Volvo XC60 T6 AWD Recharge – Ensaio Teste

By on 30 Abril, 2022

O formato familiar perfeito

Com um agregado familiar de quatro pessoas e com deslocações em ambiente urbano, com esporádicas escapadelas de fim-de-semana e de férias, o Volvo XC60 T6 Recharge revelou-se uma medida perfeita em termos de utilização, tanto no que diz respeito ao formato e ao conforto, como no desempenho do sistema híbrido plug-in. A Volvo sempre foi conhecida como uma marca de carrinhas, em que a segurança nunca saiu do topo da lista de assuntos no desenvolvimento de qualquer modelo, mas atualmente, o formato preferido passou a ser o dos SUV e o tema da segurança partilha agora o mesmo grau de importância com o da sustentabilidade. E é aqui que entra o SUV de tamanho médio da marca nórdica e o seu sistema híbrido plug-in.

Texto: André Mendes


Mais:

– Sistema híbrido
– Conforto
– Equipamento

Menos:

– Autonomia em modo elétrico
– Preço

Exterior

7/10

Não tão grande como um XC90, nem tão compacto como um XC40. Já seria de esperar, olhando para os números da designação. Mas o tamanho 60 é o que nos parece mais de acordo com a maioria das famílias e com a utilização que mais gostamos de fazer. Os 4,7 metros de comprimento convivem muito bem com a maioria dos ambientes citadinos que utilizámos e do ponto de vista estético este é também o modelo que parece oferecer as melhores proporções, num misto de elegância escandinava, com a robustez de um SUV, que se faz descolar em perfeito silêncio em boa parte do tempo.

Interior

7/10

A imagem típica da Volvo que já conhecemos de tantos outros modelos está também presente neste XC60, o que pode não ser muito inovador, mas é bastante prático e funcional, sem grandes desafios em busca de alguns dos comandos que utilizamos mais vezes. Em termos de espaço, há medidas mais do que suficientes, tanto nos lugares da frente como nos traseiros, onde se aprecia da melhor forma a iluminação que entra pelo teto panorâmico. Os assentos têm um elevado nível de conforto e os nossos ouvidos gostaram da companhia do sistema de som da Harman/Kardon presente na unidade ensaiada. Entre os elementos mais originais, destaque para o novo painel de instrumentos totalmente digital e com um grafismo atualizado, mas também para o comando da caixa em vidro, produzido pela Orrefors Sweden e que é iluminado nos momentos de condução noturna.

Equipamento

6/10

Com o nível de equipamento Inscription, o recheio deste Volvo X60 já é bastante completo e nem sequer falta a nova atualização do sistema multimédia que permite ser integrada com a nossa conta do Google, tal como se fosse mais um gadget que podemos comandar com o telefone, ou aceder às nossas configurações do Google Maps, por exemplo. Com a unidade ensaiada, no entanto, ainda estavam presentes alguns pacotes de equipamento, num valor de três mil euros, e elementos mais específicos, perfeitos para quem transporta crianças nos lugares traseiros, tais como o fecho de segurança elétrico para as portas traseiras (117 €), os vidros traseiros escurecidos (461 €) e os muito práticos bancos de criança integrados (283 €), que se montam em frações de segundo e dispensam aquele assento que é do tamanho da base de uma cadeira, para quando eles começam a ficar mais crescidos e já gostam de ir espreitando pela janela para ver o que se passa lá fora.

Consumos

8/10

Em termos de gasto de combustível, a presença de um sistema híbrido plug-in faz com que seja possível circular durante bastante tempo em modo 100% elétrico, o que deixa a média de consumo indicada pelo computador de bordo nos 0,0 litros a cada 100 quilómetros durante bastante tempo. Com uma deslocação diária até cerca de 50 quilómetros e com a possibilidade de carregar a bateria em casa, em 99% dos casos acreditamos que se consegue circular uma semana inteira sem sequer ligar o motor de combustão. Com uma utilização correta, a marca anuncia uma média de 2,4 litros aos 100, mas com alguns quilómetros sem carga nas baterias e usando o motor de combustão para as carregar em deslocações de autoestrada, por exemplo, acabámos por conviver com uma média em torno dos 8,5 litros. O ideal, no entanto, é conseguir ter sempre carga na bateria e conseguir estender a média de 0,0 litros no máximo tempo possível. E daqui a muito pouco tempo, isto vai ser ainda mais simples, pois os próximos modelos da marca a chegar ao mercado, já vão contar com uma autonomia em modo elétrico mais próxima dos 100 quilómetros.

Ao Volante

6/10

Somando quilómetros ao totalizador, e além da excelente posição de condução, é o conforto que mais se destaca no XC60. O perfil 55 dos pneus nem deixam perceber que também temos jantes com 19 polegadas de diâmetro e mesmo quando a qualidade do piso é daquelas que já pede obras há algumas décadas, a serenidade a bordo mantém-se inalterada, deixando-nos apenas aproveitar o silêncio extra para melhor usufruir do sistema de som. Nos momentos mais dinâmicos, o XC60 não demonstra que não foi pensado para essas coisas, mas, na realidade, não foi mesmo. Este é o SUV perfeito para transportar a família com o máximo de segurança e conforto, seja para ir comprar pão ou para viajar pela Europa, ou mesmo na rotina de todos os dias.

Motor

8/10

O bloco de dois litros a gasolina, com quatro cilindros, oferece uma potência máxima de 253 cavalos, o que já não é nada mal para um modelo deste tamanho, mas nesta versão T6 Recharge ainda adiciona o motor elétrico de 87 cavalos a este conjunto, o que se traduz num total de 340 cavalos de potência combinada e com tração nas quatro rodas, o que também acaba por dar uma ajuda no capítulo da dinâmica.

Balanço Final

7/10

Com dois miúdos de idades diferentes e quatro rotinas que nada têm a ver uma com a outra, foram perfeitamente acompanhadas pelo XC60 T6, que também não precisa de tempos eternos para carregar a bateria, mesmo que seja numa tomada doméstica. O nível de conforto e o espaço disponível a bordo são quase uma extensão do ambiente que temos em casa e se não fossem os mais de 73 mil euros que a unidade ensaiada custa, o ideal era mesmo nem o devolver. Ou então, trocar pela versão R-Design, de visual mais desportivo.

Concorrentes

Audi Q5 50 TFSIe quattro S tronic
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo, potência: 299 cavalos; consumo médio: 1,5 l/100km; preço base: 67.581 €

BMW X3 xDrive 30e
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, potência: 292 cavalos; consumo médio: 2,0 l/100km; preço base: 65.500 €

Mercedes-Benz GLC 300e 4Matic
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, potência: 333 cavalos; consumo médio: 2,2 l/100km; preço base: 65.700 €

Ficha Técnica

Motor
Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, gasolina, turbo
Cilindrada (cm3): 1.969
Potência máxima (CV/rpm): 87+253/5500
Binário máximo (Nm/rpm): 240+350/n.d.
Tração: às quatro rodas
Transmissão: Geartronic de 8 velocidades
Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): Triângulos sobrepostos / Eixo integral
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 5,9
Velocidade máxima (km/h): 180
Consumos misto (l/100 km): 2,4
Emissões CO2 (gr/km): 54

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.708/1.902/1.653
Distância entre eixos (mm): 2.865
Largura de vias (fr/tr mm): 1.653/1.657
Peso (kg): 2.161
Capacidade da bagageira (l): 468
Deposito de combustível (l): 70
Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 73.657 €
Preço da versão base (Euros): 65.373 €

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Não tão grande como um XC90, nem tão compacto como um XC40. Já seria de esperar, olhando para os números da designação. Mas o tamanho 60 é o que nos parece mais de acordo com a maioria das famílias e com a utilização que mais gostamos de fazer. Os 4,7 metros de comprimento convivem muito bem com a maioria dos ambientes citadinos que utilizámos e do ponto de vista estético este é também o modelo que parece oferecer as melhores proporções, num misto de elegância escandinava, com a robustez de um SUV, que se faz descolar em perfeito silêncio em boa parte do tempo.

Interior

A imagem típica da Volvo que já conhecemos de tantos outros modelos está também presente neste XC60, o que pode não ser muito inovador, mas é bastante prático e funcional, sem grandes desafios em busca de alguns dos comandos que utilizamos mais vezes. Em termos de espaço, há medidas mais do que suficientes, tanto nos lugares da frente como nos traseiros, onde se aprecia da melhor forma a iluminação que entra pelo teto panorâmico. Os assentos têm um elevado nível de conforto e os nossos ouvidos gostaram da companhia do sistema de som da Harman/Kardon presente na unidade ensaiada. Entre os elementos mais originais, destaque para o novo painel de instrumentos totalmente digital e com um grafismo atualizado, mas também para o comando da caixa em vidro, produzido pela Orrefors Sweden e que é iluminado nos momentos de condução noturna.

Equipamento

Com o nível de equipamento Inscription, o recheio deste Volvo X60 já é bastante completo e nem sequer falta a nova atualização do sistema multimédia que permite ser integrada com a nossa conta do Google, tal como se fosse mais um gadget que podemos comandar com o telefone, ou aceder às nossas configurações do Google Maps, por exemplo. Com a unidade ensaiada, no entanto, ainda estavam presentes alguns pacotes de equipamento, num valor de três mil euros, e elementos mais específicos, perfeitos para quem transporta crianças nos lugares traseiros, tais como o fecho de segurança elétrico para as portas traseiras (117 €), os vidros traseiros escurecidos (461 €) e os muito práticos bancos de criança integrados (283 €), que se montam em frações de segundo e dispensam aquele assento que é do tamanho da base de uma cadeira, para quando eles começam a ficar mais crescidos e já gostam de ir espreitando pela janela para ver o que se passa lá fora.

Consumos

Em termos de gasto de combustível, a presença de um sistema híbrido plug-in faz com que seja possível circular durante bastante tempo em modo 100% elétrico, o que deixa a média de consumo indicada pelo computador de bordo nos 0,0 litros a cada 100 quilómetros durante bastante tempo. Com uma deslocação diária até cerca de 50 quilómetros e com a possibilidade de carregar a bateria em casa, em 99% dos casos acreditamos que se consegue circular uma semana inteira sem sequer ligar o motor de combustão. Com uma utilização correta, a marca anuncia uma média de 2,4 litros aos 100, mas com alguns quilómetros sem carga nas baterias e usando o motor de combustão para as carregar em deslocações de autoestrada, por exemplo, acabámos por conviver com uma média em torno dos 8,5 litros. O ideal, no entanto, é conseguir ter sempre carga na bateria e conseguir estender a média de 0,0 litros no máximo tempo possível. E daqui a muito pouco tempo, isto vai ser ainda mais simples, pois os próximos modelos da marca a chegar ao mercado, já vão contar com uma autonomia em modo elétrico mais próxima dos 100 quilómetros.

Ao volante

Somando quilómetros ao totalizador, e além da excelente posição de condução, é o conforto que mais se destaca no XC60. O perfil 55 dos pneus nem deixam perceber que também temos jantes com 19 polegadas de diâmetro e mesmo quando a qualidade do piso é daquelas que já pede obras há algumas décadas, a serenidade a bordo mantém-se inalterada, deixando-nos apenas aproveitar o silêncio extra para melhor usufruir do sistema de som. Nos momentos mais dinâmicos, o XC60 não demonstra que não foi pensado para essas coisas, mas, na realidade, não foi mesmo. Este é o SUV perfeito para transportar a família com o máximo de segurança e conforto, seja para ir comprar pão ou para viajar pela Europa, ou mesmo na rotina de todos os dias.

Concorrentes

Audi Q5 50 TFSIe quattro S tronic
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, turbo, potência: 299 cavalos; consumo médio: 1,5 l/100km; preço base: 67.581 €

BMW X3 xDrive 30e
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, potência: 292 cavalos; consumo médio: 2,0 l/100km; preço base: 65.500 €

Mercedes-Benz GLC 300e 4Matic
Motor: quatro cilindros, 2.0 litros, potência: 333 cavalos; consumo médio: 2,2 l/100km; preço base: 65.700 €

Motor

O bloco de dois litros a gasolina, com quatro cilindros, oferece uma potência máxima de 253 cavalos, o que já não é nada mal para um modelo deste tamanho, mas nesta versão T6 Recharge ainda adiciona o motor elétrico de 87 cavalos a este conjunto, o que se traduz num total de 340 cavalos de potência combinada e com tração nas quatro rodas, o que também acaba por dar uma ajuda no capítulo da dinâmica.

Balanço final

Com dois miúdos de idades diferentes e quatro rotinas que nada têm a ver uma com a outra, foram perfeitamente acompanhadas pelo XC60 T6, que também não precisa de tempos eternos para carregar a bateria, mesmo que seja numa tomada doméstica. O nível de conforto e o espaço disponível a bordo são quase uma extensão do ambiente que temos em casa e se não fossem os mais de 73 mil euros que a unidade ensaiada custa, o ideal era mesmo nem o devolver. Ou então, trocar pela versão R-Design, de visual mais desportivo.

Ficha técnica

Motor
Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, gasolina, turbo
Cilindrada (cm3): 1.969
Potência máxima (CV/rpm): 87+253/5500
Binário máximo (Nm/rpm): 240+350/n.d.
Tração: às quatro rodas
Transmissão: Geartronic de 8 velocidades
Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente
Suspensão (ft/tr): Triângulos sobrepostos / Eixo integral
Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s): 5,9
Velocidade máxima (km/h): 180
Consumos misto (l/100 km): 2,4
Emissões CO2 (gr/km): 54

Dimensões e pesos
Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.708/1.902/1.653
Distância entre eixos (mm): 2.865
Largura de vias (fr/tr mm): 1.653/1.657
Peso (kg): 2.161
Capacidade da bagageira (l): 468
Deposito de combustível (l): 70
Pneus (fr/tr): 235/55 R19

Preço da versão ensaiada (Euros): 73.657 €
Preço da versão base (Euros): 65.373 €

Preço da versão ensaiada (Euros): 73.657€
Preço da versão base (Euros): 65.373€