Kia Ceed 1.0 T-GDi TX 5p – Ensaio Teste

By on 16 Julho, 2018

Kia Ceed 1.0 T-GDi TX 5p

Texto: Francisco Cruz

Entrada na idade adulta

Tal como os seres humanos, também os automóveis têm um momento em que entram na idade adulta. Foi o que aconteceu com o Kia Ceed, que, nesta segunda geração, perdeu alguma da inocência da adolescência, para passar a ostentar uma imagem, uma postura, um posicionamento, mais adulto e maduro.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.

 

 


Mais:

Conforto / Equipamento / Habitabilidade

 

 

 

Menos:

 

Consumos / Insonorização do motor quando a frio / Inexistência de sistema de modos de condução

 

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Recentemente chegada a Portugal, pode dizer-se que a nova geração Kia Ceed chegou com “pézinhos de lã”, sem muita algazarra, um pouco à imagem daquilo que verdadeiramente é: uma evolução na continuidade, fundamentada nas certezas conquistadas ao longo do caminho já percorrido, mas também do percurso que tem pela frente, assim como dos argumentos que possui para o enfrentar.

Com uma estética exterior que dificilmente não agradará à maioria dos condutores portugueses, o novo Ceed não apenas perdeu alguns dos sinais da irreverência juvenil (como era o caso do nome todo em letra minúscula e da apóstrofe que separava o “c” do primeiro “e”), como ganhou alguns aspectos de “gente maior”. Entre os quais, uma nova frente a fazer lembrar o mais ambicioso Stinger, consequência das novas linhas da grelha “Tiger Nose” e das entradas de ar inferior e laterais, com aplicações em negro brilhante. Além de uma nova assinatura luminosa em LED, quatro pontos em redor do foco principal, a  recordar a iluminação tipo “Cubo de Gelo” estreada no Sportage. Tudo isto, no interior de uma óptica que se prolonga pela lateral, até à roda.

Com praticamente o mesmo comprimento (4,310 m) do antecessor, mas também mais largo (+20 mm), mais baixo (-23 mm) e com uma secção traseira mais comprida (+20 mm), o novo Kia Ceed, que tem por base a nova plataforma K2, adopta também uma lateral de linhas mais horizontais, com arcos das rodas desenhados e um pilar C mais largo, além de uma panóplia de jantes cujas dimensões variam entre as 15 e as 17 polegadas. Terminando numa traseira da qual sobressai não apenas farolins mais rasgados e a acentuar, tal como a frente, a largura do carro, como também um novo pára-choques, mais rebaixado, uma chapa de matrícula que passou do pára-choques para o portão da bagageira, e um novo spoiler traseiro.

Em suma, uma estética que acentua as linhas do antecessor, já com as marcas da nova linguagem inaugurada com o Gran Turismo Stinger…

Interior

Apostando num visual exterior mais maduro, o novo Kia Ceed repete esse princípio no interior do habitáculo. Onde, a par da já conhecida boa qualidade de construção e solidez, com um upgrade visível em termos de revestimentos, é possível encontrar ainda alterações nas linhas. Nesta nova geração, a procurarem exaltar a largura e o espaço, com pormenores diferenciadores como o ecrã táctil a cores do sistema de info-entretenimento, a “flutuar” destacado sobre o tablier, ou os botões junto à manche da caixa de velocidades, revestidos a um material emborrachado e mais agradável ao toque.

Num habitáculo onde não faltam as aplicações em metal e plástico negro brilhante, a promover uma maior sensação de qualidade, bancos em tecido mas que opcionalmente também podem ser em couro bicolor, os da frente a oferecerem bom apoio lateral e todos os ajustes imprescindíveis. Ao passo que o do condutor a garantir, igualmente e graças também à regulação em altura e profundidade do volante de óptima pega, uma posição de condução correcta, confortável. Proporcionando ainda um bom acesso a comandos (a consola central surge ligeiramente virada para o condutor), assim como visibilidade – a traseira, a pedir um pouco mais de habituação.

Quanto aos restantes ocupantes, passam a beneficiar de mais espaço, nomeadamente, nos lugares traseiros, onde o aumento das quotas ao nível dos ombros veio trazer mais largura para três ocupantes. Os quais dispõem ainda de mais espaço para as pernas.

Finalmente e quanto à bagageira, um aumento de 15 litros na capacidade de carga, a qual passa assim dos anteriores 380 litros, para os 395 litros. Isto, a juntar a um plano de carga mais baixo e de mais fácil acesso, culpa também da maior largura no acesso. Qualidades a que há ainda que acrescentar um alçapão por baixo do piso falso e a possibilidade de rebatimento das costas dos bancos traseiros 60/40, na horizontal e no seguimento do piso da mala.

Equipamento

Disponível entre nós com dois níveis de equipamento, SX e TX, o “nosso” Kia Ceed ostentava o pacote de equipamento mais completo. Ainda que, muitas das novas tecnologias de segurança e apoio à condução, como o Sistema Alerta de Condutor, Alerta de Colisão Frontal, Assistente de Manutenção em Faixa de Rodagem, ou os Faróis Máximos Automáticos, sejam presença assegurada, desde a versão de entrada SX.

De resto, o mesmo acontece com elementos de conforto como o Bluetooth, ligação USB, cruise control com limitador de velocidade, ecrã touchscreen, além das luzes diurnas em LED. Com o Kia Ceed a ser igualmente o primeiro carro do seu segmento a ser lançado com luzes DRL traseiras.

Como opção, a Kia Portugal disponibiliza ainda, nas versões com caixa DCT, o pack de segurança ADAS PLUS, o qual combina duas funções de assistência à condução (Assistente de Manutenção em Faixa de Rodagem + Cruise Control com manutenção de distância), para oferecer condução autónoma de Nível 2 – algo que também acontece, pela primeira vez, num Kia.

Com um dos melhores compêndios de equipamento de série do segmento, a faltar fica apenas o cada vez mais disseminado sistema de modos de condução. E, já agora, o saudoso pneu sobressalente…

Consumos

Disponível em Portugal com dois motores a gasolina – 1.0 T-GDi de 120 cv e 1.4 T-GDi de 140 cv – e dois Diesel – 1.6 CRDi de 115 e 136 cv -, o Kia Ceed com que fizemos este primeiro ensaio envergava, precisamente, a motorização de entrada, que o importador acredita poder vir a representar o grosso das vendas entre nós.

Acoplado de série a caixa manual de seis velocidades, este pequeno tricilindríco, que a Kia já tinha, de resto, em comercialização no nosso País, destaca-se, desde logo, por um desempenho agradável e desenvolto, particularmente, quando mantido acima das 2.000 rpm (abaixo disso, torna-se amorfo), características que acabam reflectindo-se nas prestações. Das quais fazem parte uma capacidade de aceleração dos 0 aos 100 km/h pouco acima dos 11 segundos, além de uma velocidade máxima anunciada de 190 km/h.

Pelo contrário, já não nos agradou tanto, a insonorização quando a frio, apesar da forma como o habitáculo combate os ruídos exteriores, e, ainda menos, os consumos: médias de 8 l/100 km, mesmo com uma utilização maioritariamente em cidade, é muito para uma proposta que viajou quase sempre com apenas o condutor a bordo. Sendo este um valor que nem mesmo os poucos quilómetros já feitos pela unidade por nós ensaiada desculpam…

 

Ao volante

Senhor de uma elogiável maturidade e evolução na imagem exterior, no interior do habitáculo e no equipamento, o novo Kia Ceed acentua essas mesmas características, no comportamento. Com o modelo nipónico a exibir conforto tão ou mais convincente que o do antecessor, acrescido de um desempenho dinâmico, este sim, sem dúvida, mais ágil e eficaz – mesmo não deixando de transparecer algumas oscilações da carroçaria, quando levado para lá dos limites.

Revisto nas suspensões, assim como na direcção, 17% mais directa que no modelo anterior,  o novo Ceed revela igualmente um bom compromisso entre peso e precisão no volante, a juntar a uma caixa manual de accionamento agradável, intuitivo e com bom tacto. Além de um sistema de travagem ao nível das necessidades e do qual faz, inclusivamente, parte, um travão de estacionamento electromecânico, ou seja, accionável por botão.

Ostentando uma postura claramente familiar e de qualidade, o novo Kia Ceed assume-se assim como uma proposta versátil, competente tanto numa utilização diária, maioritariamente pelo trânsito citadino, como nas viagens de fim-de-semana, com bagagens de toda a família. Momentos em que a descontracção na condução e o conforto oferecido pelo conjunto, certamente ajudarão a tornar mais breve e fácil qualquer deslocação.

Concorrentes

Renault Mégane TCe 130 cv GT Line, 10,6 0-100 km/h, 197 km/h, 5,5 l/100 km, 123 g/km CO2, 24.230,00€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Citroën C4 Cactus 1.2 PureTech 130 cv Shine, -, 208 km/h, 5,0 l/100 km, 113 g/km CO2, 22.256,89€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Opel Astra 1.0 Ecotec 105 cv Innovation, 11,2 0-100 km/h, 195 km/h, 4,5 l/100 km, 104 g/km CO2, 24.270,00€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Ford Focus 1.0 EcoBoost 125 cv ST Line, 12,0s 0-100 km/h, 192 km/h, 5,5 l/100 km, 125 g/km CO2, 17.615,00€ (com campanha)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Honda Civic 1.0 i-VTEC Turbo 129 cv Elegance Navi, 11,2s 0-100 km/h, 203 km/h, 5,1 l/100 km, 117 g/km CO2, 29.735,00€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Balanço final

Optando pelo princípio da “Evolução na Continuidade”, sem atitudes radicais, o novo Kia Ceed demonstra a entrada na idade adulta, através de uma melhoria das qualidades já (re)conhecidas: qualidade, conforto, habitabilidade, equipamento. E às quais junta agora uma condução mais cativante, além de mais dois motivos de alegria para os potenciais clientes deste óptimo segmento C: a garantia geral de 7 anos… e um preço de lançamento que começa nos 18.440 euros!

Ficha técnica

Motor

Tipo: 3 cilindros em linha, com injecção directa, turbocompressor e intercooler

Cilindrada (cm3): 998

Diâmetro x curso (mm): 71 x 84

Taxa de compressão: 10:1

Potência máxima (cv): 120

Binário máximo (Nm/rpm): 172

Transmissão, direcção, suspensão e travões

Transmissão e direcção: Dianteira, com caixa manual de seis velocidades; direcção elétrica, assistida

Suspensão (fr/tr): Independente do tipo McPherson; Eixo multibraços

Travões (fr/tr): Discos ventilados; discos

Prestações e Consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 190

Velocidade máxima (km/h): 11,1

Consumos urbano/extra-urbano/misto (l/100 km): 6,5/5,0/5,6

Emissões de CO2 (g/km): 128

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.310/1.800/1.447

Distância entre eixos (mm): 2.650

Largura das vias fr/tr (mm): 1.559/1.567

Peso (kg): 1.297

Capacidade da bagageira (l): 395/1.291

Depósito de combustível (l): 50

Pneus (fr/tr): 225/45 R17 / 225/45 R17

Preços incluem campanha de promoção

Preço da versão ensaiada (Euros): 22090€
Preço da versão base (Euros): 19590€

Deixe um comentário

Please Login to comment