BMW revela novo Série 4 que chega a Portugal em outubro a partir de 49.500€

By on 2 Junho, 2020

A última geração do Série 4, coupé e descapotável do Série 3, acaba de ser apresentada via internet devido à crise de Covid-19, e promete muito. Mesmo com a sufragada, criticada e abusada grelha de “duplo rim”, não falta personalidade ao carro. Enfim, a BMW fez o que prometeu e quis dar ao Série 4 uma identidade que o afasta do Série 3 e lhe oferece a possibilidade de passar a ser um carro desejável e não apenas uma alternativa.

Portanto, teimando na dimensão XXL da grelha duplo rim, típica da BMW, a casa alemã quer distinção, como dizemos acima, mas termos de esperar para saber o veredicto do mercado. Ainda assim, o carro é elegante e desportivo e a grelha não fica assim tão mal como parecia anteriormente. Mesmo que, na minha opinião, seja um exagero, a verdade é que não falta personalidade ao Série 4, bebendo muita inspiração no Série 8. Aliás, o carro parece uma pequena réplica do grande coupé da BMW. 

Isso é bem visível nos ombros salientes, no pequeno lábio situado em cima da tampa da mala, na utilização de tecnologia LED nos faróis e nos farolins traseiros, estes mais perto do Série 3. Como é agora habitual na BMW, consoante a versão, assim muda o para choques, com os modelos M a terem peças muito agressivas. O pacote M oferece também jantes maiores, suspensão M e um majorado sistema de travagem.

No que toca às motorizações, o destaque vai para o M440i xDrive, o primeiro carro M Performance oferecido no Série 4. Está equipado com o motor 3.0 litros turbo com seis cilindros e debita 374 CV e 500 Nm de binário, estando ligado à caixa de velocidades automática de 8 velocidades. Com o sistema “mild hybrid”, o motor recebe ajuda de um motor de arranque gerador com tecnologia 48 volts, que oferece mais 11 CV, num muito curto período de tempo, ajudando a chegar dos 0-100 km/h em 4,7 segundos, estando limitado aos 250 km/h em termos de velocidade máxima. O consumo é de 7,1 a 6,8 l/100 km e ae emissões de 163 a 155 gr/km de CO2. Até á chegada do M4, este será o Série 4 mais potente. A gama a gasolina ainda inclui o 420i com o bloco 2.0 litros turbo (190 CV, 300 Nm, 7,5 segundos dos 0-100 km/h e 240 km/h, 5,8 a 5,2 l/100 km e 132 a 122 gr/km de CO2) e o 430i, com o mesmo bloco, (258 CV, 400 Nm, 5,8 segundos dos 0-100 km/h e 250 km/h, 6,1 a 5,7 l/100 km e 141 a 131 gr/km de CO2), ambos com caixa automática de 8 velocidades.

No lado diesel da gama, a BMW propõe o 420d com o bloco 2.0 litros turbodiesel (190 CV, 400 Nm, 7,1 segundos dos 0-100 km/h e 240 km/h, 4,2 a 3,9 l/100 km e 112 a 103 gr/km de CO2) e possibilidade de tração integral (7,4 segundos dos 0-100 km/h e 240 km/h, 4,6 a 4,3 l/100 km e 121 a 1112 gr/km de CO2). Será o único carro diesel para já, devendo chegar em março do próximo ano o 430d (286 CV, 650 Nm, 5,2 segundos dos 0-100 km/h e 250 km/h, 6,2 l/100 km e 146 gr/km de CO2) e o M440d (340 CV, 700 Nm, 4,7 segundos dos 0-100 km/h e 250 km/h, 6,7 l/100 km e 158 gr/km de CO2). Ambos com caixa automática de 8 velocidades e tração integral. 

A base do Série 4 é a mesma plataforma CLAR do Série 3. O carro é maior que anterior: tem 4768 mm de comprimento (mais 128 mm), 1852 mm de largura (mais 27 mm), 1383 mm de altura (mais 6 mm) e 2851 mm de distância entre eixos (mais 41 mm). As vias também alargaram 28 mm à frente e 18 mm atrás. As jantes vão das 18 às 20 polegadas. A BMW aligeirou a plataforma, baixou o centro de gravidade no eixo traseiro em 21 mm face ao Série 3, reclamando que o carro tem uma repartição de peso entre os dois eixos de 50/50 e um coeficiente de arrasto de 0,25.

Os amortecedores e as molas são mais firmes e o mesmo se passando com as barras estabilizadoras. O Série 4 está mais perto do solo 10 mm que o Série 3. Claro que está disponível o sistema de suspensão M adaptativo com amortecedores controlados eletronicamente (de série no M440i e no M440d).

O interior do Série 4 tem quatro lugares e tem as mesmas tendências usadas no Série 3, por exemplo. Está equipado com a última geração do sistema iDrive de info entretenimento e um aumentado “head up display”.

Os bancos desportivos são de série e o banco tarseiro rebate 40/20/40, oferecendo uma bagageira com 440 litros. 

Algumas das novidades introduzidas no Série 5, surgem aqui no Série 4, como vidro acústico, sistema de navegação a funcionar com a ajuda à manutenção na faixa de rodagem, head up display com maior área de visualização, painel de instrumentos digital com visualização 3D, ajuda ao estacionamento e o BMW Driver Recorder que grava em vídeo o que se passa em redor do carro em curtos filmes de 40 segundos. O sistema operativo é novo, a sétima versão e está incluído o BMW Inteligent Personal Assistant. 

O Série 4 será o primeiro carro da marca a oferecer o novo pacote “BMW M Sport Pro” que adiciona a caixa desportiva, um sintetizador de som que melhora o som do motor quando no modo Sport, travões M e algumas modificações em termos de revestimentos.

O carro chega a Portugal no fim de outubro e estarão disponíveis cinco versões diferentes: o 420i vai custar 49.500 euros, seguindo-se o 430i (56.600 euros), o M440i xDrive (84.800 euros). A gama diesel tem duas versões, de tração traseira ou integral, mas com o mesmo motor 2.0 turbodiesel com 190 CV, custando o 420d 52.800 euros, a versão de tração às quatro rodas do 420d fica por 55.300 euros.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)