Volvo XC40 T4 Geartronic R-Design – Ensaio Teste

By on 13 Janeiro, 2020

Volvo XC40 T4 Geartronic R-Design

Da Suécia para o Mundo

Modelo de estreia da marca sueca no segmento dos pequenos SUV premium, o Volvo XC40 é, hoje em dia, um dos mais fortes opositores ao domínio alemão, graças também à personalidade forte e própria que exibe. E que, conjugada com um T4 a gasolina de bons recursos, revela atributos para deixar a Suécia, e ambicionar o Mundo!

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Conforto; Habitabilidade; Reactividade do motor

 

 

Menos:

Consumos; Caixa automática nem sempre convincente; Particularidades do sistema de infotainment

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 10/10

Último elemento da família SUV da Volvo a chegar, o XC40 soube afirmar-se, não como uma espécie de XC90 em miniatura, mas como um proposta diferente, de aspecto exterior intenso e personalizado, capaz igualmente de corresponder àquilo que são, hoje em dias, as preferências do mercado. Tudo isto, sem perder a identidade e origem suecas, que a marca continua a fazer questão de manifestar.

Concebido em cima de uma nova e moderna plataforma, CMA – Compact Modular Architecture, o XC40 revela-se como um pequeno SUV de linhas sólidas e marcantes, pontuadas, na versão R-Design, com um toque levemente desportivo, mas também de charme e classe. Resultado também de alguns pormenores e equipamentos muito próprios.

É o caso, por exemplo, dos faróis inteligentes em LED com assinatura luminosa integrada (o famoso Martelo de Thor), das molduras das janelas e dos rails do tejadilho em preto brilhante, ou até mesmo das jantes em liga leve de 20″ em metalizado e preto – estas últimas, no entanto, opcionais (1144€), tal como a própria pintura bicolor, em Prata Glaciar (732€) e tejadilho preto.

Ainda que e no caso das jantes de origem, de “apenas” 18″, não lhe ficassem propriamente mal…

Interior

Pontuação: 10/10

Fortemente personalizado nas linhas exteriores, o XC40 não abdica do mesmo princípio no habitáculo. Ainda que – e bem, dizemos nós -, assumindo, neste particular, bastante mais parecenças com os irmãos maiores XC60 e XC90!

É o caso da qualidade da construção e dos revestimentos a roçar a perfeição, da ergonomia e funcionalidade em patamar muito idêntico, ou até mesmo da forma natural como o vanguardismo tecnológico se faz sentir. Seja através de um painel de instrumentos 100% digital e cujo layout varia segundo o modo de condução escolhido, mas principalmente da espécie de tablet que, idêntico ao existentes nos modelos maiores, integra em si, praticamente todos os sistemas do Automóvel, para os disponibilizar ao condutor de forma muito intuitiva.

Menos convincente, na nossa opinião, a forma como o sistema lê ficheiros (de música, por exemplo), disponibilizados através de pen, e, já agora, o excesso de passos na inserção de uma morada no sistema de navegação. Conhecemos sistemas bem mais intuitivos…

Regressando ao automóvel propriamente dito, uma posição de condução correcta, ainda que um pouco alta, marcada por um volante de óptima pega e banco sem muito apoio lateral, ambos com amplos ajustes. Além de a facilitar o acesso à generalidade dos comandos e a visibilidade exterior. Um pouco pior aliás, para trás, o que faz valorizar a presença do sistema de câmaras 360 graus e dos sensores.

Quanto aos restantes passageiros, beneficiam de óptimas quotas de habitabilidade, mesmo quando com três adultos no banco traseiro. Onde, apesar de um lugar do meio mais apertado, o túnel de transmissão pouco incomoda.

Num habitáculo com vários e bons espaços de arrumação, elogios ainda para a bagageira, acessível através de um generoso e amplo portão de accionamento elétrico, com o espaço interior a oferecer boa capacidade inicial (586 litros), além de bastante funcionalidade e versatilidade. Presente, aliás, também no banco traseiro, cujas costas rebatem facilmente 60/40 no seguimento do piso…

Equipamento

Pontuação: 8/10

Vestido com o nível de equipamento R-Design, o Volvo XC40 já contempla uma boa panóplia de equipamentos de série, ainda que continuando a não abdicar de uma incursão ou outra à generosa lista de opcionais – veja-se o caso da cor exterior Branco Crystal (1.371€), das jantes  em liga leve de 20″ com pneus 245/45 R20, dos estofos em couro (277€), da câmara 360 graus (1.015€) e do Aviso de Presença de Viaturas no Ângulo Morto (554€).

A par destes opcionais, no “nosso” XC40, a presença – valorizada – ainda dos packs Business Pro (carregamento de smartphone por indução + Premium Sound Audio by Harman Kardon, por 836€), Light (faróis de nevoeiro no spoiler dianteiros + lava-faróis + faróis de LED High, por 935€), Park Assist (sensores de ajuda aoa estacionamento à frente e atrás + câmara traseira, por 664€) e Versatility Pro (rede de protecção de carga + suporte de mercearias + encostos de cabeça rebatíveis eletricamente + Keyless Entry + gaveta de arrumação sob o banco do condutor, por 664€).

Pelo contrário, de série e sem custos, o ar condicionado de uma zona, fecho centralizado com comando remoto em couro, painel de instrumentos digital de 12,3″, estofos em Nubuck/Couro R-Design, apoio lombar elétrico, volante em couro R-Design, luzes interiores high-level, Audio High Performance com ecrã táctil de 9″, duas conexões USB, Bluetooth, sistema de navegação, Volvo On Call, integração de smartphones com USB HUB (iPhone e Android), portão da bagageira elétrico, rails de tejadilho e molduras das janelas em preto brilhante, faróis de LED Mid e kit de reparação anti-furos.

Também assegurados, o limitador de velocidade, Cruise Control, Collision Mitigation Suport (à frente), Ajuda à Manutenção na Faixa de Rodagem, sensores de ajuda ao estacionamento atrás, sistema de modos de condução, ajuda ao arranque em subidas, sensor de chuva, ajuda em descidas íngremes e indicador de pneus vazio. Além de todo o tipo de airbags.

Consumos

Pontuação: 8/10

Com boa presença em termos de utilização, este T4 a gasolina revela-se, no entanto, também um pouco guloso nos consumos. Algo confirmado, de resto, nas médias reais elevadas que fizemos, a rondar os 9,2 litros.

Mesmo com uma utilização maioritariamente em cidade e clara despreocupação na abordagem do trânsito citadino, embora não deixando de utilizar o modo Eco disponível no Drive Mode, a verdade é que não deixa de ser valor a preocupar…

Ao volante

Pontuação: 9/10

Concebido com base numa nova e moderna plataforma, da qual faz parte igualmente solução de suspensão traseira não tão evoluída… mas também menos cara, o Volvo XC40 torna-se assim proposta que fácil e rapidamente convence e agrada. Desde logo, fruto da forma competente, estável e segura, como se dá à condução, invariavelmente marcada por um pisar ligeiramente firme, mas aveludado, que convence em qualquer situação ou utilização.

De resto e mesmo sem nunca esconder totalmente a maior altura ao solo e até da carroçaria, elogios merecidos para a forma como o pequeno Volvo consegue combater as transferências de massas, mesmo sem as anular completamente, permitindo, dessa forma, andamentos mais rápidos. Ainda que seja a ritmos mais descontraídos, desfrutando da sensação de segurança e conforto, que melhor se sente o prazer a bordo.

Embora sem sistema de tracção integral, boa reposta igualmente numa ou outra aventura fora de estrada, sempre sem ambições desmedidas, com o SUV sueco a fazer valer a já referida maior altura ao solo, a par de um modo Offroad disponível apenas a baixas velocidades e cuja acção se faz notar apenas através da resposta (diferente) do motor, para um pouco mais de confiança na abordagem de um estradão de terra ou trajecto mais enlameado. Tudo, recorde-se, sem ambições desmedidas, até para evitar surpresas verdadeiramente desagradáveis…

Afinal, é, sim, no alcatrão, e em particular em cidade, que o Volvo XC40 T4 verdadeiramente se sente bem!

Concorrentes

Jaguar E-Pace P200 AWD Auto., 1.997cc., 200cv, 8,2s 0-100 km/h, 216 km/h, 8,1 l/100 km, 213 g/km CO2, 56 603€

(Veja o ensaio AQUI)

Lexus UX 250h F Sport AWD, 1.987cc.,184cv, 8,7s 0-100 km/h, 177 km/h, 4,7 l/100 km, 135 g/km CO2, 523 491€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Motor

Pontuação: 9/10

Disponível entre nós com uma óptima oferta em termos de motores a gasolina e gasóleo, o XC40 que aqui colocámos à prova, dispunha da variante mais potente (190 cv e 300 Nm) do conhecido quatro cilindros 2,0 litros turbo a gasolina que o modelo utiliza. E que, conjugado com a também já bem conhecida caixa automática Geartronic de dupla embraiagem e oito velocidades, anuncia uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 8,4s, além de uma velocidade máxima de 210 km/h.

Igualmente a marcar a utilização, uma resposta madrugadora, linear, mas também célere, com óptima resposta ao pedal do acelerador, além de pouca presença sonora. Inclusive, quando com o modo Dynamic seleccionado no sistema de modos de condução Drive Mode, alturas em que uma atitude mais determinada ao volante, acaba recebendo da caixa Geatronic, respostas, por vezes, um pouco mais indecisas.

Mas que, diga-se, ainda assim, encaixam bem neste pequeno SUV sueco…

Balanço final

Pontuação: 9/10

Último modelo a chegar ao segmento dos pequenos SUV premium, o Volvo XC40 já conquistou o seu espaço entre a concorrência maioritariamente alemã, graças não somente à forma muito própria como se afirma, mas também à excelência dos seus predicados, enquanto produto ambiciosamente estatutário. Atraente, com uma elevada qualidade, óptimas características familiares e um desempenho convincente e competente, este é, claramente, um sueco moderno, de braços virados para o Mundo!

 

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha a gasolina, com injecção directa, turbocompressor de geometria variável e intercooler

Cilindrada (cm3): 1.969

Diâmetro x curso (mm): 82 x 93,2

Taxa compressão: 11,3 : 1

Potência máxima (cv/rpm): 190/ 4.700

Binário máximo (Nm/rpm): 300/1.400-4.000

Transmissão e direcção: tracção dianteira, com caixa automática Geartronic de 8 velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr): Independente tipo McPherson/Independente de quatro braços

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos

Aceleração: 0-100 km/h (s): 8,4

Velocidade máxima (km/h): 210

Consumo velocidade baixa/média/alta/muito alta/combinado (l/100 km WLTP): 11,4-12,1/7,4-8,1/6,4-6,9/7,5-8,3/7,7-8,4

Emissões de CO2 combinado (g/km WLTP): 174-189

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,425/2,034/1,652

Distância entre eixos (mm): 2,702

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1.601/1.626

Peso (kg): 2.290

Capacidade da bagageira (l): 586

Depósito de combustível (l): 54

Pneus (fr/tr): 235/55 R18 / 235/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 56.327€

Preço da versão base (Euros): 50.356€

Preço da versão ensaiada (Euros): 56327€
Preço da versão base (Euros): 50356€