no contexto a potência do motor é mais do que suficiente para conduzir a cidade, ainda que se ‘incline’ ligeiramente em curvas mais fechadas, a caixa de velocidades manual é algo que ainda gostamos de ter, até se conseguem melhores consumos assim do que com a CVT, embora a diferença não seja muita, segundo me garantem.
A direção é leve e precisa, talvez estas rodas de 18 polegadas sejam um pouco grandes, mas a verdade é que o carro guia-se bastante bem assim.
Fora disso, em estrada ou ainda menos auto-estrada, é um ‘martírio’ de tão lento…
É um automóvel totalmente virado para a cidade.

Concorrentes

O Toyota Aygo X Cross não se compara a modelos de outras marcas, como aconteceu com o Aygo 2018 (a Toyota teve um acordo de colaboração com o Grupo PSA, agora Stellantis, do qual também operava o Citroën C1 e o Peugeot 108). A plataforma fabricada no Aygo 2022 é uma variante do GA-B que a Toyota emprega nos Yaris e Yaris Cross, com uma seção posterior reduzida e uns voladizos mais curtos.
Por conceito e tamanho, os modelos que mais se parecem são o Fiat Panda Cross e o Suzuki Ignis, com carros também ligeiramente acima dos níveis elevados. Destes, o Toyota é o mais barato (ficha comparativa), mas é o único que não tem o distintivo ECO da DGT, o que pode ser um inconveniente em poucos lugares agora e mais no futuro.
Se nos atermos apenas à longitude da carroceria (3,70 metros), então há mais alternativas (lista de turismos de até 3,80 metros de longitude) e algumas delas são mais baratas, como o Fiat 500, o Hyundai i10 , o Kia Picanto ou o Mitsubishi Space Star.

Motor

O motor do Aygo X é um 3 cilindros, com 998 cm³, 72 cv, que não é nada guloso, conseguindo-se facilmente consumos de 5.6l/100 Km, talvez até um pouco menos com um pouco de mais cuidado. com 72 cv não é um portento a andar, mas chega bem para o carro que é.

Balanço final

O Aygo é um automóvel citadino muito interessante. Até o pormenor da posição de condução mais alta ‘ajuda à festa’, pois permite ‘navegar’ melhor no trânsito citadino.
O carro é bonito, peca pelo espaço nos bancos de trás, o que significa que um condutor com 1,85m, vai dificultar bastante o lugar atrás de si. Está muito bem equipado de série, a gama começa nos 18.010€ e vai até aos 23.490€, é confortável,tem muita e boa tecnologia.

Mais

Exclusividade
Design
Consumos
Equipamento

Menos

Espaço
Motor

Ficha técnica

 

Motor 1.0 Gasolina, 3 cilindros em linha 998 cm³
Potência máxima 72 cv / 53 kW
Binário máximo 93 Nm
Potência máxima 72 cv / 53 kW
Potência máxima 6.000 rpm
Binário máximo 93 Nm às 4.400 rpm
Posição transversal dianteira
Injeção de combustível Injeção indireta.
Paragem/arranque automático do motor (“Stop/Start”) Sim
Tração dianteira
Caixa de 5 velocidades Manual

Performance e consumo de combustível
Velocidade máxima 158 km/h
Aceleração 0-100 km/h 14,9 s
Consumo de combustível WLTP
Combinado 4,9 l/100 km
Emissões de CO₂ WLTP 110 g/km

Dimensões, peso, capacidades
Número de portas 5
Comprimento 3700 mm
Largura 1740 mm
Altura 1525 mm
Distância entre eixos 2.430 mm
Peso 1,015 kg
Depósito de combustível gasolina 35 litros
Volume da bagageira com uma fila de bancos disponível 829 litros
Volume mínimo com duas filas de bancos disponíveis 231 litros
Número de lugares sentados 4,
Chassis
Estrutura da suspensão dianteira Tipo McPherson
Mola da suspensão dianteira Mola helicoidal
Estrutura da suspensão traseira Elemento de torção da roda
Barra estabilizadora dianteira
Tipo de travões dianteiros Disco ventilado
Tipo de travão traseiro Tambor
Direção Tipo Cremalheira e pinhão, assistência Elétrica
Círculo de viragem entre bermas 9,4 m
Pneus dianteiros 175/60 R18 85H
Pneus traseiros 175/60 R18 85H
Jantes dianteiras e traseiras 5 x 18

 

Preço da versão ensaiada (Euros): 22490€
Preço da versão base (Euros): 18009€