AUTOMAIS Top 10: os melhores híbridos

By on 8 Maio, 2020

Mais que os carros elétricos, serão os modelos híbridos que podem ajudar a reduzir, já, as emissões poluentes e a oferta vai ser robustecida. Por isso, se está a pensar em comprar um automóvel híbrido a nossa escolha pode ser importante para si. Isto porque com um carro híbrido pode desfrutar de potência e eficiência. Pode escolher entre modelos híbridos convencionais ou Plug In de recarregamento exterior. Os segundos, como um elétrico, exigem carregamento da bateria, exibindo como vantagens uma maior autonomia em modo elétrico e consumos verdadeiramente baixos. Os primeiros são mais simples e não necessitam de ser carregados externamente. 

Depois, os híbridos surgem em todas as formas e feitios e haverá, certamente, um modelo que sirva as suas necessidades. A aposta nesta motorização começa a pagar dividendos e marcas como a Toyota estão a recolher os dividendos que semeou ao longo de muitos anos. São 25 anos de desenvolvimento plasmados numa tabela que o pode ajudar a escolher o seu primeiro híbrido.

1 – Toyota Corolla

O regresso do nome Corolla à marca japonesa foi feito em fanfarra: um estilo musculado e atraente e um novo sistema híbrido que é, agora sim, muito eficiente e capaz de oferecer uma boa performance. A qualidade de construção é muito boa, a habitabilidade é suficiente e o Corolla é minimamente divertido na condução, particularmente com a mais potente versão 2.0 litros. Ainda por cima, os preços são simpáticos e a fiabilidade do sistema híbrido grande.

2 – Hyundai Ioniq

A remodelação feita ao primeiro modelo que ofereceu três modos de ser alternativo, deu mais argumentos ao Ioniq. Pode escolher entre o híbrido convencional, o Plug In e até uma versão puramente elétrica. O mais interessante da gama é o Plug In que permite uma grande utilização em modo elétrico. O grande rival do Toyota Prius oferece muito espaço interior, uma boa bagageira e cifras em termos de eficiência de elevado nível. Com uma excelente dotação de equipamento, o Ioniq deveria ser um pouco mais confortável, mas sobretudo, é muito mais económico que o seu rival. E o estilo até não choca naquele meio caminho entre carro normal e uma nave espacial.

3 – Kia Niro

O SUV específico da Kia para a mobilidade eletrificada, é um caso à parte entre as marcas do mercado. Faz jogo igual no que toca á oferta de motorizações híbrida, híbrida Plug In e elétrica, com o Ioniq, mas sendo muito mais convencional que o Ioniq da Hyundai e o Prius da Toyota. Sendo pensado para uma utilização moderna, é um carro com muita conectividade, ligações ao exterior e até carregamento sem fios para o smartphone. O equipamento é muito completo, tem uma generosa bagageira e uma excelente habitabilidade. Ou seja, é o carro perfeito para uma família média com dois a três filhos que tenha consciência ambiental. A regeneração de energia é forte e o comportamento adequado, sendo aceitavelmente confortável. É, também, económico.

4 – Toyota C-HR

A presença de tantos modelos da Toyota não é estranha, pois foi a marca japonesa quem lançou a ideia e quem mais cedo acabou com os motores diesel na sua gama. O C-HR foi revisto e apesar de manter um estilo futurista, é muito giro, divertido e um carro de qualidade. Provavelmente deveria estar mais acima, mas… O C-HR é espaçoso, mas a bagageira é pequena, o sistema de info entretenimento é de boa qualidade, mas merecia outro grafismo e o equipamento é completo. O uso da mais recente plataforma dá-lhe um cunho desportivo com grande qualidade em termos de comportamento. O carro com o motor 2.0 litros é muito mais rápido. Mas também é mais caro.

5 – Toyota Yaris

O novo Yaris promete muito, com uma nova motorização híbrida inteligente, um chassis muito interessante e detalhes que merecem atenção. O carro é bem melhor que o existente e poderá ser uma bela opção para quem quer um híbrido de pequenas dimensões, com um excelente comportamento e performances interessantes em termos de rapidez e de eficiência no consumo. Para já fica em quinto, mas pode subir numa próxima avaliação.

6 – Toyota Prius

Foi o pioneiro em termos de hibridização e recolheu o interesse de muitos famosos, desejosos de serem vistos ao volante de um carro ecológico. As primeiras gerações eram “muita parra e pouca uva” no que toca á economia e ao comportamento. A derradeira geração do Prius tem um excelente comportamento, mas continua a não ser o mais económico. Além disso continua a ter um estilo de nave espacial que já não faz sentido e que até o Mirai, alimentado a hidrogénio já despiu. A versão mais interessante é a Plug In, mas é demasiado cara sem justificação aparente.

7 – Mini Countryman

De mini tem pouco, pois o Countryman deixou de ser o divertido Mini de quatro portas com capacidades em termos de comportamento muito agradáveis, para ser um SUV, compacto, é verdade, mas muito diferente. Continua a ser divertido de conduzir, mas não tanto como anteriormente, sendo mais burguês e caro. A versão híbrida Plug In tem 221 CV, ou seja, é o segundo Mini mais potente da gama. Por aqui não há problema. Falta o sistema de info entretenimento mais informativo, falta mais conforto e equipamento de série, tendo uma longa lista de opcionais. Já a qualidade do interior é grande, a habitabilidade não é má, mas em termos de eficiência, o Mini não é dos melhores com consumos acima da média. Ah! e a bagageira não é Mini.

8 – Mitsubishi Outlander PHEV

Este é o caso de um excelente sistema híbrido “mal” embrulhado, ou seja, com uma carroçaria que não faz muito pelo modelo. É um carro espaçoso, tem um motor maior tanto térmico como elétrico e uma autonomia em modo elétrico alargado. A qualidade do interior evoluiu, mas precisa de um novo salto face aos rivais e o sistema de info entretenimento precisa de evolução pois não é fácil de apreender. O equipamento é completo e o preço simpático, com consumos baixos e a capacidade de preservar a carga da bateria ou carrega-la com a ajuda do motor térmico. Quando a bateria acaba, o consumo é demasiado elevado.

9 – Mercedes A250e

Sim, é um carro novo e o AUTOMAIS ainda não teve a oportunidade de o ensaiar, mas as qualidades do A250e dão-lhe a oportunidade de estar neste top 10. Para lá da utilização do motor 1.3 litros com 160 CV, o motor elétrico tem 100 CV e uma bateria de 15,6 kWh, permite que seja rápido e eficiente, mesmo aumentando em 150 kgs o peso do carro, mas em roubar espaço na habitabilidade e na bagageira. Os 72 km de autonomia elétrica são excelentes e os consumos baixos. Para já está no penúltimo lugar deste top 10, dependerá do preço trepar na classificação.

10 – BMW 330e

Pena os quase 55 mil euros que custa, pois, a BMW fez um híbrido Plug In excitante, que tem um excelente comportamento e que quase nos faz esquecer que é um carro “verde”. O motor 2.0 litros a gasolina com 190 CV que recebe a ajuda de um motor elétrico com 90 CV. Não espanta que chegue dos 0-100 km/h em 6,1 segundos! Continua a ser um tração traseira e beneficia de todas as melhorias que a BMW introduziu no novo Série 3. Apesar de ter mais 160 kgs, a autonomia é de apenas 40 quilómetros, levando 3,5 horas a carregar a bateria, ou uma hora num carregador rápido. Curto e isso mais o preço e consumos que deveriam ser mais baixos, acabam por o penalizar. Mas este é um BMW como aqueles que conhecíamos.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)