Kia Ceed SW 1.6 CRDi – Ensaio Teste

By on 13 Fevereiro, 2019

Kia Ceed SW 1.6 CRDi

Texto: André Duarte ([email protected])

Séra Premium?

A Kia assume-se cada vez mais como uma marca com um posicionamento que por vezes se confunde, fruto de uma qualidade dos seus produtos muito apreciável. O título pode ser exagerado, mas a Ceed SW com motor 1.6 CRDI é uma proposta que marca muitos pontos.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Imagem Exterior / Espaço / Conforto / Motor

 

Menos:

Ecrã tátil e sistema de infoentretenimento

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Tanto nas versões carro como carrinha o Ceed é merecedor de elogios. As suas linhas são atuais e elegantes e não ficam a dever a modelos de segmentos superiores. O design é moderno, com pormenores como os faróis LED, luzes de circulação diurna “IceCub” à frente, frisos dos vidros cromados, barras de tejadilho, spoiler traseiro, pára-choques traseiro – que transmite a ideia de maior largura desta secção – e jantes de liga leve de 17 polegadas de dois tons a conferirem um ar bastante atraente a esta carrinha.

Pontuação – 8/10

Interior

O habitáculo não defrauda as expectativas exteriores, e destaca-se pela sensação de boa qualidade geral, seja nos materiais, seja na estética, moderna e elegante. O espaço interior é de nota para todos os ocupantes. Os bancos em pele – versão TX – a par dos frisos cromados a contornarem as saídas de ar condicionado, seletor, volante e tablier, atribuem requinte ao interior. Os pedais em alumínio também são um detalhe interessante. No geral, sentimos conforto dentro da Kia Ceed SW. Os locais de arrumação junto das portas e entre os bancos dianteiros não foram esquecidos, e apresentam boas dimensões. Já a bagageira – que tem dois espaços de arrumação sob o piso – tem 625l, o que dá para muito. Nela encontramos um conjunto de ganchos, redes de carga e sistema de calhas para acomodar melhor todos os nossos bens. Há ainda uma alavanca na bagageira para fazer rebater os bancos traseiros (proporção 60:40).

Já o ecrã tátil de 8 polegadas  destacado ao centro do tablier produz um efeito estético pouco agradável, a par de graficamente não ser dos mais evoluídos. Através deste podemos aceder aos seguintes menus: Telefone; Informações; Guia Rápido; Rádio; Localização Atual; Navegação; Definições; O meu menu; Nota de Voz. Já com o Kia Connected Services temos acesso a informações de trânsito em tempo real, de radares de velocidade, podemos fazer pesquisa local, ver o boletim meteorológico e ter informações de estacionamento e de postos de combustível.

Pontuação – 7/10

Equipamento

Mediante o nível de equipamento podemos ter os seguintes sistemas de assistência à condução: assistência à manutenção na faixa de rodagem; aviso de atenção do condutor; assistência à prevenção de colisões frontais; função de informação do limite de velocidade; deteção do ângulo morto; assistência à mudança de faixa; sistema de controlo da velocidade inteligente com função Stop & Go; assistência à circulação na faixa de rodagem; assistente das luzes de máximos; câmara de auxílio ao estacionamento; alerta de perigo de colisão à retaguarda sistema inteligente de auxílio ao estacionamento.

Entre os opcionais nota para: tecto de abrir panorâmico 950€; faróis dianteiros FULL LED + 600€; sistema de Som Premium JBL  500€; pack LEATHER 1900€; porta bagagens elétrico e automático 600€.

Pontuação – 7/10

Consumos

Os consumos são um traço distintivo. Viajámos maioritariamente a solo com esta proposta com motor 1.6 CRDi de 136 cv e fizemos um registo de 5,4l. Evidentemente que com mais pessoas e bagagem estes subirão, mas nunca serão algo de nos fazer recear.

Pontuação 7/10

Ao volante

A posição de condução é agradável e o volante multifunções tem uma boa pega, com as funcionalidades todas à mão.  Em estrada há um bom rolamento e um conforto que se revela em qualquer tipo de pisos. A suspensão reage bem, sendo mais talhada para o conforto que para a dinâmica, mas não deixando de ter um bom compromisso com o asfalto, onde tem um comportamento bastante sóbrio. Permite-nos andar depressa com segurança, e as suas dimensões, em que se destaca o comprimento de 4,60 m, são facilmente esquecidas. Na abordagem em curva o chassis suporta bem oscilações de massas e os passageiros circulam todos com qualidade. A direção poderia ser ligeiramente mais informativa e direta, mas ainda assim este é um reparo de pormenor, que facilmente passa despercebido. A caixa manual de 6 velocidades é de fácil manuseamento e através desta é possível fazer um gestão eficaz dos 136 cv da potência do conjunto. É uma proposta familiar, no seu todo, bastante consistente.

Pontuação – 7/10

Concorrentes

Ford Focus 1.5 TDCi 120 Titanium SW – 29.270€ (Ficha técnica)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Honda Civic 1.6 i-DTEC 120 Lifestyle Tourer – 31.927€ (Ficha técnica)

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Hyundai i30 1.6 CRDi 136 Style Station Wagon – 29.654€ (Ficha técnica)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

 

Opel Astra 1.6 CDTI 136 Innovation Sports Tourer – 31320€ (Ficha técnica)

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Mégane 1.6 dCi Energy Limited Sport Tourer – 30.330€ (Ficha técnica)

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Skoda Octavia 1.6 TDI 115 Style Break – 29.977€ (Ficha técnica)

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

O bloco a gásoleo 1.6 CRDi oferece-nos 136 cv, mas acima de tudo um binário máximo de 280 Nm a partir das 1500 rpm que nos faz ter corpo na resposta do motor desde baixos regimes. Algo que agrada em todo o tipo de utilização. A resposta não é exuberante, mas transmite-nos o conforto de um motor que tem sempre uma palavra a dizer e não se nega, mesmo que o peso – por maior número de ocupantes ou bagagem – seja maior. Um bloco Diesel muito racional, que se adequa à Kia Ceed SW, e nos permite consumos em conta, com uma resposta interessante. Um contexto de carrinha familiar em que números como os 10,2s dos 0 aos 100 km/h ou os 200 km/h de velocidade máxima passam claramente para segundo plano.

Pontuação – 7/10

Balanço final

A Kia Ceed SW com nível de equipamento TX posiciona-se com grande galhardia no mercado das carrinhas. Uma proposta que tem na imagem exterior, espaço e qualidade interior, motor e conforto os seus grandes trunfos. É um modelo que surpreende e que nos faz pensar: será premium?

Pontuação – 8/10

Ficha técnica

Motor

Tipo – gasóleo, 4 cil. em linha, injeção direta, turbo de geometría variável, intercooler

Cilindrada (cm3) – 1594

Diâmetro x curso (mm) – 77,2 x 84,5

Taxa de compressão – 10,0:1

Potência máxima (cv/rpm) – 136/4000

Binário máximo (Nm/rpm) – 280/1500 – 3000

Transmissão e direcção – dianteira, transmissão manual de 6 velocidades; pinhão cremalheira com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – Tipo McPherson à frente e Multi-Link atrás

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 10,2s

Velocidade máxima (km/h) – 200 km/h

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 4/4,7/4,3

Emissões de CO2 (g/km) – 111

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm) –  4600/1800/1465

Distância entre eixos (mm) – 2650

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1565/1573

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos maciços

Peso (kg) – 1449

Capacidade da bagageira (l) – 625

Capacidade do depósito (l) – 50

Pneus (fr/tr) – 195/65 R15

Preço base (versão) (€) (25.840€ – com atual campanha)

Preço da versão base (Euros): 31640€