A NSU e a fábrica da Audi em Neckarsul comemoram o 150º aniversário

By on 13 Março, 2023

Depois de 150 anos de inovação, audácia e transformação, a Audi Tradition está a relembrar a história da NSU com uma exposição no Audi Fórum em Neckarsulm, mas também recordando alguns dos momentos mais importantes.

A tradicional marca NSU está a celebrar o seu aniversário. Em 1873, Christian Schmidt e Heinrich Stoll fundaram a “Mechanische Werkstätte Schmidt & Stoll” em Riedlingen para a produção de máquinas de tricotar, empresa que mais tarde evoluiu para a NSU Motorenwerke AG e, por fim, para a atual fábrica da Audi em Neckarsulm. Até o nome da NSU está estreitamente associado a Neckarsulm, uma vez que o nome da empresa deriva da cidade à beira dos rios Neckar e Sulm. A NSU demonstra de forma impressionante o desenvolvimento da mobilidade – desde bicicletas e motociclos a automóveis. Para o seu 150º aniversário, a Audi Tradition vai exibir uma série de destaques da NSU da sua coleção histórica de veículos. A exposição especial “Innovation, audacity and transformation”, um projeto de cooperação entre a Audi Tradition e o Museu Alemão da Bicicleta e da NSU (Deutsches Zweirad- und NSU-Museum), está também em desenvolvimento. A exposição estará presente no Audi Forum em Neckarsulm e no Museu Alemão de Bicicleta e da NSU em Neckarsulm a partir de 14 de junho.

“Há tanto para contar na longa história da NSU”, disse Tobias Fräbel, colaborador da Audi Tradition e responsável pelos arquivos corporativos da fábrica de Neckarsulm e da marca NSU. ”Uma vez que não podemos contar todas as histórias num só texto, a Audi Tradition vai disponibilizar histórias e informação de suporte sobre a empresa, os seus produtos, o seu envolvimento em corridas de automóveis e muito mais ao longo do ano”. Estas publicações podem ser encontradas no Instagram da Audi Tradition.

De março a dezembro, um modelo NSU será apresentado todos os meses – desde os clássicos da marca, quer tenham duas ou quatro rodas, até protótipos e modelos exóticos. Se isso não for suficiente para si, pode, naturalmente, deixar-se levar ainda mais pela história em movimento e multifacetada desta marca tradicional – por exemplo, através do livro da Audi Tradition “NSU-Automobile. Typen – Technik – Modelle” de Klaus Arth, publicado pela Delius Klasing, ou o livro de Peter Schneider “Die NSU-Story”, publicado pela Motorbuch-Verlag.

Fast-forward: A história da tradicional marca NSU

Fundada em Riedlingen em 1873 por Christian Schmidt e Heinrich Stoll como um fabricante de máquinas de tricotar, a empresa foi transferida para Neckarsulm em 1880, onde foi convertida numa sociedade anónima em 1884. Em 1886, a empresa Neckarsulm atacou o mercado no momento certo. As bicicletas estavam a tornar-se cada vez mais populares e a NSU começou a produzir e a vender cada vez mais. A partir de 1900, a empresa começou também a fabricar motociclos. A nova marca N.S.U. (de NeckarSUlm) estava a tornar-se subitamente popular em todo o mundo. Em 1906, foi apresentado ao público o primeiro Original Neckarsulmer Motorwagen – um pequeno veículo de gama média com um motor de quatro cilindros arrefecido a água. Em 1909, 1.000 colaboradores fabricaram 450 automóveis. O fabricante sediado em Neckarsulm fez história automóvel pela primeira vez em 1914, quando os engenheiros da Neckarsulm construíram o NSU 8/24 PS, um modelo com carroçaria de alumínio.

Apesar da Primeira Guerra Mundial e da subsequente desvalorização no hiperinflacionário ano de 1923, a NSU continuou inicialmente a dar-se bem financeiramente. Em 1923, 4.070 colaboradores produziram um novo automóvel a cada duas horas, um motociclo a cada 20 minutos e uma bicicleta a cada cinco minutos. Em 1924, a empresa investiu numa nova fábrica para a produção de automóveis em Heilbronn, com o objetivo de aumentar a sua área de produção. Dois anos mais tarde, porém, as vendas diminuíram pela primeira vez, o que resultou em problemas financeiros. Em 1929, a NSU foi forçada a cessar a sua produção automóvel e a vender a nova fábrica em Heilbronn à Fiat. A Fiat passou a produzir ali automóveis sob o nome de NSU-Fiat até 1966. A partir desse momento, a fábrica de Neckarsulm concentrou-se na produção de veículos de duas rodas, assumiu a maioria da divisão de motociclos da Wanderer em 1929 e estabeleceu uma cooperação comercial com a marca D-Rad em Berlim em 1932. Em conjunto com a BMW e a DKW, a NSU foi uma das mais importantes marcas alemãs de motociclos na década de 1930. Após ter assumido a produção de bicicletas da Opel no final de 1936, tornou-se um dos maiores fabricantes de veículos de duas rodas na Alemanha. Em 1933/34, a NSU construiu três protótipos de um veículo concebido por Ferdinand Porsche com um motor boxer de 1,5 litros arrefecido a ar colocado na traseira. Na sua conceção básica, este veículo era semelhante ao VW Beetle apresentado posteriormente. No entanto, não foi produzido em massa devido a razões financeiras. No final da guerra, em maio de 1945, uma grande parte das instalações da fábrica de Neckarsulm encontravam-se em ruínas.

À reconstrução após a Segunda Guerra Mundial seguiram-se as populares bicicletas NSU e a motorizada NSU Quick com motor de 98 cc. Pouco depois foram disponibilizadas versões de 125 e 250 cc. Mais tarde surgiram a NSU Fox, a NSU Lux, a NSU Max e a NSU Konsul, com motor de 500 cc de cilindrada. Com uma produção anual de quase 300.000 veículos de duas rodas (ciclomotores, motorizadas e scooters), a empresa sediada em Neckarsulm atingiu o topo da indústria internacional de motociclos em 1955. Era a maior fábrica de veículos de duas rodas do mundo. Apesar de todos os sucessos dos motociclos da NSU, que trouxeram à empresa fama mundial com vitórias em cinco campeonatos do mundo de motociclos entre 1953 e 1955 e inúmeros recordes mundiais de velocidade, a direção da empresa teve de responder ao declínio da procura de motociclos a partir de meados dos anos 50. Com a crescente prosperidade, os clientes queriam conduzir automóveis, pelo que era tempo de a NSU começar novamente a produzi-los.

A NSU conseguiu retomar a construção de automóveis em 1958 com o seu modelo compacto Prinz. Rapidamente surgiram várias inovações técnicas. A NSU tinha estado a trabalhar num conceito de motor completamente novo com Felix Wankel desde o início da década de 1950. Em 1957, um motor de pistão rotativo Wankel fez-se ouvir pela primeira vez numa instalação de testes da NSU.

Em 1963, a empresa sediada em Neckarsulm apresentou o NSU Wankel Spider no IAA em Frankfurt, fazendo, assim, história automóvel. Foi o primeiro veículo de produção em série propulsionado por um motor rotativo de um rotor com 497 cc de cilindrada e 50 cv de potência. A grande novidade que se seguiu surgiu no outono de 1967, quando a empresa sediada em Neckarsulm introduziu o NSU Ro 80 no IAA em Frankfurt, entusiasmando o mundo automóvel. O veículo era movido por um motor rotativo de duplo rotor NSU/Wankel de 115 cv e o seu design revolucionário atraiu muita atenção. Também em 1967, o NSU Ro 80 tornou-se o primeiro automóvel alemão a ser eleito Car of The Year.

A 10 de março de 1969, foi assinado um contrato para fundir a NSU Motorenwerke AG e a Auto Union GmbH sediada em Ingolstadt, sob a égide do Grupo Volkswagen. Com efeitos retroativos a partir de 1 de janeiro de 1969, a AUDI NSU AUTO UNION AG foi criada com a sua sede em Neckarsulm e a Volkswagenwerk AG detinha uma participação maioritária. A gama de modelos da nova empresa era muito variada, até mesmo de um ponto de vista técnico. Para além do NSU Prinz e do NSU Ro 80, o Audi 100 foi também construído na fábrica de Neckarsulm a partir dessa altura. No entanto, os dois modelos da NSU foram gradualmente retirados nos anos 70 – o Prinz em 1973, após quinze anos de mercado, e o Ro 80 em 1977, depois de dez anos de comercialização. Finalmente, a 1 de janeiro de 1985, a AUDI NSU AUTO UNION AG foi rebatizada AUDI AG e a sede da empresa foi transferida de Neckarsulm para Ingolstadt. A empresa e os seus produtos têm tido o mesmo nome desde então.

Uma transformação e uma capacidade constante de se reinventar, bem como aos seus produtos – isto faz parte da história da fábrica da NSU e da Audi em Neckarsulm. Tem vindo a desenvolver-se, rápida e continuamente, nas últimas décadas. Com a sua perícia na produção em grande e pequena escala, a fábrica de Neckarsulm está atualmente entre as mais complexas da Europa e é um dos locais com maior diversidade de produtos do Grupo Volkswagen. A fábrica está gradualmente a evoluir para uma fábrica inteligente e a preparar-se para a eletrificação. É também o centro de especialização em baterias de alta voltagem. Para além do automóvel topo de gama Audi A8, o superdesportivo Audi R8 e outros modelos das séries B, C e D e os modelos desportivos RS são desenvolvidos e produzidos também em Neckarsulm – e com boa justificação, pois é aqui que a Audi Sport GmbH está sediada. Esta empresa remonta a sua linhagem à fundação da quattro GmbH em 1983, o que significa que celebrará o seu 40º aniversário em 2023. Desde o final de 2020, o primeiro modelo totalmente elétrico da Audi fabricado na Alemanha é também produzido aqui: o Audi e-tron GT quattro. Com cerca de 15.500 colaboradores nas instalações da fábrica de Neckarsulm, a AUDI AG é atualmente uma das maiores empresas da região económica de Heilbronn-Franken. Tudo começou há 150 anos com dez colaboradores – que história, que dinamismo, que desenvolvimento!

Um capítulo excitante na publicidade da NSU: Criativa, inovadora, pioneira

“Fixe Fahrer fahren Fox”, “Kluge Köpfe kaufen Konsul”, “Nicht mehr laufen – Quickly kaufen!” – muitos slogans publicitários da NSU são lendários. No seu livro “Fahre Prinz und du bist König”. Geschichten aus der NSU-Geschichte” (Drive Prinz and You’re a King: Stories from NSU’s History), o antigo diretor de publicidade da NSU, Arthur Westrup, explica que a NSU não tinha muito dinheiro disponível nos anos 50, o que o tornou a ele e à sua equipa ainda mais criativos. Para além das suas frases cativantes, os especialistas em marketing inventaram campanhas especiais.

Por exemplo, um anúncio especial para a NSU Quickly aparecia no verso do jornal BILD todas as segundas-feiras, por vezes abordando questões atuais. Um anúncio após um jogo internacional entre a Alemanha e a Inglaterra dizia: “Vemos os jogadores derrotados a voltarem de Berlim para casa e todos gritam: ‘Abençoado é aquele que tem uma Quickly!’” Outro grande sucesso publicitário surgiu no ano de 1971. “Ro 80. Vorsprung durch Technik” foi escrito em letras grandes no cartaz publicitário para o NSU Ro 80. O famoso slogan Audi foi assim criado no Departamento de Publicidade da NSU. Veio para ficar na mente das pessoas em todo o mundo: “Vorsprung durch Technik”.

Ativa nas corridas de automóveis: Neckarsulm garante vitórias e recordes

A NSU pode olhar para trás para uma longa e bem-sucedida história no desporto motorizado – tanto antes, como depois da Segunda Guerra Mundial. Segue-se um breve resumo: Com um motociclo de 500 cc da NSU, o piloto inglês Tom Bullus ganhou o Grande Prémio da Alemanha de Motociclos (Großen Preis von Deutschland für Motorräder) no circuito de Nürburgring em 1930. Depois de Bullus ter ganho inúmeras outras corridas e o Grande Prémio das Nações (Großen Preis der Nationen) em Monza em tempo recorde com a NSU 500 SSR, o seu motociclo destacou-se como a moto de corrida alemã de maior sucesso. Entre 1931 e 1937, a NSU ganhou 11 vezes os campeonatos alemães e cinco vezes os campeonatos suíços. A “Bullus”, como os fãs chamavam a NSU 500 SSR, estava também disponível numa versão desportiva de estrada – embora com menos potência.

Na década de 1950, a NSU garantiu, uma vez mais, uma série de vitórias ininterruptas. Em 1950, Heiner Fleischmann (numa moto de competição NSU com motor de 500 cc com compressor) e Hermann Böhm com Karl Fuchs no seu sidecar (numa moto com motor de 600 cc) tornaram-se ambos campeões alemães nas suas respetivas classes. A partir da época de 1951, os compressores já não eram permitidos nas corridas de motociclos, mas as motos NSU com compressor continuavam a prosperar. Com carenagens aerodinâmicas otimizadas num túnel de vento e chassis mais longos, Wilhelm Herz tornou-se no homem mais rápido do mundo num veículo de duas rodas em 1951 e 1956, ao atingir os 290 e os 339 km/h, respetivamente. Graças à sua semelhança com baleias e golfinhos, as motos de corrida da NSU ficaram rapidamente conhecidas por Rennfox Typ Delphin e Rennmax Typ Blauwal – e ganharam quase tudo o que havia para ganhar nas corridas de motociclismo na sua época. As vitórias da NSU na prova Tourist Trophy (TT) em 1954 foram igualmente lendárias. A equipa de fábrica na Ilha de Man incluía Werner Haas, H.P. Müller, Hans Baltisberger e Rupert Hollaus. Hollaus terminou a prova, considerada a corrida de motociclismo mais perigosa do mundo, como o vencedor da classe de 125 cc. Haas, Hollaus, Armstrong e Müller conquistaram os quatro primeiros lugares na classe até 250 cc.

A NSU também conquistou consistentemente vitórias no mundo das quatro rodas. Seguem-se alguns destaques da sua história ao longo de várias décadas: Em 1926, quatro automóveis de corrida NSU 6/60 PS com compressor garantiram uma quádrupla vitória no Grande Prémio da Alemanha de Automóveis Desportivos (Großen Preis von Deutschland für Sportwagen) no AVUS em Berlim. Nos anos 60 e 70, o NSU Prinz, o NSU Wankel Spider e o NSU TT puseram à prova as suas capacidades técnicas nas corridas de automóveis de turismo, emocionando milhões de espetadores em pistas de todo o mundo. E um pequeno participante sempre se destacou: o NSU Prinz TT. Com este modelo, foram conquistados 29 campeonatos nacionais na Europa e América do Norte e Willi Bergmeister tornou-se campeão alemão de provas de rampa em 1974.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)