Combustíveis Simples: sim ou não?

By on 11 Outubro, 2017

O tema sobre que combustível se deve colocar no carro gera sempre muito debate, e as opiniões, muitas vezes, dividem-se. Se o simples, mais barato, ou o aditivado, mais caro. Aqui há duas variáveis que pesam na decisão. Por um lado, e de imediato, o preço, mais baixo num que noutro. Por outro, a questão da saúde para o motor.

Há sempre prós e contras apontados no momento de nos colocarmos de um dos lados da balança. Conheça por isso alguns tópicos a considerar na altura de abastecer, percorrendo a galeria em cima ou vendo os tópicos em baixo.

André Duarte

Diferenças: estão no facto de a uns serem adicionados aditivos e a outros não (simples). Conforme vem expresso em Diário da República n.º 11/2015, Série I de 2015-01-16: “c) «Combustível simples», a gasolina Euro Super e o gasóleo rodoviários, cujas especificações constam dos anexos III e V (…) e que cumprem as especificações constantes desses anexos, sem que tenham sido submetidos a processos de aditivação suplementar para além do mínimo necessário ao cumprimento das respetivas especificações;”

Benefícios e prejuízos: entende-se que entre os benefícios dos aditivos, encontram-se a redução dos níveis das emissões poluentes, a melhoria da performance do motor, a redução do consumo de combustível e o aumento da fiabilidade e vida útil de utilização do motor. Por oposição, a utilização de combustíveis simples iria operar em sentido inverso nos pontos referidos.

Preocupação com o tipo de combustível: num estudo divulgado este ano pela Nova IMS (Information Management School) e pela Qdata-Recolha e Tratamento de Dados, alguns indicadores mostram uma tendência de hábitos de consumo em Portugal: “Mais quilómetros por depósito, ter descontos e a limpeza do motor são os aspetos considerados mais importantes na escolha de um combustível com aditivos (…) mais de 60% dos entrevistados concordam bastante ou totalmente que um combustível melhorado com aditivos influencia os vários aspetos relacionados com o veículo.” Entre essas variáveis são referidos: ”desde aumentar a potência e o rendimento a reduzir os gastos com manutenção, limpar o motor, reduzir as emissões poluentes e poupar no combustível.”

Diferença de preços: à luz dos preços médios dos combustíveis em Portugal. A diferença entre a gasolina 95 simples (1,489€) e 95 + (1,515) é de 0,026€. No caso do gasóleo, entre o simples (1,306€) e o gasóleo + (1,360€), a diferença cifra-se nos 0,054€.

Se um modelo gastar 6l de gasolina por cada 100 km temos: gasolina 95 simples (8,934€); gasolina 95 + (9,09€). A diferença é de 0,156€. Em 10.000 km falamos de 15,6€.

Se um modelo gastar 6l de gasóleo por cada 100 km temos: gasóleo simples (7,836€); gasóleo + (8,16€). A diferença é de 0,324€. Em 10.000 km falamos de 32,4€.

Em suma, pesando tudo na balança e tendo em conta a diferença de preços entre os combustíveis simples e aditivados, talvez a opção por estes últimos possa ter maior peso, dado que, na dúvida, à partida será sempre a opção que confere maior qualidade. Do lado dos combustíveis simples, o grande trunfo está no preço ligeiramente mais reduzido, sendo que, essa diferença, não é, na realidade, extremamente significativa. Porém, a decisão final fica sempre, naturalmente, ao critério de cada um.

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz