Construtores europeus dão nova vida ao mercado das pickups

By on 6 Novembro, 2017

Analisando os veículos que os europeus guiam, pickups deviam ser consideradas desadequadas para os vários mercados do Velho Continente, são muito grandes, “feias” e consomem demasiado combustível. Por que razão estão a ser promovidas por alguns dos principais construtores?

Renault, Fiat, Mercedes, e eventualmente o Grupo PSA, já lançaram ou irão lançar pickups de tamanho médio para rivalizar com a Ford, líder do mercado.

O mercado europeu de pickups é relativamente pequeno. Na primeira metade de 2017 foram vendidas 80.300 unidades na Europa, um terço foram parar às mãos de consumidores do Reino Unido, o maior mercado de pickups da região, de acordo com informação da JATO Dynamics. Na Alemanha venderam-se pouco mais de 10.000, e no terceiro maior mercado, França, foram comercializadas 9.450.

Estes números parecem ser insignificantes quando comparados com a realidade norte-americana. Nos EUA, durante os primeiros 6 meses do ano, venderam-se 1,1 milhões de pickups de tamanho grande e 216.194 de tamanho médio, segundo dados da Automotive News.

No entanto, o mercado europeu está a crescer. Na primeira metade do ano, as vendas de pickups de tamanho médio subiram 19%, em 2018 espera-se que o segmento passe, pela primeira vez, as 200.000 unidades vendidas, mais do dobro do volume de 2012.

O aumento de vendas deve-se, em parte, ao surgimento de novos modelos, afirmou o gestor da Ford UK, Andy Barratt, em declarações ao Automotive News Europe. “Quando há mais competição, o mercado cresce. As vendas ainda vão aumentar.”

Segundo Anton Lysyy, gestor de produto da Renault, “muitos consumidores não estão a par da existência de pickups. Quando uma grande marca como a Renault entra no mercado, as pessoas começam a reparar neste tipo de veículos.

Capacidade de reboque e equipamento

Na Europa, pickups são normalmente adquiridas por razões profissionais, mas os consumidores começam agora a encará-las como veículos de recreio.

“Assistimos a uma mudança no mercado,” disse Lysyy. “Uma das razões está relacionada com a utilidade. Antigamente, pessoas utilizavam grandes SUVs para rebocar barcos ou cavalos em atrelados. Agora, com tantas regulações e pressão para se adoptar pequenos motores com caixa automática, SUVs deixaram de ser práticos para rebocar cargas pesadas. Pessoas que apreciam este tipo de passatempos precisam de uma pickup.”

É cada vez mais difícil encontrar alternativas. Quando a Land Rover descontinuou o Defender no ano passado, as vendas da Ford Ranger dispararam no Reino Unido, pois era a única alternativa viável (uma pickup de cabine dupla com capacidade todo-o-terreno).

Ford Ranger (Pickup mais vendida na Europa)

Analisando as pickups mais vendidas, verifica-se uma maior procura pelos modelos mais refinados. Opções, como hardtops, são uma fonte de receita muito valiosa para os construtores cujos veículos comerciais são normalmente muito frugais. “Esperamos que o nível de equipamento seja uma parte muito importante da estratégia,” afirmou Lysyy.

As pickups podem ser baseadas em carroçarias e chassis muito simples, mas as cabines integram um elevado nível de equipamento e a mais recente tecnologia.

Ford Ranger – Interior

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)