Volkswagen Golf 2.0 TSI DSG GTI – Ensaio

By on 22 Setembro, 2017

Volkswagen Golf 2.0 TSI DSG GTI

Texto: Francisco Cruz

Quase perfeito!

Embora com uma existência que já ultrapassa as quatro décadas, o icónico Volkswagen Golf GTI está bem, e recomenda-se! E, ainda mais, depois da actualização operada já este ano, que, a par de algumas alterações na estética e equipamento, mais potência e binário, veio ajudar a realçar igualmente a maturidade e traquejo que o modelo já apresenta. Suficientes para se assumir como uma proposta quase perfeita.

Percursor de uma categoria até aí pouco explorada, mas na qual continua sendo uma das principais referências, a verdade é que o Volkswagen Golf GTI é, hoje em dia, aquilo que qualquer hatchback desportivo gostaria de ser: um modelo intemporal, que tem sabido envelhecer como poucos, cada vez melhor e mais maduro. E que, também por esse motivo, tem conseguido conquistar uma cada vez mais extensa falange de fãs e admiradores, independentemente do ritmo a a que as gerações se sucedem.

Actualmente desafiado por adversários de valor, como é o caso de protagonistas como o Honda Civic Type R, o Ford Focus RS ou o Peugeot 308 GTI, e já com vários outros no horizonte, como acontece com o promissor Hyundai i30 N, nada disto parece afectar um modelo que é, ele próprio e apesar dos anos que já leva, uma quase instituição – no prazer e facilidade de condução que oferece, na eficácia e segurança que garante, na imagem que transmite. Aspectos, aliás, todos eles reforçados com a renovação a que o “velhinho”, mas também cada vez mais experiente, Volkswagen Golf GTI, foi submetido, já este ano…

Não apenas para pilotos; para condutores

Tendo por base aquela que é sétima geração do modelo de maior sucesso alguma vez fabricado pela marca de Wolfsburgo, a primeira conclusão que há retirar da actualização operada nesta versão GTI é que, mais do que um esforço no sentido de tornar o modelo mais radical, o objectivo definido – e plenamente alcançado, diga-se! – terá sido apurar-lhe a competência, a versatilidade, o compromisso. Dotando-o não apenas de uma imagem e sensações mais refinadas, como também de uma maior capacidade de atracção a todos os públicos – não apenas os “pilotos” de ocasião e que gostam de “viver no fio da navalha”, mas todos os condutores que, apaixonados pela imagem e sensações transmitidas pelos verdadeiros desportivos, não possuem, ou julgam possuir, aptidões de autêntico piloto de corridas. Desejando, nada mais, que poder acelerar, de quando em vez, com segurança, prazer e, já agora, se possível, algum conforto…

E se o leitor é um dos incontáveis membros desse extenso lote de potenciais interessados, então, saiba, desde já, que o Golf GTI é, cada vez mais, o carro ideal para si – não só pela potência e prazer de condução que garante, pela agilidade e facilidade com que se deixa conduzir, mas também pela maturidade que, enquanto automóvel completo, cada vez mais evidencia…

 Tendo por base um inflamado quatro cilindros 2,0 litros turbocomprimido, agora com a potência aumentada em 15 cv, para os 245 cv, e um binário máximo fixado nos 370 Nm, é com acelerações que chegam a ser arrebatadoras, que o renovado Golf GTI se anuncia. Garantindo, também graças a uma caixa automática DSG de dupla embraiagem e sete velocidades, quase perfeita nas passagens e na rapidez (e com patilhas no volante), prestações elevadas e que passam, desde logo, por uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em não mais que 6,2 segundos, ou por uma velocidade máxima anunciada de 248 km/h.

Igualmente a pensar nestes momentos de maior intensidade e adrenalina, que, d resto, fazem parte da realidade de qualquer desportivo que se preze, um sistema de modos de condução com opção Sport (ou então o totalmente configurável “Individual”), que aqui ajuda acentuar a faceta mais desportiva e explosiva deste renovado GTI, permitindo ao 2.0 TSI que lhe está na base, subidas de regime num ápice e, em particular, a partir das 4.000 rpm. Com a sonoridade, igualmente trabalhada, a convidar, de forma ainda mais intensa e presente, ao aproveitamento das excelentes capacidades do binómio caixa/motor, penalizada apenas nos consumos – é que médias que facilmente ultrapassam os 10 l/100 km não são para qualquer um!

E a facilidade com que se conduz!…

Mas se o 2.0 TSI surpreende pela imensa capacidade de aceleração e resposta, quase levando a acreditar – pelo menos, nos primeiros quilómetros – que o melhor mesmo é ter cuidado com a “arma” colocada debaixo do pé direito, a verdade é que, ainda mais surpreendente, é a forma fácil, embora rápida, como este GTI se deixa conduzir. Somando à agilidade e rapidez de processos garantida pela nova plataforma MQB, uma racionalidade e facilidade no cumprimento dos desejos do condutor, que quase nos deixa de boca aberta.

Revelando um excelente compromisso entre eficácia e conforto, entre agressividade e maturidade, graças também ao contributo de soluções como o diferencial autoblocante electrónico XDS colocado no eixo dianteiro (precisamente o que que gere toda a potência), o bloqueio mecânico do diferencial traseiro com acionamento eletro-hidráulico um sistema ESP com controlo de tracção atento (e, por vezes, interventivo até demais!), torna-se fácil sentirmo-nos dotados quando aos comandos deste GTI. O qual, graças também ao bom chassis e suspensão adaptativa, assim como a uma direcção progressiva excelente na precisão e tacto, mas também a uma travagem eficaz (com discos ventilados, maiores à frente) e, no caso da unidade por nós testada,  uns eficazes pneus Pirelli PZero 235/35 R19, rapidamente nos ajuda a ganhar confiança para ritmos mais elevados, como colabora para uma eficácia maior do desempenho.

No entanto e para uma utilização descontraída no dia-a-dia, a possibilidade de optar por funcionamentos menos exigentes, seleccionando no mesmo botão colocado sobre o túnel de transmissão modos de condução como “Comfort” ou “Eco”. O primeiro, configurando parâmetros como a direcção, motor, diferencial, controle adaptativo de distância e velocidade (ACC), luzes de curva dinâmicas, climatização e até o som emanado das duas ponteiras de escape, para percursos mais longos e cumpridos de forma mais descontraída, ao passo que o segundo, mais vocacionado para uma utilização em cidade, onde o aparecimento do Stop&Start é mais necessário – quanto mais não seja, para poupar um pouco nos consumos!

Equipamento? Tem (quase) tudo!

 Aliás e a pensar também numa vida mais intensa e confusa em cidade, um equipamento muito completo ao qual não faltam tecnologias como os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, detetor de fadiga, sistema de travagem anti-colisões múltiplas, monitor de pressão de pneus, cruise control adaptativo com “Front Assist” e sistema de reconhecimento de peões, e travão de parque elétrico com função Auto Hold. Ou ainda mais-valias como o pacote “Lights & Vision”, sinónimo da inclusão de espelho retrovisor interior com função anti-encandeamento, luzes de condução automáticas com funções “Leaving-Home” e função manual “Coming-Home”, e sensor de chuva.

A tudo isto, junta-se ainda a iluminação exterior em LED (os faróis dianteiros com luzes de curva dinâmicas), jantes em liga leve “Milton Keynes” de 18″, discos dos travões com pinças a vermelho, spoiler traseiro e duas ponteiras de escape nas extremidade da carroçaria, painel de instrumentos totalmente digital “Active info display”, bancos dianteiros desportivos também com regulação lombar, volante multifunções (com regulação em altura e profundidade) em couro, alavanca de velocidades revestida também a couro, ar condicionado automático “Climatronic”, indicador multifunções “Premium”, App Connect e sistema de navegação “Discover Media”, com ecrã táctil a cores de 8″, leitores de CD e cartões SD, interface USB compatível com iPod/iPhone, tomada AUX-IN, 8 altifalantes, recepção FM, mapas da Europa, Bluetooth, “Volkswagen Media Control” e serviço Car-net “Guide&Inform” com contrato por 3 anos. Sem esquecer, no domínio da condução e da segurança, os já referidos bloqueio electrónico do diferencial XDS e bloqueio mecânico do diferencial com acionamento eletro-hidráulico, a direção progressiva, Programa Eletrónico de Estabilidade, além da não menos importante extensão da garantia geral cinco anos (2+3 anos) ou 90.000 km).

Desta forma, opcionais, mesmo num carro com praticamente tudo o que é possível ter, pouco mais que a pintura especial (151€), a câmara de ajuda ao estacionamento traseiro (216€), os vidros laterais e traseiro escurecidos e com 65% de absorção da luz (284€), o Bluetooth Premium (460€), o sistema de navegação mais evoluído “Discover Pro” (788€) e as também já citadas jantes em liga leve Brescia de 19″ (594€). Equipamentos que, em conjunto, acabam representando quase 2.500€ dos 53.226€ que unidade por nós testada custava.

Interior cuidado e personalizado

No entanto e igualmente a contribuir para o atenuar do peso de um preço que, infelizmente, não é para todos os portugueses, um habitáculo a transparecer óptima qualidade de construção e de revestimentos, uma óptima ergonomia e até funcionalidade, além de uma habitabilidade em tudo idêntica à dos outros Golf – suficiente para, por exemplo, transportar, com espaço e conforto, até cinco ocupantes. Embora, saliente-se como argumento acrescido, mais personalizada, graças a elementos como os revestimentos da parte central dos bancos no já tradicional xadrez escocês, os pespontos a linha vermelha nos mesmos bancos, volante e fole da caixa de velocidades, ou até mesmo os pedais e apoio de pé esquerdo em metal e borracha. Ainda que, neste caso, partilhados com o GTD.

Situação idêntica acontece, de resto, na bagageira, onde é possível a mesma capacidade de carga das versões standard, com um valor inicial de 380 litros, ainda que facilmente aumentável até aos 1.270 litros, mediante o rebatimento fácil e quase na horizontal das costas dos bancos traseiros. Mantendo-se igualmente todas as soluções de funcionalidade já conhecidas, como, por exemplo, o piso amovível e ajustável em altura, que na posição mais alta garante um alçapão a toda a dimensão do espaço. Embora com pneu sobressalente de dimensões reduzidas a servir de piso…

Estética discreta, mas impossível de não reparar

Também a atenuar o avultado investimento inicial, um visual exterior que, embora avesso a desnecessárias exuberâncias, não deixa de ser marcante e personalizado. Resultado, também, de pormenores únicos, a grande maioria na cor vermelha, como é o caso da barra que atravessa toda a grelha frontal “favo de abelha” e continua pelas agressivas ópticas; das pinças dos discos de travão com a sigla GTI a branco; ou dos emblemas GTI, não apenas na grelha frontal e portão da bagageira, como também nos flancos. E a que se juntam as um tudo-nada mais exuberantes ponteiras de escape, redondas e metalizadas, nas extremidades da carroçaria.

Em suma, um conjunto que nos facilmente nos prende o olhar, não escondendo que se trata, efectivamente, de um Golf muito especial!…

Resumindo…

Desportivo quase perfeito, tem não apenas no enorme motor e fantástico desempenho, mas principalmente na maturidade e facilidade com que se entrega à condução, argumentos mais do suficientes para continuar a pontificar por mais 40 anos. No entanto e não satisfeito com isso, junta-lhe ainda uma estética cativante, óptima qualidade de construção e uma extensa panóplia de equipamento – forma de garantir que, mesmo perante a concorrência mais determinada, tem ainda muitos trunfos para jogar!…

[Configure o seu próprio VW Golf GTI: AQUI]

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – Quatro cilindros em linha, com injecção elctrónica, turbocompressor e intercooler

Cilindrada (cm3) – 1.984

Diâmetro x curso (mm) – 82.5×92.8

Taxa compressão – 9,6:1

Potência máxima (cv/rpm) – 245/5.000-6.200

Binário máximo (Nm/rpm) – 370/1.600-4.300

Transmissão, direcção, suspensão e travões

Transmissão e direcção – Dianteira, com caixa automática DSG de dupla embraiagem e sete velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr) – Tipo McPherson; Eixo multibraços

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos ventilados

Prestações e consumos 

Aceleração: 0-100 km/h (s) – 6,2

Velocidade máxima (km/h) – 248

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 6,1/8,8/7,1

Emissões de CO2 (g/km) – 163

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm) – 4,268/1,799/1,482

Distância entre eixos (mm) – 2,626

Largura das vias (fr/tr) (mm) – 1.549/1.521

Peso (kg) – 1.615

Capacidade da bagageira (l) – 380/1.270

Depósito de combustível (l) – 50

Pneus (fr/tr) – 225/40 R18/225/40 R18

Preço da versão ensaiada (Euros) – 53.226,54€

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz