Smart Fortwo Cabrio Urbanstyle – Ensaio

By on 2 Julho, 2017

Smart Fortwo Cabrio Urbanstyle Edition

Texto: André Duarte ([email protected])

Rumo à liberdade

Os smart são um tipo de carros possuidores de uma personalidade única e inconfundível. Por isso ver chegar ao mercado a reedição da sua primeira edição especial nacional, a urbanstyle edition, para além de tentador, torna-se de imediato estimulante…

Conhecido de todos, o smart fortwo, seja na versão coupé ou cabrio, é sempre um bom aliado para o ambiente urbano. Talvez o melhor mesmo. Quantos carros nos permitem a veleidade de estacionar de frente num lugar destinado a fazê-lo em paralelo?

Este quebrar de barreiras e a noção de não haver impossíveis atribui-lhe um aura de jovialidade e liberdade tocantes, que nos fazem encarar o quotidiano sem o receio de não ter onde o colocar à chegada ao destino. Sabemos que em todo o lado há sempre lugar para mais um… smart. Se estes condimentos já são um franco agrado, o que é que lhe pode trazer ainda mais urbanstyle? Fomos descobrir.

‘Toque’ urbanstyle

Com a chegada do verão, o ambiente urbano dá lugar aos destinos turísticos, que mantêm a propensão de agregadores de multidões. À semelhança da roupa que trazemos no corpo, também os carros definem um estilo e a urbanstyle edition veio dotar os smart de um toque ainda mais distintivo.

No exterior somos prendados com a assinatura smart incrustada nos plásticos pretos nas cavas das rodas que se revelam um interessante detalhe visual, assim como a inserção urbanstyle junto dos espelhos retrovisores. Porém, o maior destaque está nas jantes em liga leve de 16” com 5 raios duplos. Outro dos detalhes, mas que saltará mais à vista da ficha técnica que de uma avaliação ocular, é a suspensão rebaixada em 10 mm. O charme final é atribuído pela tonalidade grey mate da célula tridion, a par da carroçaria e capota que podem surgir em diferentes cores.

Interior refrescante

Já devidamente tentados por este smart fortwo cabrio urbanstyle edition, surge o momento de abrirmos a porta rumo ao seu interior. De fácil acesso e espaço agradável, a versão inclui um apoio para smartphones ao centro da consola central. Porém, apontamentos como o forro do tablier, os bancos em pele, o seletor com punho com costuras em formato de bola, são também elementos que confortam o nosso globo ocular. O qual fica rendido quando se cruza com o volante multifunções, com botões a fazerem lembrar um kart, e o conta-rotações destacado no lado esquerdo do tablier. Já ambientados, encontramo-nos prontos para dar início à viagem.

Prazer ao volante

Damos à chave e não são precisos muitos quilómetros para ficarmos rendidos aos seus 90 cv oriundos de um pequeno bloco de três cilindros e 898 cc. Ao volante é um verdadeiro gozo! Parece que estamos num kart. O motor, colocado na traseira, emite um som meio aspirado, que aumenta progressivamente ao ritmo do pisar do acelerador e se torna mais vivo quando o fazemos a fundo, revelando-se um estimulante companheiro de viagem (apesar de alguns ruídos exteriores, oriundos, por exemplo, do ar a circular, serem algo constante).

Uma sensação que aumenta se passamos do modo Eco para o Sport, ação feita através do simples toque num botão de fácil acesso colocado junto do seletor. A diferença na resposta é notória, ainda que na prática não se traduza por prestações muito mais expressivas. O bloco torna-se mais disponível às solicitações e as passagens de caixa notam-se através de um suave solavanco mais perceptível no Sport que no Eco.

Quando queremos tirar o máximo partido do seu eu, o ideal é assumirmos as passagens de caixa através das patilhas de volante, colocando para isso o seletor na posição conforme – se o mantivermos na posição D, a caixa assume sempre o modo automático mesmo que nos permita fazer a troca de relações através das patilhas; sempre que recorremos às patilhas mesmo que no modo Eco, a caixa passa de imediato para o Sport – revelando-se um prazer ver subir as rotações até ao corte, às 6000 rpm, acompanhado pelo subir do timbre do motor, cantando-nos ao ouvido da traseira, num esforçado tom.

Em matéria de consumos, falamos de registos que se cifram na casa dos 5l/100 km em regime calmo e dentro da legalidade, dobrando para os 10/11l se andarmos em pleno a testar as capacidades do modelo. Nota aqui apenas para o sistema Start & Stop ser ligeiramente lento a ‘reanimar’ o motor.

Independentemente dos registos, podemos acompanhar todas as informações essenciais referentes à nossa viagem (tempo; quilómetros; consumos médios ou estilo de condução), no painel de instrumentos de fácil acesso visual. Já na consola central podemos encontrar uma tomada 12V e aceder à ligação para smartphones. Entre os sistemas de ajuda à condução, o modelo incorpora de série o assistente de travagem e cruise control, contando ainda com luzes diurnas LED.

Sensação de liberdade

Se já assim é um gosto, este aumenta quando recolhemos a capota, também através de um botão situado junto do seletor. Este pode ser aberto em duas fases: na primeira apenas o tejadilho; na segunda também a parte do óculo traseiro que, quando recolhido, gera um senão – reduz para metade a visibilidade do retrovisor interior, obrigando a um maior esforço e atenção. Ainda assim, o prazer que dá rapidamente nos faz relativizar a questão.

De cabelo ao vento, o smart é um hino ao verão, permitindo-nos mesmo rodar a 120 km/h enquanto ouvimos rádio e conversamos com quem nos acompanhar, sem quaisquer problemas. Dotado de uma aura inegavelmente jovial, é talvez dos melhores companheiros para levar a qualquer destino de férias, espelhando uma ideia de fruição e liberdade para que o tempo quente vem contribuir.

A versão urbanstyle edition dá-lhe um toque ainda mais distintivo e personalizado, apostada mais no detalhe que na exuberância e revestindo-o de características que fazem aumentar os motivos para com ele querermos ir passear, numa viagem que sabemos de antemão ser sempre um prazer… com ou seu capota.

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – 3 cilindros em linha, injeção direta, turbo, intercooler

Cilindrada (cm3) – 898

Diâmetro x curso (mm) – 72,2 x 73,1

Taxa de compressão – 9,5:1

Potência máxima (cv/rpm) – 90/5000-5500 rpm

Binário máximo (Nm/rpm) – 132/2500 rpm

Transmissão e direcção – Tracção traseira, caixa automática de 6 velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Suspensão (fr/tr) – McPherson; Eixo Rígido

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 11,7

Velocidade máxima (km/h) – 155

Consumos urbano/extra-urb./ misto (l/100 km) – 4,9/3,8/4,2

Emissões de CO2 (g/km) – 97

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) –  2695/1663/1553

Distância entre eixos (mm) – 1873

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1469/1430

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/tambor

Peso (kg) – 995

Capacidade da bagageira (l) – 190

Depósito de combustível (l) – 35

Pneus (fr/tr) – 165/65 R15 / 185/60 R15