Hyundai i30 SW 1.0 T-GDi 120 – Ensaio Teste

By on 9 Fevereiro, 2019

Hyundai i30 SW 1.0 T-GDi 120 cv

Texto: André Duarte ([email protected])

Uma agradável surpresa

A Hyundai tem refrescado bastante as suas linhas com o lançamentos das mais recentes gerações dos seus modelos. A Hyundai i30 SW não foge à regra, mas tem muito mais que apenas uma estética atraente. Descubra-a connosco nas próximas linhas…

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Imagem Exterior / Espaço / Condução / Conforto

 

 

Menos:

Plásticos no Interior / Ecrã tátil e sistema de infoentretenimento / Start&Stop muito intrusivo

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

A Hyundai i30 SW é um carrinha, que embora não se tratando de um modelo premium, não deixa por isso de motivar elogios pela fisionomia delgada e elegante. A frente destaca-se pela grelha Singlafreme, a que se unem os faróis. A lateral apresenta-nos um perfil fluido e a secção traseira está de acordo com tais premissas. No geral é um modelo que cativa com descrição.

Pontuação – 7

Interior

O interior é espaçoso, tanto nos lugares dianteiros como traseiros, revestido de materiais com alguma elegância, ainda que alguns plásticos, como junto de seletor e travão de mão, sejam rugosos e por isso pouco agradáveis ao toque. Os espaços de arrumação são bons, com aos locais existentes nas portas adaptados à colocação de, por exemplo, garrafas. Também a bagageira, com os seus 602l, revela-se muito generosa e permite a colocação da bagagem de, certamente, toda a família. Para qualquer eventualidade, com o rebatimento dos bancos (proporção 60:40) ficamos com 1650l de capacidade.

O ecrã tátil flutuante na consola central peca pela estética, ao surgir independente do tablier, e não é dos mais evoluídos em termos de funcionalidades e manuseamento. Ainda assim é competente nas opções que agrega: rádio; multimédia; localização atual; navegação; telefone; imagem; AUX; Android Auto; Apple CarPlay; Guia Rápido; Informações; Definições.

O volante multifunções permite-nos aceder a comandos por voz, gerir o volume, mudar de estação de rádio, aceder aos dados de viagem e ao mostrador no painel de instrumentos, que nos indica: distância percorrida; consumo médio e instantâneo; tempo de viagem; navegação; pressão dos pneus; alerta de atenção; manutenção na faixa de rodagem; travagem de emergência; aviso de colisão dianteira.

No geral, é um interior que agrada, pelas sensações de espaço, bem estar, a par de os bancos proporcionarem conforto e boa posição ao sentar, num habitáculo que consegue ter alguma elegância, mas sobretudo, pragmatismo.

 Pontuação – 7

Equipamento

Em termos de equipamento, os principais destaques são: cruise control com limitador de velocidade e comandos no volante; luzes de circulação diurna em LED; ajuda ao arranque em subidas; câmara de estacionamento traseira com linhas auxiliares dinâmicas; sensores de estacionamento traseiros; sinalizador de perda de pressão dos pneus; sistema de alerta de fadiga do condutor; sistema de controlo automático dos máximos; sistema de manutenção à faixa de rodagem; travagem autónoma de emergência e sistema de alerta de colisão dianteira;

Nota também para: iluminação em curva; faróis de nevoeiro dianteiros sensor de luz; apoio lombar do banco do condutor com ajuste elétrico; espelhos exteriores ajustáveis eletricamente, com aquecimento e ângulo amplo; espelhos exteriores rebatíveis eletricamente; integração de smartphone Apple Carplay e Android Auto; suporte para copos na consola central; tomada de 12V na consola central e bagageira.

Pontuação – 7

Consumos

O bloco 1.0l gasolina de 120 cv permite-nos fazer registos de 6,5l, sempre num ritmo cumpridor e sem exuberâncias. No entanto, sem tais precauções, facilmente podemos entrar na casa dos 7l aos 100 km. O ensaio foi realizado maioritariamente a solo, mas com companhia e bagagem, a casa dos 7l será, previsivelmente, a mais natural.

Pontuação – 6

Ao volante

A condução é muito agradável e em estrada oferece-nos um bom compromisso entre conforto e equilíbrio. A i30 SW com motor 1.0l não é para correrias, é sim para viajarmos a desfrutar da viagem. O ambiente interior acolhedor para isso contribui. No seu todo é um conjunto equilibrado, do conforto, ao rolamento em estrada, comportamento, travões e direção. A caixa manual de 6 velocidades também nos proporciona um bom manuseamento e gestão do motor.

Apenas o Start & Stop merece reparo negativo. É muito intrusivo e por vezes pode criar-nos problemas. Por exemplo, ao pararmos num cruzamento, o sistema por vezes desliga-nos o carro, demorando a responder para o voltarmos a ligar. Situações que, em cidade, podem assustar quem segue ao volante, porque o carro desliga-se sem estarmos à espera.

À parte disso, no global é uma carrinha talhada para viagens em família e, na verdade, não há nada de maior a apontar. Não deslumbra, nem desilude, assumindo-se como uma boa proposta.

Pontuação – 7

Concorrentes

Ford Focus 1.0 Ecoboost 125 cv ST Line – N.D. €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Kia Ceed 1.0 T-GDi SX – 23.940€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Peugeot 308 SW 1.2 PureTech 130 cv Style – 23.500€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Mégane Sport Tourer TCe 100 cv Zen – 23.280€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volkswagen Golf Variant 1.0 TSI 115 cv Trendline – 26.051€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Skoda Octavia Break 1.0 TSI 115 cv Ambition – 22.747€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Seat Leon ST 1.0 EcoTSI 115 cv Reference – 25.516€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

Cada vez mais os pequenos motores de 3 cilindros a gasolina são os que equipam carros de pequenas e de maiores dimensões. Movida por um pequeno motor 1.0l, podemos pensar que a Hyundai i30 SW carece de uma resposta à altura. Porém, somos agradavelmente surpreendidos ao perceber que, apesar de não ser naturalmente um motor vigoroso, o bloco 1.0l de 120 cv permite-nos viajar sem problemas, mesmo que levemos mais ocupantes e/ou bagagem. Por vezes podemos ter que puxar um bocadinho mais pelo motor, e ainda que a resposta possa demorar, este aguenta de forma competente as exigências. Em suma, o motor cumpre a sua função de forma muito digna, reagindo bem na maioria das situações.

Pontuação – 7

Balanço final

Elegância, espaço, conforto e prazer ao volante são premissas que resumem perfeitamente o agrado de utilização desta proposta da Hyundai, que tem na i30 SW um conjunto que é uma agradável surpresa.

Pontuação – 7

Ficha técnica

Motor

Tipo – gasolina, 3 cil. em linha, injeção direta, turbo, intercooler

Cilindrada (cm3) – 998

Diâmetro x curso (mm) – 71,0 x 84,0

Taxa de compressão – 10,0:1

Potência máxima (cv/rpm) – 120/6000

Binário máximo (Nm/rpm) – 171/1500 – 4000

Transmissão e direcção – dianteira, transmissão manual de 6 velocidades; pinhão cremalheira com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – Tipo McPherson à frente e Multi-Link atrás

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 11,4s

Velocidade máxima (km/h) – 188 km/h

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 4,9/6,5/5,5

Emissões de CO2 (g/km) – 125

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm) –  4585/1795/1475

Distância entre eixos (mm) – 2650

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1565/1573

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos maciços

Peso (kg) – 1245

Capacidade da bagageira (l) – 602 até 1650 (c/ bancos traseiros rebatidos)

Capacidade do depósito (l) – 50

Pneus (fr/tr) – 205/55 R16

Preço base (versão) (€) – 22.609€

Preço da versão base (Euros): 22609€