Mazda CX-5 2.2 SKYACTIV-D – Ensaio Teste

By on 26 Setembro, 2019

Mazda CX-5 2.2 SKYACTIV-D Excellence

Texto: Francisco Cruz

A força de equilíbrio

Crossover que é também o modelo da Mazda com maior procura na Europa, o Mazda CX-5 é, no fundo e especialmente depois da última actualização, já este ano, o exemplo perfeito da força do equilíbrio. Em particular, quando na versão Excellence com competente turbodiesel de 150 cv…

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Qualidade de construção; Habitabilidade; Consumos

 

 

Menos:

Visibilidade traseira; Prestações; Funcionalidade do sistema de infoentretenimento

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 8/10

Desenhado segundo a linguagem de design Kodo, o Mazda CX-5 tem, contudo, vindo a assistir a um evoluir e apurar deste mesmo princípio, no sentido de uma imagem global cada vez mais afirmativa, desportiva, personalizada.

A demonstrá-lo na actual geração, entretanto renovada, a nova frente com uma grelha frontal de moldura mais saliente e rede recuada para dentro do capot, ao mesmo tempo que as ópticas surgem cada vez mais finas e estilizadas, a acentuar um certo olhar de rapina…

O mesmo se passa, de resto, na traseira, onde os farolins surgem cada vez mais estilizados, a acompanhar uma imagem geral de solidez e protecção dos ocupantes que se faz sentir, inclusivamente, quando de perfil. Graças não só a uma linha de cintura alta, mas também e no caso específico desta versão Excellence, da presença das “obrigatórias” protecções em plástico. Inclusive, nas cavas das rodas, a emoldurarem umas bonitas jantes em liga leve de 19″…

Interior

Pontuação: 9/10

De linhas muito esguias no exterior, o Mazda CX-5 transporta essa mesma faceta para o interior do habitáculo. Onde, a par de uma estética agradável e facilmente convincente, é possível encontrar ainda uma elogiável solidez, assim como uma qualidade cada vez maior nos materiais empregues como revestimento.

Valorizado por um acesso fácil, o maior dos SUV da Mazda oferece ainda um interior muito funcional, ergonómico e intuitivo, do qual faz também parte uma posição de condução correcta. E a que só faltará mesmo uma melhor visibilidade traseira – prontamente melhorada, diga-se, com a inclusão de um sistema de câmaras 360 graus…

Ainda assim e igualmente a contribuir para o convincente posicionamento ao volante, não só um óptimo volante (ainda que um certo excesso de botões), como também um banco que, mesmo sem muito apoio lateral, mas com todas as regulações desejáveis (tal como, aliás, o próprio volante), consegue juntar o conforto à facilidade de acesso à generalidade dos comandos; inclusive, ao ecrã táctil a cores do sistema de infotainment, hoje em dia destacado no topo do tablier. Mas que, infelizmente, só responde ao toque com o veículo imobilizado.

Nessa altura, a solução é mesmo recorrer aos igualmente práticos botões rotativo sobre o túnel de transmissão, o maior destinado a seleccionar as funcionalidades do sistema, ao passo que, o mais pequeno, concebido para ligar/desligar o sistema, assim como para ajustar o nível do som.

Num habitáculo com vários e bons espaços de arrumação, palmas, igualmente, para a habitabilidade oferecida tanto nos bancos da frente, como nos de trás, onde facilmente se acomodam três adultos, aos quais não falta sequer espaço para pernas e em altura. O mesmo acontecendo na bagageira, que, com os seus 477 litros, não só oferece espaço suficiente para todas as bagagens, como um amplo e prático acesso; mercê também do accionamento elétrico do portão…

Para mais capacidade de carga, a possibilidade, ainda, de rebater as costas dos bancos traseiros 40/20/40, na horizontal e no seguimento do piso da mala. Solução que não deixa de ser especialmente apreciada, até porque, debaixo do piso falso, o único alçapão surge ocupado pelo kit anti-furos…

Equipamento

Pontuação: 9/10

Apurado com o nível de equipamento mais completo, Excellence, o Mazda CX-5 apresenta-se com praticamente tudo o que é expectável numa proposta do género. Inclusive e no capítulo da segurança e ajudas à condução, com um pacote de tecnologias i-Activsense também ele actualizado.

Assim, presente e sem custos acrescidos, surge o Smart City Brake Support (SCBS) dianteiro e traseiro, a Detecção de Pedestres à frente e monitor de visualização 360°. Sendo que a Manutenção na Faixa de Rodagem (LKA), sistema que o nosso carro tinha, mas que no desempenho acabou não nos agradando totalmente, já tem de ser paga à parte.

Pelo contrário, também de série, são as jantes em liga leve de 19″, os faróis dianteiros com luzes diurnas integradas, ambos em LED e com controlo automático On/Off, os faróis de nevoeiro dianteiros também em LED, limpa pára-brisas com detecção de chuva, vidros laterais e traseiro escurecidos, e sistema de entrada sem chave inteligente. Ao passo que, no interior do habitáculo, garantidos estão o ar condicionado automático, rádio AM/FM/DAB com leitor de CD/MP3, sistema de áudio com 10 Altifalantes de Alta Fidelidade, Ecrã TFT de 7”, HMI Commander e Bluetooth, sistema de navegação, bancos em tecido e volante multifunções em Pele.

Em suma, a contribuir para justificar os maia de 40 mil euros que a versão custa…

 

Consumos

Pontuação: 9/10

Generoso na cilindrada, o 2.2 SKYACTIC-D de 150 cv mostra-se, também e apesar disso, contido nos consumos. Conseguindo mesmo médias que acabam ficando muito perto dos 6,5 l/100 km que são o valor oficial!

Submetido à intensidade de uma vida maioritariamente em cidade, onde não deixa de ser ajudado por um Stop&Start discreto mas eficaz no actuar, aplauda-se o facto desta motorização ter terminado o nosso teste com uma média de 6,7 l/100 km; ou seja, apenas mais 0,2 l/km que o valor oficial!

É obra…

Ao volante

Pontuação: 8

Proposta maior na oferta SUV da Mazda, o renovado CX-5 não deixa, ainda assim e apesar das dimensões (um pouco) mais volumosas, de oferecer uma óptima e convincente condução. Desde logo, graças a uma suspensão competente, que, nunca ignorando a importância do conforto, consegue, ao mesmo tempo, assegurar uma elevada estabilidade, sem oscilações demasiado acentuadas da carroçaria; a qual, aliás, se mostra sempre bem controlada.

Beneficiando de uma direcção de bom nível, o SUV nipónico torna-se assim uma proposta de condução fácil, agradável não só para condutor como também para passageiros, os quais dificilmente se queixarão até mesmo de um ou outro estradão de terra. Onde, mesmo sem a presença da tracção integral, o CX-5 consegue vingar, graças a uma (ligeira) maior altura ao solo.

Já em cidade, onde se sente “como peixe na água”, a certeza de uma prestação descontraída e ágil pelo tráfego citadino, além de com capacidade para enfrentar qualquer buraco ou desnível mais acentuado. Afirmando dessa forma uma equilíbrio no desempenho que, também neste caso, é um dos seus maiores argumentos…

Concorrentes

Alfa Romeo Stelvio 2.2 TD AT8, 150cv, 8,8s 0-100 km/h, 198 km/h, 5,3 l/100 km, 124 g/km CO2, 51 300€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Ford Kuga 2.0 TDCi ST-Line, 150cv, 10,1s 0-100 km/h, 194 km7h, 4,7 l/100 km, 192 g/km CO2, 54 437€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Jeep Cherokee 2.2 TD AT9 Limited, 195cv, 9,1s 0-100 km/h, 205 km/h, 6,1 l/100 km, 161 g/km CO2, 60 000€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Peugeot 3008 2.0 BlueHDI AT8 GT line, 180cv, 8,9s 0 -100 km/h, 215 km7h, 4,9 l/100 km, 168 g/km CO2, 50 250€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Koleos Energy dCi X-Tronic Initiale Paris, 177cv, 9,2s 0-100 km/h, 202 km/h, 5,4 l/100 km, 146 g/km CO2, 50 080€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Skoda Karoq 2.0 TDI Style, 150cv, 9,0s 0-100 km/h, 205 km/h, 4,7 l/100 km, 148 g/km CO2, 34 218€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volkswagen Tiguan 2.0 TDI Confortline, 150cv, 9,3s 0-100 km/h, 204 km/h, 4,7 l/100 km, 149 g/km CO2, 42 137€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

Pontuação: 8/10

Embora disponível com motorizações a gasolina ou Diesel mais potentes, tanto com duas como com quatro rodas motrizes, o Mazda CX-5 alvo deste ensaio contava, apenas, com o quatro cilindros 2,2 litros turbodiesel menos potente – 150 cv -, acoplado a caixa manual de seis velocidades e tracção apenas às rodas dianteiras – nada mais, nada menos, que a versão que, à partida, terá mais aceitação no mercado nacional…

Contudo e apesar de anunciando à partida uma capacidade de aceleração dos 0 aos 100 km/h que não vai além dos 10,1 segundos, isto a somar a uma velocidade máxima anunciada de 200 km/h, a verdade é que o CX-5 não precisa mais do que este 2.2 SKYACTIV-D de 150 cv para agradar, graças não só a uma óptima disponibilidade desde os regimes mais baixos, como também uma capacidade de aceleração que, no dia-a-dia, parece sempre mais expedita do que realmente é!

Acrescentando a estas qualidades um funcionamento discreto e agradável, torna-se assim fácil gostarmos desta solução, a qual, mesmo não sendo um exemplo de potência declarada, convence – mais uma vez – pelo seu equilíbrio…

Balanço final

Pontuação: 9/10

Mesmo não figurando entre os SUV mais vendidos entre nós, a verdade é que este Mazda CX-5 2.2 SKYACTIV-D 150 Excellence tem argumentos para andar nos lugares cimeiros da tabela de vendas. Principalmente, devido ao equilíbrio que evidencia, da estética à qualidade de construção, do equipamento à habitabilidade, da versatilidade à condução. Na verdade, só precisa mesmo que lhe dêem uma chance!…

Ficha técnica

Motor

Tipo – diesel, 4 cil., injeção direta, turbo de geometria variável, intercooler

Cilindrada (cm3) – 2191

Diâmetro x curso (mm) – 86,0 x 94,3

Taxa de compressão – 14,4:1

Potência máxima (cv/rpm) – 150/4500

Binário máximo (Nm/rpm) – 380/2000

Transmissão, direcção, suspensão e travões

Transmissão e direcção – dianteira, com caixa manual de 6 velocidades; pinhão e cremalheira por assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – McPherson/Multi-link

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 10,1s

Velocidade máxima (km/h) – 200 km/h

Consumos Velocidade Baixa/Média/Alta/Muito Alta/Combinado (l/100 km) – 7,6/6,3/5,6/7,0/6,5

Emissões de CO2 (g/km) – 143

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm) –  4550/1840/1680

Distância entre eixos (mm) – 2700

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1595/1595

Peso (kg) – 1555

Capacidade da bagageira (l) – 477/1620

Capacidade do depósito (l) – 56

Pneus (fr/tr) – 225/55 R19 ou 225/55 R19

Preço da versão base (Euros): 42178€