Conduzimos o novo Cupra Born, o primeiro 100% elétrico da marca espanhola

By on 25 Outubro, 2021

O Cupra Born é construído com base na plataforma MEB utilizada no Volkswagen ID.3, mas tem características bastante distintas.

A Cupra tem tido um bom começo como marca independente. Desde o início da comercialização, os números têm crescido de mês para mês e em Portugal já vende mais do que marcas como a Jaguar, Lexus ou Smart. Em dezembro vai entrar em cena o Cupra Born, o primeiro 100% elétrico da marca, carro esse em que a marca espanhola deposita grandes esperanças. Agora, a poucos meses da chegada ao mercado, o Automais foi conhecer mais um modelo feito com base na plataforma MEB do Grupo Volkswagen, mas que se diferencia por ser o mais dinâmico de todos.

Começando pelo exterior, o Cupra Born apresenta um design marcadamente desportivo e com uma personalidade muito própria, com destaque para a secção dianteira denominada “Shark Nose” (Nariz de tubarão). Como é comum na marca independente espanhola, os detalhes em cobre estão numa posição de destaque e sobressaem em cores exteriores escolhidas “a dedo” pela Cupra. Já na traseira destaca-se a inclusão de farolins interligados por uma faixa luminosa, bem como, uma asa traseira de grandes dimensões que, mais do que estética, reforça a capacidade aerodinâmica do modelo.

Habitáculo desportivo

Ao abrir a porta o Cupra Born apresenta-se com um painel de instrumentos incorporado na coluna de direção, tal como acontece com o Volkswagen ID.3, enquanto ao centro surge um ecrã de 12 polegadas onde são transmitidas as informações do sistema de infotainment. Um dos pontos menos positivos é mesmo o infotainment que continua a ser algo confuso e difícil de utilizar. Por outro lado, a Cupra fez questão de referir que o Born vai contar com um head-up display com realidade aumentada distinto do utilizado no ID.3.

No que toca a construção, o Born recorre a acabamentos de melhor qualidade, como é o caso de plásticos trabalhados e macios ao toque. Destaque ainda para bancos desportivos e a utilização de um tecido sustentável que recorre a plásticos e redes de pesca recuperados do fundo do mar. Relativamente à habitabilidade, o Cupra Born consegue transportar quatro adultos com conforto. O lugar do meio não é prejudicado pelo túnel central, mas sim por um apoio de braço que se prolonga até à parte traseira. A bagageira tem capacidade para 385 litros, um valor igual ao ID.3 e ligeiramente superior à do Leon.

Quatro versões. Conduzimos a que chega já em dezembro

O Cupra Born vai ser comercializado em quatro versões, contudo, apenas uma estará disponível nesta primeira fase de lançamento. A partir de novembro vai poder observar nos concessionários da marca o Born com 204 cv e bateria de 58 kWh, a versão que tivemos a possibilidade e experimentar durante a apresentação internacional. Apesar de recorrer à plataforma MEB com componentes semelhantes ao do ID.3, o Born é bastante distinto do modelo alemão. Os engenheiros criaram uma nova afinação de suspensão, as molas mais curtas reduzem a altura ao solo em 1,5 cm à frente e 1,0 cm atrás, e uma calibração da direção que a deixa mais precisa. O resultado é um carro elétrico com um comportamento dinâmico satisfatório.

Ao seguirmos o trajeto escolhido pela Cupra, uma estrada sinuosa de montanha, percebemos que o Born é um elétrico divertido de conduzir. Curva após curva o Born mostrou-nos que a suspensão firme reduz o adornar de carroçaria ao mínimo possível e a dianteira transmite confiança ao garantir uma boa aderência. Ao sair da curva a aceleração instantânea dá bastante trabalho ao sistema de controlo de estabilidade que está constantemente a “piscar” no painel de instrumentos. Já em trajetos mais degradados, e recorrendo ao modo de condução menos desportivo, a suspensão adaptativa (DCC) reduz ligeiramente a dureza da suspensão e melhora os níveis de conforto.

Quanto à motorização, o Cupra Born que conduzimos está equipado com um motor elétrico instalado no eixo traseiro que garante 204 cv. Esta potência é suficiente para acelerar dos 0 aos 100 km/h em 73, segundos. O motor é alimentado por uma bateria de 58 kWh que garante, segundo a Cupra, 424 km com um único carregamento.

Para além disso, o Born vai contar ainda com uma versão mais potente, o denominado pack de performance e-Boost, que só chega em 2022. Esta debita 231 cv e permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,6 segundos com a bateria de 58 kWh ou 7 segundos com a de 77 kWh. Relativamente a autonomia, esta é de 420 km ou 520 km consoante a bateria escolhida. Já a variante de entrada com 150 cv, sempre associada à bateria de menor capacidade, acelera até aos 100 km/h em 8,9 segundos e confere 340 km de autonomia.

Por fim, o Cupra Born é atualmente o modelo mais divertido de conduzir de todos os que recorrem à plataforma MEB e, diga-se, tudo isto por menos de 40 mil euros (38 755€). De relembrar que até ao fim de outubro a Cupra tem uma campanha de pré-lançamento com duas ofertas exclusivas.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)