Toyota Corolla SD 1.8 Hybrid – Ensaio Teste

By on 12 Novembro, 2020

Toyota Corolla SD 1.8 Hybrid – Ensaio Teste

Texto: João Isaac

O Corolla nunca desilude. Nem o pouco visto Sedan

Doze gerações depois e com cerca de 45 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, o nome Corolla nada tem a provar ao mercado, ainda que deste se tenha ausentado enquanto se fez representar no segmento pelo Auris. Mas perante uma concorrência cada vez mais forte e eletrificada, o Corolla deve manter-se atento. Pusemo-lo à prova na versão topo de gama da elegante carroçaria Sedan.


Mais:

Qualidade geral vs. preço; consumo baixo; equipamento e garantia.

Menos:

Acesso limitado à bagageira.

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) O Toyota Corolla está disponível em três formatos de carroçaria distintos e este SD, de sedan, é, sem dúvida, o menos visto. É também o mais elegante, argumento que nem o hatchback nem a mais familiar Touring Sports conseguem igualar. E para além do mais clássico formato de três volumes, destaca-se igualmente deles pela secção dianteira, com para-choques, grelha e iluminação de desenho específico. Tratando-se da versão de topo Luxury, como o que ensaiámos, o Corolla passa a contar com jantes de 18 polegadas.

Interior

Interior (8/10) Quer o tablier quer as portas usam materiais agradáveis ao toque. Apenas nas zonas onde as mãos raramente vão é que encontramos outros mais rijos. A sensação global é de durabilidade e robustez, sendo que a nível de acabamentos apenas o compartimento do apoio de braço merecia um pouco mais de atenção. O painel de instrumentos é parcialmente digital, predominando os tons azuis, em linha com a eficiência do propulsor híbrido. No entanto, selecionando-se o modo Sport, o velocímetro muda para vermelho. Gostámos da posição de condução e também do conforto do banco traseiro, onde até o lugar central é bastante utilizável. A mala oferece 471 litros de capacidade, não sendo assim o volume um problema. Já o acesso é mais complicado, como é costume em carroçarias de três volumes.

Equipamento

Equipamento (8/10) O Corolla Sedan está disponível em três níveis de equipamento, Comfort, Exclusive e Luxury, este último aquele associado ao “13-ZV-95” que conduzimos. Assim, a este topo de gama não lhe faltam elementos como o volante e os bancos em pele aquecidos, à frente e atrás, o carregador sem fios para smartphones, o alerta de ângulo morto e os sensores de estacionamento. Transitam dos níveis abaixo outros como a iluminação LED, os vidros escurecidos, a câmara traseira e os sensores de chuva.

Consumos

Consumos (8/10) Mantendo o Corolla no modo de condução mais eficiente, bem como utilizando-o quase exclusivamente em ambiente citadino, é bastante fácil registar médias de consumo idênticas à do nosso teste em que o computador de bordo mostrou 4,4 l/100 km. Na verdade, acreditamos que com o devido empenho, tomando atenção ao fluxo de energia, maximizando a eficiência do sistema híbrido, é até possível conseguir médias mais baixas. Retirando o Corolla da cidade, e conduzindo ao ritmo normal de tráfego, também com autoestrada pelo meio, fechámos o ensaio com média de 5,1 l/100 km.

Ao volante

Ao volante (7/10) Já falámos da boa posição de condução bem como da eficiência do propulsor híbrido. Falemos por isso do comportamento, avaliação em que o Corolla se destaca pelo chassis muito equilibrado, fruto da nova plataforma com suspensão independente às quatro rodas. Dinamicamente, o Corolla é uma proposta muito competente e é também capaz de manter o conforto de rolamento em bom nível, mesmo quando equipado com pneus de baixo perfil e jantes grandes como a unidade em ensaio. Relativamente à já muito debatida questão do funcionamento da transmissão do tipo CVT, pode até ser verdade que durante as acelerações mais fortes o facto de o motor se manter fixo nos médios-altos regimes torna a experiência um pouco desagradável. Mas é igualmente verdade que isso é um comportamento pontual, numa ou noutra situação, como uma ultrapassagem. Em 90% do tempo de condução, nem se dá por isso.

Concorrentes

Hyundai Ioniq Hybrid, 1580 cc, gasolina + elétrico, 141 cv, 265 Nm; 0-100 km/h em 10,5 seg,; 185 km/h; 4,5 l/100 km; 104 gr/km de CO2; 27 906 euros

Motor

Motor (7/10) A principal avaliação a fazer numa proposta como esta diz respeito ao consumo, ao qual dedicamos sempre um capítulo do nosso artigo. As performances não são, num veículo full hybrid como este, a prioridade. Mas também não podemos dizer que estas o limitem no seu desempenho. Longe disso, na verdade, pois com uma velocidade máxima de 180 km/h e uma aceleração de 0 a 100 km/h em 11 segundos, o Corolla Sedan Hybrid com motor 1.8 e 122 cavalos possui um desempenho mais do que ajustado às necessidades diárias do condutor comum. É verdade que o Sedan é o único Corolla da gama que não pode dispor do mais recente dois litros híbrido de 184 cavalos, mas também não precisa.

Balanço final

Balanço final (8/10) Gostos não se discutem e as necessidades de cada um, também não. Naturalmente que o formato mais clássico deste três volumes não pode agradar a todos. E é também indiscutível que quer o Corolla de 5 portas, quer a station Touring Sports, são propostas mais versáteis, especialmente a última. Mas é realmente uma pena que o mais elegante dos Corolla seja apenas responsável por cerca de 9% das vendas nacionais acumuladas do modelo em 2020. Um formato cada vez menos visto, mas que na família Corolla partilha com os demais a eficiência do motor, uma lista de equipamento apelativa (mesmo na versão de acesso), a qualidade de construção e uma cada vez mais valorizada garantia, neste caso de 7 anos, 10 para a bateria híbrida.

Ficha técnica

Motor Tipo: 4 cilindros em linha, injeção indireta, gasolina + motor elétrico Cilindrada (cm3): 1798 Diâmetro x Curso (mm): 80,5 x 88,3 Taxa de Compressão: 13:1 Potência máxima (CV/rpm): 122/n.d. Binário máximo (Nm/rpm): n.d./n.d. Transmissão: automática do tipo CVT Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente Suspensão (ft/tr): independente, tipo McPherson/independente, triângulos duplos Travões (fr/tr): discos ventilados/discos Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 11 Velocidade máxima (km/h): 180 Consumo misto (l/100 km): 5,0 Emissões CO2 (gr/km): 113 Dimensões e pesos Comprimento/Largura/Altura (mm): 4630/1780/1435 Distância entre eixos (mm): 2700 Largura de vias (fr/tr mm): n.d. Peso (kg): 1500 Capacidade da bagageira (l): 471 Deposito de combustível (l): 43 Pneus (fr/tr): 225/40 R18 Preço da versão base (Euros): 28.990 Preço da versão ensaiada (Euros): 33.490

Preço da versão ensaiada (Euros): 33490€
Preço da versão base (Euros): 28990€