Aston Martin regista um prejuízo de 135 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020

By on 13 Maio, 2020

O prejuízo antes de impostos justifica-se com a contração das vendas em quase 50% provocada pela pandemia de Covid-19.

Apesar deste tsunami financeiro provocado pela pandemia de Covid-19 e que viu a Aston Martin vender, apenas, 578 carros entre janeiro e março (abril poderá ser quase catastrófico), ou seja, menos 45% que em igual período de 2019, a casa britânica insiste que o DBX vai recolocar nos eixos da Aston Martin.

O mais impressionante é que a Astn Martin vendeu menos 479 carros nos primeiros três meses de 2020 que em igual período de 2019, com uma assinalável descida dos preços que passaram de uma média de 182 mil euros no ano passado para 111 mil euros este ano. A ausência de modelos exclusivos também contribuiu para o descalabro de vendas e financeiro.

Apesar de tudo isto, Lawrence Stroll continua confiante. “Sabíamos que a curto prazo, teríamos muitas dificuldades devido à pandemia e de termos chegado há apenas umas semanas. Sabemos que até ao final do ano será duro, mas estou muito confiante no nosso plano multi anual, desenhado para oferecer novos e excitantes produtos da Aston Martin e que vão direito às necessidades dos nossos clientes.” Não impede que a gestão da casa britânica esteja a avaliar como a necessidade de novo aumento de capital para reforçar a liquidez, enquanto o efeito DBX não se faça notar nas contas.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)