VOLVO V60 T8 R-DESIGN – Ensaio Teste

By on 10 Maio, 2019

VOLVO V60 T8 R-DESIGN

Texto: José Manuel Costa ([email protected])

A melhor carrinha da Volvo?

A carrinha V60 é uma espécie de V90 à escala e é linda, tornando-se muito mais interessante nesta versão T8 com sistema híbrido “Plug In” que oferece 390 CV e promete baixos consumos e emissões. Mas nem tudo são rosas e alguns espinhos requerem meditação e ponderação.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Performances, refinamento, estilo

 

 

Menos:

Versão T6 a chegar mais barata, Diversão ao volante

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação 8/10

Correndo o risco de me repetir, a carrinha V60 é linda! É uma espécie de V90 à escala, mas com uma personalidade que mistura pormenores daquela com detalhes vindos do XC60. Caminhando numa fina linha entre o estilo “matrioska” de Audi e Mercedes e personalidade vincada, o V60 não prescinde dos faróis “Martelo de Thor”, dos farolins traseiros muito semelhantes aos do XC60, mas tem uma lateral ornamentada e, mero detalhe, uma superfície vidrada 15 mm mais estreita que a do V90. Claro que depois há evidentes diferenças no tamanho: são menos 18 centímetros no comprimento face à V90. Exatamente por isso, o equilíbrio das linhas da V60 tornam-na mais elegante e desejável.

Interior

Pontuação 8/10

Enfim, um conjunto muito agradável à vista que tem um interior correspondente, onde se destaca a tecnologia embarcada. No lado da segurança destaque para o Pilot Assist – condução autónoma com mãos no volante, muito útil com o cruise control adaptativo – a monitorização do ângulo morto, enfim, tudo aquilo que possa imaginar e mais um par de tecnologias que são inéditas. Detalhes como os botões de arranque/desligar o motor, do controlo dos modos de condução, o friso de botões que comanda o sistema de áudio – uma redundância pois é controlada, também, através do ecrã de 9,3 polegadas colocado na consola central – e os forros das portas, são típicos da Volvo. De tal forma que são iguais aos restantes modelos da gama, pois volante, painel de instrumentos, tudo, ou quase, é igual.

O V60 está muito bem construído, é sólido, mas… os detalhes são o demónio! A sensação de qualidade é enorme e nesta variante forrada a pele, é quase impossível encontrar um plástico à mostra. Ele está lá, na consola central e, logo por azar, não é dos melhores! Isto não chega para criticar a qualidade do V60, mesmo que não chegue ao nível de excelência dos alemães, mas a falta de alguma originalidade. Porém, à luz da lógica empresarial e compreendendo o alcance económico desta opção, seria injusto ir por ai. Até porque não há muitos que consigam a qualidade de estilo de um habitáculo como o faz a Volvo.

O V60 é bem servido por um par de bancos confortáveis e espaçosos e espaço é coisa que não falta. É verdade que o túnel de transmissão incomoda um bocadinho, mas três pessoas viajam à vontade no banco traseiro do V60 e a Volvo reclama que o espaço para os joelhos é o melhor do segmento. E o V60 explica porque é assim, exibindo uma distância entre eixos de 2872 mm, mais 62 mm que, por exemplo, um BMW Série 3 Touring, mais 52 mm que o Audi A4 Avant e 32 mm mais que o Mercedes Classe C.

Para os mais necessitados de espaço na bagageira, a Volvo oferece 529 litros que se podem esticar até aos 1441 litros com o rebatimento do banco traseiro. E, para que não hajam dúvidas, é a melhor bagageira do segmento, muito por culpa de um estilo que sendo moderno não deixa de defender os valores da Volvo. O portão traseiro esta bem mais horizontal que os rivais e a forma da superfície vidrada dá a entender que não é assim, mas basta comparar. Algo que sempre caracterizou as carrinhas da casa sueca.

Equipamento

Pontuação 7/10

O equipamento de série da versão R-Design do V60 T8 inclui muitos items. Falamos do ar condicionado de duas zonas, fecho central de portas com comando forrado a couro, painel de instrumentos digital com 12,3 polegadas, banco do condutor com regulação elétrica com memória, apoio lombar elétrico com quatro vias, volante em couro, faróis LED, jantes de liga leve, enfim, um equipamento completo. A lista de opcionais também é longa, mas para saber mais, é preferível deslocar-se ao sítio de internet da Volvo em www.volvocars.com/pt/build/hatchback-carrinha/v60.

Consumos

Pontuação 7/10

Graças ao sistema híbrido avançado, este V60 T8 tem duas faces como o feijão frade. Se nunca consegui chegar aos 2,1 l/100 km, a verdade é que fiquei impressionado quando o computador me devolveu cifras de 3,9 l/100 km. Claro, com muito cuidado e aproveitando ao máximo a autonomia elétrica de 45 km. A média ficou nos 4,1 l/100 km, muito bom para um motor 2.0 litros a gasolina e um motor elétrico que oferecem 390 CV. O problema é se a bateria caba e não a conseguimos carregar. Nessa altura, só temos o bloco a gasolina e aí os valores disparam para os 7,9 l/100 km ou mais se não formos cuidadosos com o pé direito. Quer isto dizer que temos de ter muita atenção à carga da bateria e mantê-la sempre preenchida, pois só assim emitimos menos CO2 e outras emissões e os consumos são compatíveis com o estatuto.

Ao volante

Pontuação 7/10

Bem sentados, desfrutar do V60 T8 é fácil, até porque o carro tem um excelente comportamento, na linha daquilo que sucede com o V90. As muitas ajudas á condução permitem-nos grande nível de confiança e, nesse particular, este Volvo é excelente. Porém, a definição R-Design oferece molas e amortecedores mais duros e o conforto ressente-se disso, particularmente em estradas mais degradadas. Por outro lado, a Volvo não ofereceu especial emoção ao volante do V60, apesar do carro parece ágil e controlável de forma fácil. Face aos rivais alemães, o Volvo é mais “frio” e racional, mesmo sendo um carro rápido pois chega dos 0-100 km/h em meros 4,8 segundos, com a velocidade máxima limitada aos 250 km/h. Velocidade e rapidez não lhe faltam, mas a emoção ao volante não é grande. Mas, diga-se, a facilidade, segurança e refinamento do V60 T8, tornam-no num devorador de quilómetros.

Concorrentes

O Volvo V60 T8 não tem rivais à venda entre nós. Poderá olhar para as berlinas, com a BMW, a Mercedes e Volkswagen a oferecerem propostas híbridas, ou então escolher SUV e nessa altura poderá olhar para o Mitsubishi Outlander, o Volvo XC60 T8 e outras propostas.

Motor

Pontuação 8/10

A motorização híbrida é uma peça fundamental do V60 T8, com características tecnológicas ricas. Refinamento é outra palavra que ajuda a definir o sistema. Andando num ritmo normal, é complicado perceber se é o motor elétrico colocado no eixo traseiro ou o bloco de 2.0 litros a gasolina que está na frente do carro, quem está a mover o V60. Ou se são os dois! É realmente uma unidade refinada e de qualidade. Quando a ideia é andar mais depressa, o bloco faz-se notar, com um ruído pouco agradável que quebra a harmonia até ali experimentada. Mas rapidamente esquecemos isso, apreciando a qualidade da caixa de velocidades automática. É rápida o suficiente, mas não tem as características de alguns rivais, mais suaves e rápidas como a DSG do grupo VW.

Balanço final

Pontuação 8/10

A gasóleo ou a gasolina, o Volvo V60 tem tudo o que é necessário para enfrentar os seus rivais Premium do segmento e olhar olhos nos olhos para o Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes Classe C. Com esta versão híbrida, adiciona mais uma possibilidade de escolha, muito interessante. Mantém qualidade, tecnologia, estilo, interior espaçoso e a bagageira líder do segmento. Pilares que fazem do V60 um carro desejável, agora com consumos reduzidos e performances interessantes. Se gosta de carros híbridos “Plug In” esta é uma excelente proposta a partir de 62.345 euros.

Ficha técnica

Motor

Tipo: 4 cilindros em linha com injeção direta de gasolina e turbo

Cilindrada (cm3): 1969

Diâmetro x Curso (mm): 82 x 93,2

Taxa de Compressão: 10,3

Potência máxima (CV/rpm): 303/6000

Binário máximo (Nm/rpm): 400/2200 – 4800

Motor elétrico: 88 CV/240 Nm

Potência e binário combinados: 391 CV/640 Nm

Transmissão: Integral permanente com caixa automática de 8 velocidades

Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): Duplo triângulo sobreposto/eixo multibraços

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s): 4,8

Velocidade máxima (km/h): 250

Consumos extra-urb./urbano/misto (l/100 km): – / – /2,2

Emissões CO2 (gr/km): 48

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4761/1850/1427

Distância entre eixos (mm): 2872

Largura de vias (fr/tr mm): 1593/1593

Peso (kg): 1690

Capacidade da bagageira (l): 841/1364

Deposito de combustível (l): 60

Pneus (fr/tr): 235/40 ZR18

Preço da versão ensaiada (Euros): 62469€
Preço da versão base (Euros): 62345€