Kia Stonic 1.6 CRDi TX – Ensaio Teste

By on 6 Fevereiro, 2019

Kia Stonic 1.6 CRDi TX

Texto:André Duarte ([email protected])

 Estilo em movimento

O Stonic marcou a entrada da Kia no segmento B-SUV, modelo que chegou em 2017 ao mercado nacional. Testámos a versão 1.6 CRDI e damos-lhe o veredito nas próximas linhas.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.

 


Mais:

Imagem Exterior / Motor / Condução

 

Menos:

Sistema Star&Stop muito intrusivo / Conforto / Preço

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior

O Stonic apresenta uma imagem jovem e apelativa, características que definem também o seu público, ou não fosse o modelo com maiores possibilidades de personalização alguma vez produzido pela marca, no exterior e no interior.

É um modelo que veste com elegância o traje de SUV, com a natural altura ao solo e plásticos nas cavas das rodas, zonas inferiores nas laterais e pára-choques traseiro, a par do difusor, a exibirem-se com um toque de leveza e harmonia. A isto junta-se a possibilidade de o tejadilho (incluindo os pilares A), spoiler traseiro e capas dos retrovisores serem personalizados numa cor diferente da carroçaria. Uma opção que marca pontos, a par das bonitas jantes. No geral, o Stonic apresenta uma imagem irreverente e que marca pela diferença, a qual lhe garante jovialidade e frescura.

Interior

O habitáculo é apelativo e a possibilidade de podermos escolher uma cor específica para os plásticos que contornam o ecrã central e o zona do seletor, são detalhes que cativam. O espaço é interessante, mais à frente do que atrás, em que três pessoas podem ir pouco à-vontade e a do lugar do meio sai penalizada em conforto. Na bagageira temos 332l que se estendem aos 1135l com os bancos rebatidos.

Ao centro do tablier temos o sistema de infoentretenimento com ecrã de 7 polegadas. Neste temos o sistema de navegação, a possibilidade de ligarmos um telemóvel via bluetooth – conta com Apple CarPlay e Android Auto de série – e sistema de reconhecimento de voz (podemos efetuar e receber chamadas, definir a navegação, ouvir mensagens de texto ou controlar o sistema áudio).

Através dos Kia Connected Services, há ainda a possibilidade de termos acesso a informações em tempo real de trânsito, radares de velocidades, pesquisas locais, como de restaurantes, e boletim meteorológico.

Equipamento

Na versão de equipamento de topo, como é o caso da do presente ensaio, encontramos todo o leque de sistemas de assistência à condução disponíveis: assistência ao arranque em subidas; gestão de estabilidade do veículo; controlo de travagem em curva; sistema de vetorização de binário; alerta de perigo de colisão à retaguarda; aviso de colisão a partir do ângulo morto; aviso de saída de faixa; assistente de máximos; aviso de atenção do condutor; assistência à prevenção de colisões frontais.

Entre os opcionais temos, por exemplo: iluminação LED encarnada na primeira fila de assentos 76,38€ e na segunda fila 80,98€; tapete de borracha para a bagageira 45,88€; rede separadora rigída 2ª fila de assentos/bagageira 225,66€; apoio de braços com caixa de arrumação 202,72€; protetor pára-choques traseiro escovado 74,64€; friso de proteção lateral 115,30€; barras de tejadilho 143,18€.

Consumos

Os consumos, numa condução cumpridora e dentro dos limites legais, cifram-se nos 5,8l aos 100 km. Porém, se tivermos uma condução mais entusiasmada, os valores sobem para a casa dos 6,8l. Num motor 1.6 diesel de 116 cv pedia-se que fossem ligeiramente mais em conta.

Ao volante

Ao volante o Kia Stonic é um modelo muito honesto. Para o bem e para o mal. O modelo transmite uma sensação de leveza em estrada, mas ao mesmo tempo de uma construção que deixa chegar ao habitáculo os ruídos exteriores. Em estrada é ágil, com um chassis e suspensão apontados à dinâmica e a transmitirem alguma rigidez, principalmente em curva. No interior há algum desconforto na transposição do mau piso, fruto de uma absorção algo seca das irregularidades por parte da suspensão. A caixa é crua, sentem-se as passagens na deslocação do seletor. Ao passo que direção e travões estão corretamente afinados.

Já o sistema Star&Stop revela-se muito intrusivo, desligando o carro em momentos que nos surpreendem e que nos fazem estar a ligá-lo rapidamente. Deveria ser mais cuidado na forma como opera.

No global há uma sensação de pureza, que se coaduna com o espírito jovem e irreverente deste modelo. Vive-se muito a condução que, no geral, é pouco filtrada em sensações, revestindo o modelo de uma grande jovialidade.

Concorrentes

Citroën C3 Aircross 1.5 BlueHDI Shine 100 cv – 20.618€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Fiat 500X 1.6 Multijet 120 S&S City Cross – 25.250€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Peugeot 2008 1.5 BlueHDi 120 cv CX. Aut. Allure – 28.645€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mazda CX-3 – N.D. €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

O motor 1.6l CRDi é um bloco de quatro cilindros com 116 cv. A potência está perfeitamente adequada à estrutura do modelo, com uma resposta que permite mesmo alguns momentos de euforia… controlada. Desde baixas rotações – o binário máximo de 280 Nm surge às 1500 rpm – que a resposta é sempre à altura das necessidades, seja no trânsito citadino ou autoestrada. Claro que esta é a proposta de topo, em motor e nível de equipamento – TX – que coloca o Stonic com um preço, fora de campanha, de 27.560€. Se obtarmos pelo bloco gasolina 1.0l turbo com 120 cv, os preços são de 22.810€. São 4750€ de diferença que podem facilmente fazer a balança para a proposta a gasolina.

Balanço final

O segmento B-SUV está na moda e todas as marcas querem ter uma palavra a dizer. A Kia apostou num modelo com uma imagem diferenciadora e uma condução jovial, onde até os pontos menos interessantes se revestem de um carácter que dão um toque de estilo ao Stonic. Esta é uma proposta competente para o dia a dia, quem tem na imagem o seu grande trunfo, aliado a um motor que permite uma resposta à altura com consumos equilibrados. O único senão deste Kia Stonic 1.6 CRDi TX é mesmo o preço em que a motorização diesel o coloca… fora de campanha.

Ficha técnica

Motor

Tipo – gasóleo, 4 cil. em linha, turbo de geometria variável e intercooler

Cilindrada (cm3) – 1598

Diâmetro x curso (mm) – 77,0 x 85,8

Taxa de compressão – 15,9:1

Potência máxima (cv/rpm) – 116/4000

Binário máximo (Nm/rpm) – 280/1500-2750

Transmissão e direcção – dianteira, transmissão manual de 6 velocidades; pinhão cremalheira com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – McPherson à frente e eixo de torção atrás

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 10,9s

Velocidade máxima (km/h) – 180 km/h

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 3,7/4,6/4,0

Emissões de CO2 (g/km) – 128

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm) –  4140/1760/1520

Distância entre eixos (mm) – 2580

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1531/1539

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos maciços

Peso (kg) – 1270

Capacidade da bagageira (l) – 332 até 1135 (c/ bancos traseiros rebatidos)

Capacidade do depósito (l) – 45

Pneus (fr/tr) – 205/55 R17

Preço base (versão) com a atual campanha (€): 22.860

Preço da versão base (Euros): 27560€