Mini JCW Clubman – Ensaio

By on 19 Junho, 2017

José Luís Abreu jabreu@autosport.pt

MINI JCW CLUBMAN ALL4 2.0 231 cv

 

XXL Na Balança

Eis o Mini John Cooper Works Clubman, JCW para os amigos, basicamente, o motor mais potente da Mini a equipar o seu maior carro. Tudo isto com quatro rodas motrizes. Uma pequena-grande máquina…

Cumprem-se este ano exatamente 60 anos desde que o primeiro protótipo do Mini nasceu, e apesar de ter visto a luz do dia apenas em 1959, nos stands ingleses, a sua lenda depressa cresceu, à mesma medida que o Mini se tornava no carro britânico mais vendido de sempre. Algum tempo depois, John Cooper, um especialista de automóveis de competição, ‘apimentou’ o Mini e tornou-o também num fabuloso carro de ralis, que acumulou vitórias, tanto na estrada como nas pistas. Por isso, os Mini John Cooper Works de hoje têm todos o ADN da competição, juntando performance ao arrojo e ‘way of life’ da Mini.

Neste caso concreto, pode parecer fazer menos sentido num automóvel como o Clubman, com os seus 27 cm a mais que o Mini de cinco portas ou os 30 mm a mais de largura, ter uma versão JCW, mas… porque não? No que verdadeiramente importa, o motor, coração é ‘coisa’ que não falta. Este Mini John Cooper Works Clubman tem um motor 2.0 turbo de quatro cilindros com 231 cv de potência e 350 Nm de binário máximo, bem como um sistema de tração integral (All4) que lhe permite atingir os 100 km/h em apenas 6.3 segundos. A verdade é que é um deleite para os sentidos desfrutarem de toda a aceleração deste motor.

As oito velocidades de transmissão automática desmultiplicam-se a grande velocidade e os seis segundos passam num ápice. É verdade que sendo tão grande – até parece um contrassenso num Mini – não é, de modo nenhum, tão ágil quanto o seu modelo de três portas, mas diversão é coisa que não falta. Até porque há um detalhe neste automóvel muito interessante, é que as quatro rodas motrizes notam-se com veemência, não sempre, mas quando é preciso.

A potência do motor é distribuída entre os eixos dianteiro e traseiro (em situações normais, até 50% da força de tração é direcionada para o eixo traseiro, aumentando até um máximo de 100% em situações extremas) e também a distribuição do binário varia. Tudo isso faz uma grande diferença. Propositadamente levei-o para a Rampa da Pena, num dia em que tinha chovido bastante, e apesar de na altura isso não acontecer, quem conhece aquela subida sabe que ter boa tração é fundamental e aí percebi bem a validade deste sistema All4 da Mini.

Mas também percebi que o Clubman não é o melhor carro para aquela subida, pois falta-lhe agilidade, que ali, é muito necessária, para além de que o carro ser pesado, algo que nunca tinha sentido num Mini – são 270 kg a mais face à versão JCW de três portas e isso tem que fazer enorme diferença. Confesso que aquele pedaço de estrada é um exagero para este carro, por isso, desci S. Pedro, rumei ao Rio da Mula e aí, na subida da Lagoa Azul, revelou-se ‘outra’ conversa, pois o chassis longo do Mini dá-nos sensações bem diferentes do que as que tive na Pena com as 22 curvas da subida.

Aqui, a maior distância entre eixos do carro é uma benesse, pois o carro ‘salta’ de curva para curva, mais parecendo que roda em carris. Já a estrada que liga a Malveira da Serra e que rodeia a serra e nos leva por colares de volta a Sintra, é perfeita para o ‘rolar’ deste Mini. Os travões Brembo são um portento e garanto que foram bem usados. O rolamento é bem confortável apesar de estarmos num Mini JCW. Em resumo, talvez não fosse mal pensado uma versão 2WD, pois até hoje nunca houve um JCW de tração à frente que não fosse excitante. O peso a mais do excelente sistema All4, ‘dá’ de um lado e ‘tira’ do outro…

MAIS – Motor e tração.

MENOS – Agilidade e suspensão.

Ficha Técnica

Motor – 4 cilindros linha, inj. direta, turbo intercooler, gasolina

Cilindrada – 1998 cm3

Transmissão – 4×4

Cx Vel – 8 vel. automática

Potência – 231 cv

Binário – 350 Nm/1250-4500 rpm

Vel máx – 238 km/h

Aceleração – 6,3 s (0-100 km/h)

Consumo – Médio 6,8 l/100 km, AutoSport 8,3 l/100 km

Suspensão dianteira – Tipo McPherson

Suspensão traseira – Eixo de torção

Travões dianteiros – Discos ventilados

Travões traseiros – Discos ventilados

Peso – 1565 kg

Depósito – 48 l

Mala – 360-1250 l

Emissões – 154 g/km CO2

Preço base – 39.960 €

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *