Volkswagen Polo GTI – Ensaio Teste

By on 14 Março, 2019

Volkswagen Polo GTI

Texto: José Manuel Costa

Um desportivo “macio”

A herança não é simples e o nome GTI tem uma carga pesada que a Volkswagen nem sempre soube carregar, nomeadamente, no Golf. No caso do Polo, há uma enorme legião de adeptos do pequeno GTI (é maior que o Golf GTI da primeira geração…) e por isso a VW não podia trair esses adeptos nem a herança GTI. E a verdade é que o carro tem muitos pontos positivos, porém, como tem sucedido com o Golf, o mais recente Polo GTI é um desportivo “macio”, mas a pensar no todo que na franja dos adeptos dos desportivos de bolso, ou como dizem os britânicos, “pocket rockets”. É um bocadinho como comer batatas fritas ou “pommes frittes aux herbes”… parece a mesma coisa… mas não é!

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Performances / Refinamento / Habitabilidade

 

 

Menos:

Opcionais / Demasiado filtrado

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação 7/10

Esta versão GTI quase passa despercebida na rua, tal a sobriedade com que a Volkswagen tratou o Polo. As inscrições GTI na grelha dianteira e no portão da bagageira e nos guarda lamas dianteiros, são as únicas pistas para se perceber que este é um Polo “espigado”. Como desapareceu a versão de três portas e as jantes são absolutamente normais, sem ver os logótipos, parece um Polo comum, com umas jantes giras e grandes e uma dupla ponteira de escape.

O para choques dianteiro tem a “boca” inferior pintada de negro e a barra cromada que atravessa a grelha de um lado ao outro tem um vivo vermelho. Os para choques foram, ligeiramente, redesenhados e há umas saias laterais mais profundas. O spoiler traseiro está pintado de preto. Et voilá! Aqui está o Polo GTI. Com uma qualidade de montagem excelente, mas quase anónimo.

Interior

Pontuação 8/10

No interior temos mais alguns indicadores que este é um Polo diferente, sobretudo pelos bancos desportivos estofados em pele e com um tecido “tartan” preto, branco e vermelho muito semelhante ao que a VW usou no primeiro Golf GTI. Bancos de qualidade, confortáveis e reguláveis em altura e no apoio lombar. A posição de condução ótima é muito fácil de encontrar e como no Polo “normal” tudo está virado para o condutor. A qualidade de materiais e de construção é elevada, tudo tem uma aparência robusta.

As diferenças fazem-se, para além do banco, pelo volante desportivo multifunções com pesponto vermelho, pedais em alumínio e a moldura do painel de instrumentos e do ecrã do sistema de info entretenimento em preto brilhante. Pode optar por personalizar o interior e ter o tablier, a moldura das pegas de abertura das portas e a consola central debruada, na cor da carroçaria.

Tendo mais de 4 metros de comprimento e 1,75 metros de largura, o Polo GTI não pede meças a ninguém no que toca á habitabilidade, fazendo jogo quase igual com o Golf, mesmo que seja 40 mm mais estreito. Porém, é bem maior que um Mini de cinco portas. Não cabem três adultos no banco traseiro, mas dois viajam á vontade, e há muitos locais para arrumar “tralha. Já na bagageira não será tanto assim, já que perde 46 litros para o Polo “normal” oferecendo 305 litros que podem chegar, com o rebatimento do banco, aos 1079 litros. Uma vez mais, melhor que o Mini Cooper S de cinco portas que não vai além dos 211 litros e que o Ford Fiesta ST, por exemplo, que tem 292 litros.

Equipamento

Pontuação 6/10

Da dotação de série, destaco as jantes de liga leve de 17 polegadas, o Volkswagen Media Control, ar condicionado, carregamento do smartphone por indução, controlo automático da distância, cruise control adaptativo, câmara traseira, estofos em tecido “Clark”, faróis de nevoeiro, ajuda ao arranque em declive, sensores de luz, sistema de navegação, pacote “Light & Vision”, piso da bagageira duplo, sensores de chuva, sensores de estacionamento á frente e atrás, sistema de travagem autónoma de emergência e vidros elétricos, entre outros.

A lista de opcionais do Polo é ampla. Começa com a pintura metalizada (150 euros) ou nacarada (490 euros), as jantes de 18 polegadas (de série são de 17) custam 436 euros e se não quiser os bancos com o tecido “Clark” (o tal com o padrão escocês em “tartan”) pode comprar os estofos em ArtVelours. Custam 1017 euros. A partir daqui, entramos nos detalhes: sistema som Beats (489 euros), faróis LED com ajustamento dinâmico (879 euros), pacote Roof (335 euros para ter vidros traseiros escurecidos, capas dos espelhos retrovisores em carbono), teto de abrir panorâmico (881 euros), suspensão Sport Select com controlo adaptativo dos amortecedores e dois níveis de regulação (301 euros), alarme (248 euros), o Active Info Display, ou painel de instrumentos digital (382 euros), bancos dianteiro aquecidos (319 euros), espelhos exteriores rebatíveis eletricamente (197 euros), sensores do ângulo morto (296 euros), sistema de acesso e arranque mãos livres (358 euros) e sistema de assistência ao estacionamento (140 euros).

Consumos

Pontuação 5/10

Reclama a Volkswagen que o Polo GTI consome, em média, 6,1 l/100 km. Seria excelente, mas o mundo real é diferente e a verdade é que o bloco de 2.0 litros turbo com 200 CV é um pouquinho guloso, especialmente quando colocamos a caixa em modo manual e exploramos tudo o que o motor tem para oferecer. Valores acima dos dois dígitos são normais, porém, o ensaio acabou com uma média de 8,3 l/100 km, algo perfeitamente razoável para um desportivo a gasolina.

Ao volante

Pontuação 9/10

O novo Polo GTI tem vias mais largas que o anterior, o que lhe oferece uma maior estabilidade. Além disso, está 15 mm mais perto do chão que os restantes Polo e as afinações de molas e amortecedores são, também elas, diferentes. Amortecedores que podem ser regulados nos modos Normal e Sport. No eixo dianteiro não está um autoblocante mecânico, mas sim um sistema eletrónico XDS, idêntico ao usado pela Seat nos seus produtos desportivos. É uma boa solução, barata, mas bem menos eficaz que o bom e fiel autoblocante. A direção é totalmente desprovida de sensibilidade, pelo que fica complicado perceber o que estão a fazer as rodas da frente.

O que resulta de tudo isto? Pensado para ser minimamente confortável, o Polo GTI só vacila, neste particular, quando o piso está mesmo muito degradado. Caso contrário, tem um conforto assinalável, especialmente no modo Normal. Quando ligamos o modo sport, o carro endurece um pouco, mas mesmo assim não se torna irritantemente desconfortável.

A utilização do diferencial XDS e a direção pouco comunicativa, levam a que a frente possa perder aderência e só nos apercebermos quando o carro já está em subviragem. E com 200 CV nas rodas da frente, é inevitável que o eixo dianteiro lute em busca de aderência quando o maltratamos e que se sintam alguns efeitos do binário na direção. Nada de violento ou de incomodativo e quanto à perda de aderência, ela acontece já quando estamos para lá do admissível e de uma forma controlada que permite recuperar facilmente. Mas esse limite está para lá do comum utilizador, portanto, serão muitos os quilómetros feitos com absoluta tranquilidade e segurança.

Dizer que o Polo GTI chega dos 0-100 km/h em 6,7 segundos, um bom resultado, com uma velocidade máxima de 238 km/h, mais que suficientes para um “pocket rocket”.

Concorrentes

Ford Fiesta ST

1497 c.c. turbo a gasolina; 200 CV; 290 Nm; 0-100 km/h em 6,5 seg,; 232 km/h; 6,0 l/100 km, 136 gr/km de CO2; nd

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mini Cooper S

1998 c.c. turbo a gasolina; 192 CV; 280 Nm; 0-100 km/h em 6,8 seg,; 230 km/h; 5,5 l/100 km, 128 gr/km de CO2; 32.650

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Pontuação 6/10

Exibir 200 CV é sempre um bom cartão de visita, porém, o bloco 2.0 litros do Polo GTI não consegue ser melhor que o explosivo motor do Mini Cooper S e que o rotativo propulsor do Fiesta ST, no fundo, o seu maior rival. É verdade que são 200 CV e 320 Nm de binário, mas muitas vezes parecem bem menos, parece que lhe falta chispa! Claro que vai dos 0-100 km/h em menos de sete segundos, mas em utilização, não parece que debaixo do pé vão 200 CV. Por outro lado, tem uma vantagem em termos de utilização, pois é um motor muito suave e não bicudo como o do Mini, por exemplo. A utilização da caixa DSG, assegura, desde logo, o conforto esperado, tem rapidez suficiente para dar algum gozo na condução, mas nota-se algum atraso entre as ordens dadas nas patilhas e aquilo que os carretos estão a fazer. Parece-me que a caixa manual de seis velocidades, já disponível, será mais apelativa para quem ama conduzir. Mas se for uma unidade habitual da VW, não sei se não é melhor deixar a DSG no seu lugar.

Balanço final

Pontuação 6/10

Impossível não gostar do Polo GTI. Robusto, bem construído, confortável dentro daquilo que costuma ser um desportivo, veloz sem ser emocionante, este Volkswagen tem tudo para ser uma boa escolha. Porém, não consegue ser tão divertido de conduzir como o Ford Fiesta ST, pois a direção não ajuda e o próprio carro está pensado para ser um desportivo quase Premium, onde a qualidade e o conforto são deveras importantes. Não há dúvida sobre os seus pontos fortes, mas o Polo GTI não é carro para ficar no topo do segmento e com tamanho refinamento, filtragem e qualidade, o Volkswagen Polo GTI acaba por se desviar do alvo, os clientes que adoram os “pocket rocket”, que adoram comer batata frita cheia de gordura e alguma casca que lá ficou esquecida, mas não gostam de um desportivo macio nem de comer “pommes frites aux herbes”. É demasiado refinado para o seu gosto.

Ficha técnica

Motor

Tipo: 4 cilindros em linha, turbo com injeção direta

Cilindrada (cm3): 1984

Diâmetro x Curso (mm): nd

Taxa de Compressão: nd

Potência máxima (CV/rpm): 200/5000

Binário máximo (Nm/rpm): 320/1500 – 4350

Transmissão: dianteira, caixa DSG de dupla embraiagem automática de 6 vel.

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): McPherson/eixo de torção

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 6,7

Velocidade máxima (km/h): 238

Consumos extra-urb./urbano/misto (l/100 km): 5,4/7,3/6,1

Emissões CO2 (gr/km): 141

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4067/1751/1438

Distância entre eixos (mm): 2549

Largura de vias (fr/tr mm): 1510/1496

Peso (kg): 1355

Capacidade da bagageira (l): 305/1079

Deposito de combustível (l): 40

Pneus (fr/tr): 215/45 R17

Preço da versão ensaiada (Euros): 32470€
Preço da versão base (Euros): 31462€