SEAT Ibiza 1.0 TSI FR – Ensaio Teste

By on 11 Março, 2019

SEAT Ibiza 1.0 TSI FR

Texto: Francisco Cruz

Saboroso!

Vestido com um resplandecente Laranja Eclipse, claramente a acentuar a atracção natural já conhecida das versões FR, o novo SEAT Ibiza torna-se um utilitário que, simplesmente, dá gosto saborear! E, ainda mais, se equipado com o novo tricilíndrico a gasolina de 115 cv, ele próprio de personalidade apurada, quando conjugado com uma óptima caixa automática de sete velocidades…

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Moto e Caixa de velocidades / Comportamento / Posição de condução

 

 

Menos:

Conforto em mau piso / Funcionalidade da bagageira / Rebatimento dos bancos traseiros

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 10/10

Apresentada no início de 2017, a quinta geração do SEAT Ibiza estreou não apenas uma nova plataforma, MQB A0 (a mesma do novo Polo, Seat Arona e Volkswagen T-Roc, entre outros…), mas também uma estética bem mais agressiva, marcada por arestas acentuadas, elas próprias a contribuírem para um visual arrebatador; inspirado naquela que é a nova linguagem estética da marca, iniciada com o “irmão maior” Leon.

Novidade, além da agressividade nas linhas, a chegada da tecnologia LED às ópticas dianteiras, com integração de novas luzes diurnas de desenho não menos desafiante. Acrescidas, no caso concreto da versão mais desportiva FR, de um pára-choques dianteiro específico, retrovisores exteriores esculpidos e de cor negra, jantes específicas de 17″ (ou, em opção, de 18″), e um difusor traseiro a negro, com duas apaixonantes ponteiras de escape… quadradas.

Com pouco mais de quatro metros de comprimento e altura reduzida ao solo, sinónimo da opção por uma suspensão desportiva, a garantia de uma imagem geral apaixonante (nós, pelo menos, não conhecemos uma só pessoa que não tenha gostado das linhas deste Ibiza…), seja sob que perspectiva for. E ainda mais, quando envolta no Laranja Eclipse que a “nossa” unidade vestia…

Ácida? Só se for para os rivais!…

Interior

Pontuação: 9/10

Também neste aspeto a somar pontos devido à nova plataforma, mais larga (+8,7 cm) e com maior distância entre eixos (+9,5 cm), a quinta geração Ibiza começa, desde logo, por oferecer a sua melhor habitabilidade de sempre. Facto que, embora incontestável, não impede que continue a ser uma proposta para quatro passageiros, com um quinto, sentado ao meio, a exigir compreensão e um pouco mais de cedências aos restantes; ainda que, em termos de pernas, a presença de um túnel de transmissão mais estreito, seja um benefício por si só.

Já nos lugares da frente, a percepção imediata de uma melhor qualidade de construção, acrescida de revestimentos também eles um pouco melhores do que é o habitual no segmento. É o caso, por exemplo, do couro que reveste a frontal do tablier, rematado com pespontos em linha vermelha. Uma opção que, no entanto, só existe para a versão FR, além de não evitar a disseminação do já bem conhecido plástico rijo, pelas restantes superfícies…

Ainda assim, positiva é, sem dúvida, a ergonomia e funcionalidade, com a grande generalidade dos comandos acessíveis e intuitivos; inclusive, o generoso ecrã táctil a cores do sistema de info-entretenimento. Que, mesmo posicionado um pouco baixo, não deixa de ser de fácil e rápida habituação, graças também ao facto de estar ligeiramente virado para o condutor.

Num ambiente a que não faltam sequer alguns espaços de arrumação, a garantia de uma excelente posição de condução, fruto não apenas de um volante desportivo de excelente pega, além de multiregulável, mas também de um banco não menos ergonómico, revestido a tecido, e a acomodar o corpo na perfeição, graças ao bom apoio lateral.

Igualmente a pensar no condutor, um óptimo apoio de pé esquerdo, acompanhado de uma pedaleira que, já agora, merecia ser em metal. Ainda que tal não significasse uma melhor visibilidade traseira; para isso, estão lá não apenas os sensores, como até mesmo uma câmara traseira de boa definição.

Mas se a adopção de uma nova plataforma trouxe benefícios na habitabilidade, o mesmo acabou por acontecer na capacidade de carga, com a bagageira a anunciar agora 355 litros, ou seja, mais 63 litros que na geração anterior. Isto, a juntar a um acesso amplo, mas também alto, a um espaço que não é mais do que aquilo que está à vista; sem alçapões ou locais escondidos, apenas rebatendo as costas dos bancos traseiros, 60/40, se torna possível garantir mais espaço de carga. Ainda que sem muito aproveitamento; deitadas na horizontal, as costas dos bancos ficam sempre mais altas que o piso da mala…

Equipamento

Pontuação: 8/10

Enriquecido com aquele que é o nível de equipamento mais desportivo… e mais cativante para os condutores portugueses, o pequeno SEAT Ibiza passa a ter garantidas, de série, com esta versão FR, várias mais-valias que facilmente o tornam ainda mais desejável. É o caso dos faróis Full LED com luzes diurnas e sensor de luz, faróis de nevoeiro com função de curva, farolins igualmente em LED, das jantes em liga leve DYNAMIC de 17″, vidros traseiros escurecidos e dos retrovisores exteriores com regulação/rebatimento elétrico e aquecidos. Ou ainda da iluminação interior na zona dos pés, consola central e painel das portas, do ar condicionado automático Climatronic, do computador de bordo “Medium” com display multifunções, e do sistema de som Media Cor 6,5″ com seis altifalantes, Bluetooth, USB e Aux-IN.

A pensar especificamente no condutor, a certeza de um volante multifunções desportivo em pele com patilhas de caixa Tiptronic, espelho retrovisor interior antiencadeamento automático, Cruise Control com Limitador de Velocidade, sensor de chuva e sistema de detecção de fadiga. Sem esquecer a caixa automática DSG de 7 velocidades, o Controlo de Tracção com Diferencial Autoblocante Eletrónico XDS, a suspensão desportiva, e o sistema perfis de condução SEAT.

Ainda assim, no lote de opcionais, continuam a figurar a versão mais evoluída do Cruise Control, que mantém a distância para o carro da frente e contempla ainda o sistema de segurança Front Assist e o acesso sem chave (450€), o pacote Conectividade (carregador por indução + amplificador de sinal GSM, por 200€), a câmara de visão traseira com sensores de estacionamento à frente e atrás (525€), a regulação hidráulica dos amortecedores com jantes em liga leve de 18″ PERFORMANCE (649,99€), e a roda sobressalente de emergência de 18″ (85,01€). Aplicável, no entanto, apenas e só nas viaturas equipadas com sistema de som BEATS AUDIO (450€).

Também pago à parte, surge o tecto panorâmico de abertura elétrica (821€), assim como o pacote de navegação, composto por Bluetooth, antena de recepção AM/FM com busca automática, conexão Aux-in, 2 portas USB, 6 altifalantes, computador de bordo “Medium” com display multifunções, ecrã táctil de 8″, e reconhecimento de voz – tudo por 815€.

Consumos

Pontuação: 8/10

Disponível, expedito e bem insonorizado, torna-se difícil encontrar aspectos verdadeiramente negativos neste 1.0 TSI de 115 cv que equipa o Ibiza; mesmo quando o tema – sensível – são os consumos!

Equipado com um género de propulsor a gasolina particularmente sensível a quaisquer desmandos no acelerador (aqui, mais até que noutros blocos…), a verdade é que o SEAT Ibiza 1.0 TSI de 115 cv com caixa DSG, não deixa, ainda assim, de conseguir médias aceitáveis, quando avaliado numa utilização real, e maioritariamente em cidade. Registando valores pouco acima dos 7,0 l/100 km.

Embora substancialmente acima dos 4,9 l/100 km prometidos como média oficial pela marca espanhola, fica, contudo, a constatação de uma média agradável. E, ainda mais, quando comparada com a desenvoltura exibida.

Ao volante

Pontuação: 9/10

A culpa é da nova plataforma MBQ A0, mas também da suspensão desportiva, do Controlo de Tracção com Diferencial Autoblocante Electrónico XDS, e até mesmo do sistema de perfis de condução SEAT com quatro modos – Eco, Normal, Sport e Individual. Mas a verdade é que, este SEAT Ibiza 1.0 TSI com caixa DSG, foi mesmo um dos utilitários que mais prazer nos deu conduzir, nos últimos tempos!…

Compacto nas dimensões, com vias mais largas que o antecessor e rodas bem nas extremidades da carroçaria, o Ibiza 1.0 TSI DSG FR assume-se, desde cedo, como uma proposta especialmente ágil, eficaz e divertida de conduzir. Aproveitando, numa condução mais aplicada, as vantagens não apenas de uma suspensão particularmente firme e nada dada a cedências, como também de uma segurança acrescida, oferecida por umas opcionais jantes de 18″ com pneus Bridgestone Turanza de baixo perfil (215/40 R18). Escolhas que, em conjunto com uma direcção precisa e com bom peso, facilmente realçam a sua importância, na envolvência e facilidade de condução.

Quanto ao já citado sistema de perfis de condução SEAT, poucas diferenças exibe na troca entre modos de funcionamento, a não ser com a opção Sport seleccionada. Momentos em que a resposta do motor e da direcção registam ligeira alteração, contribuindo, a par da óptima motricidade e excelente comportamento, mais para o divertimento do condutor, que propriamente para o conforto dos ocupantes; ou não fossem os maus pisos um dos piores inimigos deste SEAT Ibiza 1.0 TSI DSG FR…

Concorrentes

Ford Fiesta 1.0 EcoBoost STLine, 140cv, 9,0s 0-100 km, 202 km/h, 4,5 l/100 km, 116 g/km CO2, 20.458€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI

 

Opel Corsa 1.0T Dynamic, 90cv, 11,9s 0-100 km/h, 180 km/h, 5,0 l/100 km, 115 g/km CO2, 16.530€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI

 

Peugeot 208 1.2 PureTech Auto GT Line, 110cv, 10,3s 0-100 km/h, 188 km/h, 6,5 l/100 km, 147 g/km CO2, 20.915€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI

 

Renault Clio TCe GT Line, 90cv, 12,2s 0-100 km/h, 180 km/h, 5,9 l/100 km, 132 g/km CO2, 18.692€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI

 

Volkswagen Polo 1.0 TSI DSG Confortline, 115cv, 9,5s 0-100 km/h, 200 km/h, 4,7 l/100 km/h, 107 g/km CO2, 22.172€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI

Motor

Pontuação – 9/10

Não é o primeiro tricilíndrico 1.0 litros que aqui testamos; pelo contrário, foram já muitos, alguns dos quais tendo mesmo deixado em nós uma certa sensação de frustração – quer pelos consumos, que se revelaram muito acima do expectável, quer ainda e noutros casos, por alguma falta de “alma”, que definitivamente não estávamos à espera. Desilusões que não encontrámos neste novo 1.0 TSI made by Volkswagen com caixa automática DSG de 7 velocidades!

Apresentado com uma potência que não ultrapassa os 115 cv às 5.000 rpm e um binário que não vai além dos 200 Nm (disponível entre as 2.000 e as 3.500 rpm), a verdade é que a união deste pequeno 1.0 TSI com a já muito elogiada transmissão automática DSG de 7 velocidades acabou resultando numa excelente opção para o pequeno utilitário espanhol! O qual, tirando partido da excelente gestão, feita pela DSG, das curtas capacidades de um tricilíndrico equipado com injecção directa e turbcompressor, proporciona desenvoltura e prestações convincentes, além de uma condução mais envolvente.

A demonstrá-lo, não apenas os 9,5s que o Ibiza demora dos 0 aos 100 km/h, ou os 198 km/h que anuncia como velocidade máxima, mas também e principalmente, a resposta espevitada ao acelerador, tão convincente quanto a insonorização. Ainda que, neste aspecto e tendo em conta o facto de estarmos na presença de uma versão mais “picante”, uma sonoridade um pouco mais presente… e grossa, não fosse mal pensado.

Balanço final

Pontuação: 9/10

Já o escrevemos… e repetimo-lo: marcado por uma estética cativante, além de valorizado por um equipamento de série que não deixa de ser diferenciador, este SEAT Ibiza 1.0 TSI DSG FR é também um dos mais divertidos utilitários de inspiração desportiva disponíveis no mercado nacional! Algo que nem mesmo a notória pouca propensão para os maus pisos, ou até mesmo a necessidade de um certo autocontrolo sobre o acelerador, conseguem fazer esquecer…

Ficha técnica

Motor

Tipo: três cilindros em linha, com injecção directa, turbocompressor e intercooler

Cilindrada (cm3): 999

Diâmetro x curso (mm): 74.5 x 76.4

Taxa compressão: 10.5:1

Potência máxima (cv/rpm): 115/5.000 – 5.500

Binário máximo (Nm/rpm): 200/2.000 – 3.500

Transmissão e direcção: Dianteira, com caixa automática de 7 velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr): Independente do tipo McPherson; Eixo de torção

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos 

Aceleração: 0-100 km/h (s): 9,5

Velocidade máxima (km/h): 193

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km): 4,6/5,5/4,9

Emissões de CO2 (g/km): 112

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,059/1,780/1,444

Distância entre eixos (mm): 2,564

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1.525/1.505

Peso máximo (kg): 1.164

Capacidade da bagageira (l): 355/1.165

Depósito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 215/40 R18/215/40 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 27065€
Preço da versão base (Euros): 22054€