Combustíveis alternativos: são, realmente, alternativa à gasolina, gasóleo e até aos elétricos?

By on 30 Outubro, 2019

Há vários combustíveis alternativos que têm sido, sucessivamente, desprezados em favor de gloriosos e pesados investimentos em soluções que continuam a não ser plenamente satisfatórias. Será que o bioetanol, o GPL, o GNV ou o hidrogénio são, realmente, alternativas?

Bioetanol E85

O Bioetanol é um álcool obtido a partir do processamento de biomassa (fermentação e destilação) como a cana de açucar, açucar de beterraba, milho ou amido de trigo. Menos rico em carbono que a gasolina sem chumbo, permite reduzir as emissões de CO2 entre 3 e 7%. Mas o mais interessante é que o CO2 emitido pela sua combustão é bem menor que o dos combustíveis fósseis. Conhecido como E85, não há à venda em Portugal para consumo nos veículos, mas as marcas possuem veículos que estão adaptados á utilização de vários tipos de combustível. O consumo do veículo é superior entre 20 a 25%. O preço na Europa está abaixo de 1€/litro.

GPL (Gás de Petróleo Liquefeito)

Este é um combustível que mistura gás butano e propano, habitualmente na proporção 40/60. Pode ser usado em motores a gasolina adaptados á bi-carburação (válvulas e sede de válvulas reforçadas) recebendo novos injetores e um reservatório extra para o GPL. O consumo é superior em 30%, mas o preço de 0.611€/litro acomoda essa desvantagem. As emissões de CO2 são menores que num motor a gasolina sem chumbo e menores, ainda, face a um veículo a gasóleo. A grande vantagem está, mesmo, no valor por litro deste combustível.

GNV (Gás Natural para Veículos ou Veicular)

Composto por metano, o GNV tem as mesmas vantagens e desvantagens do GPL, ou seja, tem menos emissões de gases poluentes e de CO2 que um carro exclusivamente a gasolina ou gasóleo, mas tem um consumo mais elevado. Tem um índice de octanas bem mais elevado que a gasolina sem chumbo (média de 130 octanas), permitindo uma combustão de maior qualidade. É um combustível raro em Portugal.

Hidrogénio

Não emite absolutamente nada e pelo escape sai… água pura e cristalina. É fácil e rapidamente atestado um depósito de hidrogénio. Faz andar um veículo elétrico durante muitos quilómetros. O hidrogénio seria o combustível ideal, mas tem muitos problemas que não vão ser resolvidos tão depressa. Primeiro, o custo da pilha de combustível, depois o seu ciclo de vida curto. Segue-se a dificuldade de produção de hidrogénio a um custo aceitável, a dificuldade de armazenamento e de transporte. Tudo isto leva a que o hidrogénio ainda esteja longe de ser uma alternativa, mesmo que alguns construtores (Toyota, por exemplo) continuem a apostar forte nesta alternativa e tenham veículos à venda alimentados a hidrogénio.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)