Ensaio: Lexus IS 300h F Sport+

By on 24 Maio, 2017

A Lexus tem o condão de conceber modelos que se demarcam da concorrência pelas suas linhas. O IS 300h segue a mesma linhagem e fomos conhecê-lo na versão F Sport+. Em traços gerais, quando falamos da sigla F Sport+ aplicada ao Lexus IS 300h referimo-nos a acrescentos estilísticos: inserções alusivas à versão nas laterais; jantes de liga leve de 18″ específicas com acabamentos escurecidos; faróis dianteiros Tri-LED com lava faróis integrados e espelhos retrovisores eletrocromáticos (escurecimento automático) com aquecimento, memória e recolhimento automático. Tudo num conjunto com maior pendor estético atribuído à dianteira, com uma grelha embutida num pára-choques de linhas definidas e objetivas na intenção. Um “olá” rasgado de personalidade e convidativo que rapidamente gera agrado.

Um contraste de sensações aquando no interior. Apesar de cómodo, apresenta-se tendencialmente estreito e com apontamentos específicos desta versão, como a faixa que dá vida ao porta-luvas e às portas no zona dos botões para regular os espelhos e vidros, de gosto bastante discutível. Após nos colocarmos a gosto, o conforto e posição de condução proporcionados pelos bancos dianteiros F Sport, em pele, ventilados e de ajuste elétrico com oito posições e memória (o do condutor) trazem uma nota mais, num habitáculo pouco entusiasmante, em cor e arrojo, e que contrasta com as linhas exteriores, que em comparação parecem de outro campeonato.

Ao volante

Feitas as apreciações gerais, é sob a proposta híbrida escondida sob o capot que gira o IS 300h F Sport+. Iniciando a marcha no modo Eco cedo se perceciona que as rodas traseiras fazem avançar um conjunto algo generoso em peso (1795 kg) e que apesar de ser o modo direcionado para a otimização dos consumos, que se conseguem colocar na casa dos 6l, é no modo Normal que alcançamos o melhor compromisso para uma condução diária, entre entrega de potência e idas à bomba de gasolina.

O Drive Mode Select apresenta-nos ainda a opção Sport, naturalmente a mais viva e ideal para momentos de maior entusiasmo ao volante. Os 223 cv de potência combinada têm sempre uma entrega de vocação progressiva, com o barulho, fruto do sistema híbrido, a soar mais a tecnologia que a gasolina a trabalhar no escape, num conjunto em que a caixa automática E-CVT é algo modesta no desempenho da sua função.

Em condução o IS 300h F Sport+ permitir-nos rodar, tanto a ritmos mais calmos como elevados, sempre acompanhados pela sensação de segurança e estabilidade ao volante, e, se for o caso, garantindo-nos uma travagem pronta, mesmo em situações de maior urgência. O painel de instrumentos é muito completo em informações, enquanto o joystick que nos permite aceder e controlar as funcionalidades no ecrã central a cores de 10.3”, específico desta versão, se revela demasiado sensível ao toque e pouco prático, fazendo-nos facilmente andar a ‘dançar’ no menu sem nos dar o conforto da precisão no selecionar das opções. Curiosamente o botão rotativo das versões menos equipadas é muito mais funcional.

No fundo, falamos de um modelo permite encarar o dia a dia com elegância, com consumos adequados à luz das suas características e fazer viagens de maior distância sem quaisquer problemas e sempre ao ritmo de um belo Lexus, que reúne em seu torno muitos dos olhares exteriores.

André Duarte

Mais: imagem exterior; travagem; comportamento

Menos: caixa de velocidades; joystick da consola central

Ficha técnica

Motor de combustão – 4 cil., injeção direta, intercooler 2494 cc; elétrico – bateria de alta tensão
Potência motor gasolina 181 cv/6000 rpm e motor elétrico 143 cv (105 kW) – 223 cv potência combinada
Binário 221 Nm/4200-5400 rpm e 300 Nm
Transmissão traseira, E-CVTcaixa auto.
Suspensão independente à frente e atrás
Travagem DV/DV
Peso 1795 kg
Mala 450l
Depósito 66l
Vel. Máx. 200 km/h
Aceleração 0 aos 100 km/h 8,4s
Consumo médio 4,6 l/100 km
Consumo médio AutoSport 6,1l/100 km
Emissões CO2 107 g/km