Dacia mostra como a aposta num desenho atrativo não tem de ser cara

By on 4 Maio, 2022

Os modelos da Dacia nem sempre foram os mais apelativos em termos estéticos, mas isso é algo que tem vindo a evoluir bastante. Miles Nürnberger, o diretor de design da Dacia, explica-nos como.

Apesar de já existir há mais de 50 anos, podemos dizer que o verdadeiro despertar da Dacia aconteceu no final do milénio passado, quando foi adquirida pelo grupo Renault. O primeiro dos seus novos modelos, o Logan, tinha o objetivo de ser o carro mais barato do mercado, pelo que tudo foi resumido ao que era essencial, incluindo o design.

Atualmente, a estrutura da marca já mudou um pouco e apesar de manter uma das gamas de preços mais competitivas do mercado, os novos modelos da Dacia já são bem mais apelativos e contam com uma imagem que incute uma sensação de robustez e aventura.

Miles Nürnberger, nascido na Inglaterra, é o diretor de Design da Dacia desde junho do ano passado, tendo os últimos 14 na Aston Martin. E é a melhor pessoa para nos explicar como a Dacia conseguiu evoluir, sem aumentar drasticamente o preço dos seus modelos.

O bom design não precisa de custar mais. Todos os dias, pressionamos a equipa para que o pensamento inteligente desenvolva uma engenharia que seja valorizada pelo cliente“.

Miles Nürnberger, Dacia Director de Design

Para começar, cada um dos Dacia tem um visual próprio, que identifica de imediato a sua missão. Ou seja, por exemplo, o Duster é a opção aventureira da marca, enquanto o Jogger é o carro da família. É uma visão muito prática dos seus automóveis, mas é precisamente isso que os seus clientes desejam e isso significa que, muitas, vezes, têm de ser efetuadas escolhas arrojadas em termos de Design. “A Dacia é um desafio. Tem de se ser realmente bastante frugal. Na Aston Martin, poderia desenhar com pouco e vender por muito. Na Dacia, é exatamente o oposto. E não é nada fácil! É preciso fazer as escolhas certas no momento certo para dar aos clientes o que ‘verdadeiramente’ precisam agora ou no futuro, sem ir ‘longe demais‘”, explica Miles.

O design dos modelos da Dacia já evoluiu bastante com a ajuda da engenharia. A nova plataforma CMF-B permite uma maior distância entre eixos, com as quatro rodas mais próximas das extremidades da carroçaria, vias mais largas e rodas de maiores dimensões. A base moderna é essencial para alcançar proporções harmoniosas e contemporâneas nos modelos mais recentes. Há que considerar sempre as tendências de mercado, tendo em mente que estas podem ter uma duração relativamente curta.

Isto é design real e não um estilo que saia de moda. É uma boa notícia para os nossos clientes que tendem a agarrar-se aos seus carros durante muito tempo. Temos de nos concentrar apenas no local certo, onde é visível e útil para o cliente. Nada mais. O ‘Less is More’ é uma realidade. A simplicidade é fundamental na Dacia. Ninguém gosta quando as coisas são complicadas. Menos tecnologia significa mais fiabilidade”.

Os clientes da Dacia são sempre muito racionais quando compram um carro, mas não é por isso que deixam de ter gostos em termos de estilo e beleza. Miles conclui, dizendo apenas que “um design de sucesso não tem de custar mais… mesmo que os clientes vejam o seu valor. Cada vez mais pessoas estão a comprar modelos Dacia pelo seu desenho apelativo. O preço é apenas a cereja no topo!”.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)