Toyota GT-86 Black Touch Edition – Ensaio Teste

By on 12 Maio, 2020

Toyota GT-86 Black Touch Edition

Texto: José Manuel Costa ([email protected])

Fôlego final

O GT-86 foi uma excelente ideia, mas uma oportunidade perdida para a Toyota. A base era excelente, mas a evolução não aconteceu e os 200 CV foram ficando cada vez mais fracos face à concorrência e o GT-86 passou de putativo sucesso para um insucesso com o pico de vendas a surgir em 2013 com 6.080 unidades (na Europa), caindo a pique até 2019 onde foram vendidos, apenas, 920 unidades. Voltamos ao GT-86 naquele que é o seu fôlego final, a edição Black Touch Edition, rica em equipamento e oferecida com caixa manual ou automática. Ainda e sempre um dos carros mais divertidos jamais feitos pela Toyota e uma raridade pois o motor é atmosférico.

Conheça toda as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Comportamento, Agilidade    

Menos:

Interior, falta de potência

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação 7/10

O GT-86 sempre foi um carro interessante em termos de estilo, mas também seria difícil errar no desenho de um coupé desportivo, mesmo que estivéssemos numa época em que a Toyita andava por caminhos escuros com pouca imaginação no seu tocava ao estilo. Não é um ganhador de prémios de beleza, longe disso, mas pelo menos é interessante. A qualidade sempre foi boa, sem espalhafato e por isso a opinião será sempre positiva.

Interior

Pontuação 7/10

O interior é minimalista e simples com os bancos colocados muito em baixo e com o volante colocado de forma ideal. A alavanca da caixa está ali à mão de semear, o travão de mão… é de mão e frente a nós temos o conta rotações, tudo o resto deixa de ser importante. Até porque não é todos os dias que vemos uma escala até ás 7400 rpm sem “red line”. O toque mais moderno é dado pelo sistema de navegação colocado ao centro. No GT-86 não há o refinamento de um Audi TT ou de um Mercedes. E se puxar o banco para diante para colocar alguma coisa nos pequenos bancos traseiros ou mesmo uma criança, não há regresso automático à posição inicial. Saudades desse tempo! O sistema de info entretenimento está melhor, mas está longe dos melhores do segmento. Seja como for, o interior é acolhedor, tem um equipamento muito completo e até uma mala com alguma capacidade e os bancos traseiros servem para levar duas crianças em curtas viagens.

Equipamento

Pontuação 8/10

O GT-86 tem jantes de liga leve de 17 polegadas, ar condicionado de dupla zona, acesso e arranque mãos livres, vidos elétricos, sensores de chuva e luz. Depois pode optar pelas pinturas metalizadas (entre 500 e 750 euros) e… nada mais, pois o sistema de navegação é de série, como o cruise control, ligação Bluetooth e conectividade. Enfim, um equipamento muito completo nesta Black Touch Edition.

Consumos

Pontuação 6/10

A Toyota reclama menos de 10 litros por cada centena de quilómetros e a verdade é que é possível andar nos 9 litros por cada 100 km, desde que com alguns cuidados, mas a verdade é que explorando o que o bloco tem para dar, chegar aos 12 litros é simples. E nem sequer é ofensivo olhando ao prazer que oferece.

Ao volante

Pontuação 9/10

A peça que controla o GT-86 é o condutor que, com maior ou menor audácia, pode usar o ESP ou desligá-lo e desfrutar de tudo o que este Toyota tem para dar. Impressiona o fato de podermos andar a 30 km/h numa qualquer marginal, ou a fundo em estradas sinuosas onde o GT-86 se porta perfeitamente. Apanhado o jeito, andar de lado é uma tarefa facílima ao volante do GT-86, seja a que velocidade for. Com o bónus de permitir andar de lado a velocidades relativamente baixas. E nem é preciso provocá-lo! O GT-86 é um carro muito divertido, muito eficaz e competente e onde encontrar defeitos é tentar descobrir um cabelo em casca de ovo.

Concorrentes

Audi TT 40 TFSI 1984 c.c. turbo a gasolina; 197 CV; 320 Nm; 0-100 km/h em 6,6 seg,; 250 km/h; 6,1 l/100 km, 137 gr/km de CO2; 50.202 euros

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

 

Mazda MX-5 RF 1998 c.c. gasolina; 181 CV; 205 Nm; 0-100 km/h em 6,9 seg,; nd km/h; 6,9 l/100 km, nd gr/km de CO2; 39.313 euros

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

Pontuação 8/10

O motor é um boxer atmosférico com 2.0 litros a debitar 200 CV que chegam às rodas traseiras através de uma caixa manual de seis velocidades (ou automática de seis). É pouca potência, mas a sua faixa de utilização é boa e permite desfrutar das capacidades dinâmicas do carro sem a menor dificuldade. Não vai além dos 226 km/h e acelera dos 0-100 km/h em 7,7 segundos. É verdade, nada de impressionante. Mas que interessa isso?! Nada! Absolutamente nada! O GT-86 é um carro feito por alguém que tem a paixão do automóvel, com um chassis absolutamente espetacular e muito natural, ou seja, não há pneus super aderentes ou sistemas eletrónicos para melhorar o comportamento.

Balanço final

Pontuação 8/10

Lançado em 2012, a Toyota renovou-o em 2016 e foi adicionando séries especiais que culminam nesta Black Touch Edition que é o canto do cisne para o GT-86. Revisitei-o com prazer, pois apesar de estar (muito) ultrapassado em termos de potência de motor, tem virtudes próprias que não vou esquecer. No global, o GT-86 continua a ser um carro super divertido de conduzir, muito eficaz, mas sem o glamour ou a desução de outros desportivos. É uma pena que a Toyota tenha falhado a renovação do carro, que terá sucessor, mas diferente e mais musculado. Resta saber se o GT-86 tinha de ser assim para fazer sentido ou se é verdade que o carro é um ato falhado. Para mim, é um carro que vai deixar saudades e está longe de um aro falhado e só tenho pena do preço continuar a ser elevado e suspeitar que como usado continuará caro.

Ficha técnica

Motor

Tipo: 4 cilindros boxer, injeção direta

Cilindrada (cm3): 1580

Diâmetro x Curso (mm): 86 x 86

Taxa de Compressão: 12,5

Potência máxima motor térmico (CV/rpm): 205/7000

Binário máximo motor térmico (Nm/rpm): 212/6400 – 6600 T

ransmissão: traseira com caixa manual de 6 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente duplo triângulo/independente eixo multibraços

Travões (fr/tr): discos ventilados

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 7,7

Velocidade máxima (km/h): 226

Consumos misto (l/100 km): 9,8

Emissões CO2 (gr/km): nd

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4234/1775/1285

Distância entre eixos (mm): 2570

Largura de vias (fr/tr mm): 1519/1539

Peso (kg): 1258 Capacidade da bagageira (l): 195

Deposito de combustível (l): 50 Pneus (fr/tr): 225/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 41990€
Preço da versão base (Euros): 41990€