Citroën Berlingo viaja no tempo e regressa convertido em Fourgonnette

By on 4 Outubro, 2022

É uma nova opção para o Berlingo, que o deixa moderno e tecnológico no habitáculo, mas um verdadeiro clássico no exterior, inspirado pelas linhas do 2CV Fourgonnette de 1951.

Numa ideia bastante original de voltar a recriar a imagem de alguns modelos do passado, o carroçador italiano Caselani criou uma proposta estilística para o Citroën Berlingo. Foi desenvolvida em conjunto com a marca francesa e tem o objetivo de recriar a imagem do Citroën 2CV Fourgonnette, lançado inicialmente em 1951 e que criou uma autêntica legião de fãs durante mais de 35 anos.

Estamos muito orgulhosos por o nosso ‘best-seller’ Berlingo estar a ser modificado pela Caselani, inspirando-se no icónico 2CV Fourgonnette que marcou a história da Citroën e do automóvel. O design teve início nos estúdios do carroçador, sendo que a partir daí começámos a trabalhar em conjunto, de mãos dadas, neste projeto. O trabalho foi acompanhado pelos nossos designers, para garantir que não se reinterpretasse o 2CV Fourgonnette de forma demasiado literal e que o resultado tivesse os genes reais da Citroën. O tratamento das superfícies e os volumes foram feitos a partir de ferramentas digitais, com as quais estamos habituados a trabalhar, o que dá ao veículo um toque moderno“, refere Pierre Leclercq, Diretor de Estilo da Citroën.

  • A secção dianteira do Berlingo foi completamente redesenhada para lhe conferir as caraterísticas visuais do antigo 2CV. Os escudetes, os guarda-lamas e os pára-choques foram substituídos por novas peças em fibra de vidro adaptadas à estrutura, sendo fixadas por clipes e parafusos. A montagem destes elementos é realizada nas instalações de Caselani no norte de Itália, na Lombardia.
  • O capô curvo em “V” é mais estreito na parte inferior – no jargão dos designers chama-se isto “beliscar” – como antes. Ao centro, a famoso logótipo estriado em relevo impõe-se sobre a quase totalidade da superfície.
  • Os faróis redondos estão parcialmente deslocados do capô do motor, ao contrário dos faróis originais, que o estavam na totalidade. Uma interpretação mais moderna com elementos que são parte integrante do veículo como um todo.
  • As estrias no topo dos guarda-lamas já existiam no 2CV e serviam para refrigerar o motor.
  • A grelha é facilmente reconhecível pela sua secção superior côncava (ou ascendente em forma de “M”), um elemento atrativo e icónico do 2CV AU. Os grandes chevrons cromados, assinatura da marca, estão em destaque, colocados bem ao centro da grelha, com o objetivo de os fazer sobressair ainda mais. Todos estes elementos moldam a identidade da fourgonnette, ligando-a à história e reputação da Citroën. Acentuadamente curva e integrando o formato do capô, como na época, a imponente grelha desce na continuidade do mesmo, dando a sensação de que os guarda-lamas flutuam e se integram neste elemento fulcral. A linha acima das luzes de nevoeiro, que percorre toda a largura do veículo, reforça ainda mais este efeito. Também estabiliza e alarga a secção frontal, reforçando o seu carácter robusto.
  • O pára-choques é visualmente mais baixo do que o do Berlingo. Enquanto o pára-choques do 2CV era cromado, aqui surge pintado de branco para contrastar com a cor da carroçaria, enfatizando, assim, este elemento protetor, enquanto lhe confere uma certa modernidade.
  • As laterais e as portas traseiras, bem como o tejadilho, estão cobertos com uma segunda “pele” que cobre a carroçaria do Berlingo. Estes elementos em fibra de vidro, que imitam a chapa ondulada do 2CV e eram um detalhe distintivo da fourgonnette, são hoje puramente decorativos. Na altura tinham uma função real, assegurando a rigidez da estrutura. Estes elementos estriados e o tejadilho elevado e redesenhado são uma escolha estética para delimitar o compartimento de passageiros da área de carga do veículo, uma característica já visível na antiga fourgonnette.
  • Na traseira do veículo, uma pequena janela vertical, arredondada na parte superior e inferior, destaca-se em cada uma das portas traseiras do Berlingo, fiel à forma das existentes no 2CV. Para um aspeto mais moderno, a espessa borracha vedante à volta das janelas foi eliminada. Quanto às luzes de travagem e de marcha atrás, as suas formas totalmente arredondadas são realçadas pelas suas grandes dimensões e pela moldura vermelha que as envolve, tornando-as mais visíveis e dando-lhes uma perceção mais contemporânea.  
  • Diversos elementos cromados são utilizados em vários pontos-chave do veículo, aludindo, mais uma vez, aos detalhes estéticos do 2CV. É o caso dos faróis, do friso central do capô, da grelha com os seus chevrons, dos tampões de roda originais, ainda hoje fabricadas, e do aro cromado nos faróis com abertura para substituição das lâmpadas. Apenas a tradicional pega de abertura do capô não foi adotada.

Sendo um fã incondicional do 2CV e do furgão HY, tenho uma coleção de antigos modelos Citroën. A minha mulher é tão apaixonada pela marca como eu, tendo viajado pela Europa nos anos 2000 ao volante de um Type H convertido em autocaravana. Quando a família cresceu, surgiu a ideia de criar um HY suficientemente espaçoso e confortável: por que não utilizar a atual arquitetura do Jumper e fixar painéis de fibra de vidro à sua carroçaria? Foi apresentado um protótipo às equipas de Estilo da Citroën e a aceitação foi quase imediata. A produção arrancou em 2017 e foi alargada ao seu ‘irmão mais novo’ em 2020. Para completar a nossa gama de veículos comerciais Citroën, apenas faltava o Berlingo. O furgão agora apresentado possui o seu ‘kit’ 2CV Fourgonnette, cujo design resulta do trabalho conjunto das equipas Caselani e Citroën. Estamos encantados por voltar a ver a ‘simpática face’ desta ‘camionnette’ de culto que marcou os anos 50”, declarou Fabrizio Caselani, Diretor da Carrosserie Caselani.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)