Chegou o primeiro SUV da Rolls-Royce, o Cullinan

By on 10 Maio, 2018

Três anos depois do primeiro anúncio a Rolls-Royce apresentou finalmente o Cullinan, o seu primeiro SUV e um dos modelos mais importantes dos seus 112 anos de história. Irá rivalizar com o Bentley Bentayga e versões topo de gama do Range Rover na tentativa de ascender ao trono do segmento dos SUVs ultra luxuosos. A marca britânica descreve-o como sendo um “carro elevado com capacidade todo-o-terreno”.

O seu nome advém do maior diamante alguma vez encontrado, há ceca de um século atrás, numa mina da África do Sul pertencente a Sir Thomas Cullinan. A pedra preciosa faz agora parte das Jóias da Coroa Britânica.

Interior

Como seria de esperar, o interior do novo Rolls-Royce representa o pináculo do luxo. Os lugares traseiros devem ser os mais confortáveis do habitáculo do Cullinan e podem ser organizados de acordo com duas configurações. A configuração “Lounge Seat” privilegia o pragmatismo, um banco corrido tradicional, que pode ser dobrado de várias formas através de comandos eléctricos, permite levar até 3 passageiros. A configuração “Individual Seat” é menos funcional, mas mais luxuosa, apresenta o formato de duas sumptuosas cadeiras individuais separadas por uma consola central que integra um pequeno frigorífico.

Destaque para a bagageira de 560 litros que está separada do resto da cabine por um vidro, uma referência à época quando as malas eram colocadas no exterior dos veículos para conferir o máximo de espaço possível aos ocupantes. Pode ser acedida através da abertura exterior traseira denominada “The Clasp”.

O lugar do condutor não é menos impressionante é composto por um banco com aquecimento e ventilação para garantir o máximo conforto. O painel de instrumentos é totalmente digital e na consola central encontra-se o primeiro display sensível ao toque do construtor britânico.

Os diversos sistemas de assistência à condução tornam o Cullinan num dos SUVs mais avançados de sempre em termos tecnológicos. O equipamento de série inclui por exemplo: um sistema de visão nocturna, 4 câmaras exteriores que conferem uma perspectiva panorâmica, aviso de colisão e de tráfego lateral, assistente de faixa, hotspot WiFi e uma funcionalidade que rebaixa automaticamente a suspensão em 4 cm quando o condutor se aproxima do veículo, facilitando assim a entrada no seu interior.

Mecânica

O Rolls-Royce Cullinan assenta na mesma plataforma em alumínio estreada no mais recente Phantom. É 400 mm mais curto, mas 200 mm mais alto que a berlina. O seu peso total situa-se nos 2660 kg.

A suspensão pneumática, uma versão reconfigurada da já existente noutros modelos da marca, integra um sistema que está constantemente a efectuar milhões de cálculos por segundo para adaptar-se na perfeição às características do piso e consequentemente criar a sensação de “Magic Carpet Ride” em qualquer circunstância.

Debaixo do capô encontra-se o tradicional V12 biturbo de 6,75 litros, neste caso foi revisto para produzir 850 Nm de binário às 1.600 rpm. A potência situa-se nos 571 cv e é transferida às quatro rodas através de avançados sistemas de tracção e direcção integral. A velocidade máxima anunciada é de 250 km/h (electronicamente limitada), o tempo de aceleração dos 0 aos 100 km/h não foi divulgado.

Preço

A produção terá início na segunda metade do ano e as primeiras unidades serão entregues por volta do Natal. Não são conhecidos preços para o mercado nacional, mas como referência, o Roll-Royce Cullinan estará disponível no Reino Unido a partir de 300.000 euros


 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!