Antevisão Salão de Xangai 2019: nuvens negras do mercado condicionam certame

By on 10 Abril, 2019

Estacionou por cima do mercado chinês uma gigantesca nuvem escura de incerteza que está a afetar o Salão Internacional do Automóvel de Xangai.

Após anos de crescimento impressionante, o antigo eldorado parece estar a fenecer aos poucos e depois de em 2018 ter dado o primeiro trambolhão nas vendas em muitas décadas, 2019 continua com perspetiva negativa.

Junta-se a tudo isto as tensões cada vez mais incomodativas provocadas pela luta comercial entre a China e os Estados Unidos da América, que não ajudou ninguém, já que o dano provocado na economia chinesa teve como repercussão a diminuição das exportações norte americanas, atingidas com taxas aduaneiras impossíveis.

Finalmente, o segmento dos veículos elétricos, aquele que parecia ser o único que ainda cresce, está numa encruzilhada depois do Governo chinês ter cortado os generosos incentivos fiscais à compra de veículos elétricos, os mesmos que têm mantido o segmento a crescer de forma artificial.

Já não há crescimento a dois dígitos, no seu lugar quebras de dois dígitos e valores que ficam longe daquilo que já foi o mercado chinês, tendo o mercado contraído, entre janeiro e fevereiro, 18%. Leu bem, o mercado chinês caiu 18% para as 3,24 milhões de unidades, com outro dado a mostrar como o mercado está em crise profunda: os SUV e crossover, outrora vendidos como pãezinhos quentes, recuaram 19% só em fevereiro. Ou seja, o mercado está deprimido e as coisas não têm previsão de melhorar. E se o mercado dos modelos elétricos duplicou, a sua escala é ínfima e não foi além de 114 mil unidades vendidas em dois meses, tendo os híbridos crscido 99%.

É neste ambiente complicado que se vai realizar o Salão de Xangai, tradicionalmente um oásis de esperança e otimismo sobre a capacidade de regeneração e sobrevivência da indústria automóvel. Mesmo assim, serão lançados 19 novos modelos e sete protótipos.

Audi

Será revelado o AI:ME um protótipo que mostra um cinco portas com forma em cunha, uma postura desportiva e uma aparência desportiva. Será, claro, elétrico e terá a seu lado o Q2 L e-tron, a versão totalmente elétrica do Q2 e com distância entre eixos alongada. Será feito na China com a FAW Volkswagen.

BMW

Para chinês comprar, será lançado um Série 3 com distância entre eixos maior, além da estreia mundial do X3 M, a variante desportiva do X3.

Bordrin

Esta “start up” vai lançar o seu primeiro modelo de produção, o B31 SUV, lado a lado com um protótipo de um carro do segmento Premium, desconhecido. A produção do B31 SUV começará ainda este ano nas fábricas da FAW, começando as vendas exatamente no Salão de Xangai.

Buick

A marca americana vai revelar o redesenhado Encore, um crossover compacto, surgindo na mesma ocasião o Encore GX, uma versão maior do modelo base. Inevitavelmente, a Buick irá revelar um modelo eletrificado e um protótipo que a Buick não revelou.

BYD

Fará a estreia do protótipo de um quatro portas com sistema híbrido Plug In, bem co o SA2, um crossover disponível com motor a gasolina, híbrido Plug In e versões elétricas.

Chevrolet

Com a estreia de dois modelos, a marca americana duplica a sua oferta no segmento. Os novos modelos são o Tracker e o Trailblazer. Ambos, diz a Chevrolet, possuem a última palavra em termos de motores, conectividade inteligente e tecnologias de segurança.

Ford

Com um desenho específico para o mercado chinês, o novo Escape será revelado na China e começará imediatamente as vendas. O estilo é uma evolução que faz parte de um projeto que tentará aumentar as vendas, estando previsto o lançamento de mais produtos destinados aos gostos chineses.

Hozon

Mais uma “start-up” para a produção de veículos elétricos que vai mostrar em Xangai o seu segundo modelo de produção, um SUV que terá uma autonomia de 500 quilómetros. O primeiro Hozon, o N01, já está á venda na China desde janeiro.

Infiniti

Acabada a sua presença na Europa, a marca de luxo da Nissan vai concentrar-se em mercados como o chinês e em Xangai vai revelar o QS Inspiration, uma berlina de quatro portas elétrica que antevê um modelo de produção em série, baseada numa plataforma nova dedicada à mobilidade elétrica. O interior tem duas zonas distintas, uma para o condutor com toda a informação e outra despreocupada e relaxante.

Jetta

A nova marca para o mercado chinês da Volkswagen, pega num nome com enorme sucesso na China e estreia-se em Xangai com três modelos: VS5 (crossover compacto), VS7 (crossover maior que o VS5) e o VA3 (compacto de quatro portas). Os modelos serão comercializados pela FAW Volkswagen Automotive a “joint venture” do grupo VW com o gigante chinês FAW Group.

Jianghuai (JAC)

Esta é uma das marcas de topo do mercado chinês de veículos elétricos e irá revelar um crossover pequeno chamado iEVS4. O modelo terá uma autonomia de 400 quilómetros.

Leap Motor

Outra “start up” para construir automóveis elétricos que vai apresentar o seu segundo modelo, um SUV com autonomia superior a 500 quilómetros e condução autónoma de nível 3. Este segundo modelo da Leap Motor estará á venda na China, segundos os planos da empresa, no final de 2020.

Nissan

A casa japonesa vai atualizar a sua gama e estrear uma berlina de quatro portas da qual não se sabe rigorosamente nada. Espera-se que seja a nova geração do Sylphy, a versão chinesa do Sentra vendido nos EUA.

Renault

Xangai assistirá á estreia do K-ZE, um “low cost” elétrico com autonomia de 250 quilómetros de autonomia e feito com base no Kwid, o modelo para mercados como a India, Brasil e outros. Foi mostrado como protótipo em outubro no Salão de Paris, mas fará a sua estreia comercial na China, sendo depois enviado para outros mercados.

Toyota

A marca japonesa vira-se para os modelos elétricos com uma versão totalmente elétrica do C-HR. Será conhecido na China como Izoa e será vendido na China pela segunda rede de distribuição da Toyota naquele país. A marca do país do Sol Nascente irá mostrar, também, o protótipo Rhombus, um automóvel elétrico desenhado para seduzir os jovens de 20 anos, colocando o condutor no centro do carro.

Volkswagen

A grande novidade será o I.D. Roomzz, o protótipo que antecipa o SUV grande da marca elétrica da Volkswagen e que será rival do Tesla Model X. Antecipando aquilo que será o futuro da marca, além da propulsão elétrica, tem condução autónoma de nível 4, ou seja, é capaz de se conduzir sozinho, mas continua a ter volante para que o condutor possa recuperar o controlo a todo o momento. O Roomzz terá três filas de bancos, terá o tamanho de um Touareg e estará à venda na China em 2021, nos EUSA em 2022 e na Europa em 2024.

Xpeng

Nova “start up” dedicada aos veículos elétricos, irá revelar um carro compacto elétrico desportivo que é o protótipo de antevisão do E28, um carro que chegará ao mercado ainda este ano.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)