Conhece a história do Porsche Targa? A casa de Weissach conta tudo!

By on 17 Julho, 2020

Sabe quando foi lançado o primeiro Targa? Foi no Salão de Frankfurt de 1965, quando a Porsche lançou um carro que não era um coupé, nem um cabriolet ou uma berlina, mas sim algo inovador que combinava o melhor de dois mundos.

O Porsche 911 Targa era um carro que podia ser conduzido fechado, sem o tejadilho sem o óculo traseiro ou sem o tejadilho e o óculo traseiro ao mesmo tempo, apenas com o “rol bar”. Foi um conceito inspirador que surgiu em outros carros como o 914 e o Carrera GT.

Porquê o nome Targa?

Nascido para responder aos cada vez mais exigentes níveis de segurança nos Estados Unidos e tentando contrariar os que desejam banir os descapotáveis dos EUA. Aprovado o conceito, faltava o nome. Os homens da Porsche fizeram uma retrospetiva sobre a sua participação na competição e descobriram que a Targa Florio (corrida disputada na Sicília) foi onde conheceram maior sucesso.

O conceito chegou a ter o nome de Flori, mas Harald Wagner, responsável pela vendas da Porsche, torceu o nariz a aplicação do nome “911 Flori” e perguntou “porque não lhe chamamos Targa?!” E foi assim que o 911 cm este conceito passou a chamar-se Targa (que em italiano quer dizer chapa e também chapa de matrícula) e em agosto de 1965, a Porsche patenteou o conceito Targa e, a partir do outono de 1966, o Targa juntou-se à carroçaria coupé nas suas versões 911, 911 S e 912. A partir do final do verão de 1967, os modelos Targa passaram a oferecer a possibilidade de serem equipados com um óculo traseiro fixo e aquecido em vidro no lugar do óculo rebatível em plástico. Uma solução que passou a ser de série apenas um ano mais tarde e que se manteve como uma caraterística do Targa até 1993.

O Targa manteve-se como uma opção na gama para a segunda geração do 911, nos modelos série G produzidos a partir do final do verão de 1973. Não foram feitas alterações ao design técnico do tejadilho Targa. Contudo, a aparência foi modificada com o arco Targa em aço escovado a ficar disponível também em preto. Mesmo quando, em janeiro de 1983, regressou á gama Porsche um descapotável (911 SC Cabrio) o Targa manteve-se.

O 911 (964) renovado manteve o Targa 

No começo do outono de 1988, na terceira geração do 911, a Porsche lançou o primeiro 911 com tração integral, o Carrera 4 (964). O carro tinha cerca de 85 por cento de peças novas, mas o 911 Carrera 2 Targa e o 911 Carrera 4 Targa, produzidos até 1993, continuaram a ter o clássico arco Targa e a secção central do tejadilho removível. Foram produzidas 87.663 unidades do modelo Targa nas primeiras três gerações do 911.

911 (993) com tejadilho em vidro

A quarta geração do 911 foi lançada no outono de 1993 e recebeu um novo estilo para a carroçaria e trouxe um novo conceito Targa, a partir de novembro 1995. Juntamente com diversos aperfeiçoamentos no motor e chassis, a geração 993 levou a ideia Targa numa direção completamente nova… sem o arco Targa. O tejadilho, produzido com vidro temperado escurecido, a partir da frente em direção à traseira, era agora englobado numa estrutura longitudinal de segurança. Dividido entre segmentos móveis eletricamente, corre com o pressionar de um botão e recolhe-se atrás do óculo como um tejadilho retrátil. 

911 Targa (996) nova mudança

A quinta geração do 911 (996) nasceu em 1997. Completamente redesenhado, trocou os Boxer refrigerados a ar pelo mesmo seis cilindros refrigerado por liquido. O Targa ficou disponível a partir de dezembro de 2001 ao lado do coupé e do cabriolet. Tal como o seu predecessor, o 911 Targa possui um tejadilho em vidro de operação elétrica, agora com uma área de superfície de mais de 1,5 metros quadrados. Nunca tinha havido, até então, tanta superfície vidrada num Porsche 911. O novo Targa foi também o primeiro 911 a oferecer um vidro traseiro que pode ser elevado. Isto permite aceder facilmente ao compartimento de arrumação traseiro com 230 litros de capacidade para pastas, malas ou outras bagagens.

911 Targa 4/4S (997) mudanças ligeiras

Setembro de 2006 viu a introdução do 911 Targa na sexta geração 911 (997). No conceito, o design do tejadilho Targa era igual ao do seu antecessor, mas com uma adicional tampa traseira. A utilização de um vidro especial permitiu reduzir o peso em 1,9 kg e as duas barras em alumínio polido, colocadas ao longo dos rebordos do tejadilho adicionaram um estilo mais agradável. O 911 Targa passava a ser oferecido em duas variantes de tração integral: 911 Targa 4 e 911 Targa 4S.

911 Targa (991) cumpre o regresso do arco Targa

Foi em setembro de 2011 que a Porsche apresentou a sétima geração 911 (991), que recebeu o Targa em janeiro de 2014, mas desta feita com uma novidade: o regresso da  ideia clássica do conceito Targa, combinada com sucesso, pela primeira vez, com a conveniência de um tejadilho topo de gama. Como no Targa original, o novo modelo tem a caraterística barra alargada no lugar dos pilares B, uma secção de tejadilho móvel sob os bancos dianteiros e um óculo traseiro envolvente sem pilar C. Mas ao contrário dos modelos clássicos, o tejadilho é aberto e fechado no Targa com o pressionar de um botão. O sistema de tejadilho totalmente automático oculta de forma espetacular os elementos do tejadilho atrás dos bancos traseiros. Este novo 911 Targa representou uma inovadora edição do clássico de 1965.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)