Clássicos: Rocket, by Gordon Murray
Clássicos, Alpine Renault A110: Pequeno genial

Clássicos, Lotus Elite: O menos conhecido

By on 21 Outubro, 2023

O Elite é um dos modelos menos conhecidos da Lotus, tendo sido apresentado em 1957 no Salão Automóvel de Londres. Após um ano de desenvolvimento, o Elite surgiu com uma carroçaria monobloco em fibra, que substituiu a técnica da carroçaria separada do chassis, usada por exemplo no Corvette. O Elite até no chassis tinha fibra de vidro reforçada, complementada com sub chassis em aço que suportavam motor, suspensões e demais elementos mecânicos. Uma das causas dos atrasos no lançamento do modelo, foram exatamente os vários e graves problemas com a fibra de vidro da carroçaria. Sanados quando o fabrico foi entregue à Bristol Aeroplane Company. O resultado final foi uma carroçaria leve, rígida e capaz de oferecer alguma proteção em caso de acidente, embora naquela época isso fosse uma consideração menor.
Os ganhos no peso foram de tal ordem que o Elite, com um motor de 1.2 litros e apenas 75 cv, podia ser considerado um desportivo. De tal forma que em Le Mans, o Elite venceu a sua classe seis vezes, bem como o “Índice de Eficiência Energética” que antigamente era atribuído durante a corrida. Outro avanço deste Elite, era a sua aerodinâmica, cujo coeficiente de penetração de 0,29 é ainda hoje referencial. Este valor é ainda mais impressionante quando percebemos que naquela altura, não havia túneis de vento nem computadores CAD. O estilo do Elite foi criado por Peter Kirwan-Taylor que Frank Costin – irmão de Mike Costin, um dos fundadores da Cosworth – refinou. Entre os diversos problemas do Elite, estava uma vibração de ressonância às 4000 rpm, verdadeiramente incomodativa, e uma qualidade de construção pobre. Para piorar a situação, o Lotus Elite era comercializado em “kit” exatamente o oposto daquilo que se deve fazer para manter os níveis de qualidade. O Elite esteve em produção até 1963 e foram produzidas pouco mais de mil unidades. A Lotus voltou mais tarde ao Elite, desta feita em 1974, com um carro totalmente diferente. Porém, a carroçaria também era em fibra de vidro, com motor dianteiro e tração traseira. O estilo de construção é que era diferente, pois a carroçaria estava aparafusada ao chassis. O motor era um 2 litros e o comportamento era muito interessante, mas não mais de 2535 unidades foram produzidas, sendo este um dos modelos com menor cotação na marca.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)