Agitação na BMW com queda do preço das ações faz Susanne Klatten sair da sombra

By on 1 Julho, 2019

A turbulência que a BMW está a atravessar, fez sair da sombra os seus principais acionistas, com destaque para a irmão de Sven Quandt, Susanne Klatten.

A bilionária germânica, que com o seu irmão, controla praticamente metade do capital da Bayerich Motoren Werk (BMW), teve de oferecer mais 1,12 milhões de ações da empresa, para cobrir as garantias que apresentou para um investimento colossal que fez no “The Winx Riverside” um arranha-céus de luxo dedicado ao mercado empresarial, no centro de Frankfurt. 

Segundo o índex de milionários da Bloomberg, Susanne Klatten tem uma fortuna pessoal em redor dos 15 mil milhões de euros. Com a entrega de mais 1,12 milhões de ações, reforçou, assim, as garantias em 72 milhões de euros. Desta forma o empréstimo contraído para o referido investimento, está devidamente seguro.

Porém, tudo isto acontece porque Harald Kruger, CEO da BMW, está debaixo de fogo devido à perda de valor da empresa com a descida consecutiva do preço das ações em bolsa. Ora, isso não só faz perder dinheiro aos investidores e acionistas, como faz perder valor das garantias quando estas são feitas a partir de capital social de empresas.

Os 16% de queda das ações da BMW forçaram esta situação e Susanne Klatten, raramente exposta publicamente, teve de fazer esta operação. Porém, ela e o irmão, Sven Quandt, deram uma rara entrevista à revista “Manager Magazin” dizendo que a riqueza recebida era um fardo incompreendido e que as pessoas não percebem as desvantagens de controlar milhares de milhões de euros.

Percebe-se o desabafo. Menos 16% de valor da jóia da coroa dos seus investimentos e da sua herança é um susto enorme e a BMW tem andado a navegar em aguas turbulentas, sendo certo que os ganhos de 2019 ficarão muito abaixo dos níveis de 2018, pelo que os irmãos que controlam quase metade do capital da BMW estejam preocupados e que Harald Kruger, o CEO, estava a caminhar no arame e tenha muitas armas apontadas a si dentro do conselho de controlo e de administração. 

Não será por acaso que Klaus Froelich, responsável pelo desenvolvimento, tem feito declarações que vão ao arrepio daquilo que tem sido defendido por Kruger, nomeadamente, a questão da eletrificação que Froelich considera ser um exagero. Segue-se a luta de galos pelo poleiro da BMW.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)