Das berlinas aos SUV: os topos de gama da SEAT

By on 12 Outubro, 2020

A história das berlinas da SEAT começou logo com o seu primeiro automóvel, o 1400. Este viria a ser substituído em 1963 pelo mais evoluído 1500, um modelo com uma carroçaria de cantos angulares e proeminentes, complementada pelos diversos elementos cromados e pelos saudosos pneus com faixa branca na lateral.

O SEAT 1500 distinguia-se igualmente pela lotação de seis passageiros, uma vez que no banco dianteiro, integral, podiam viajar três passageiros. Espaçoso e confortável, o 1500 foi um dos preferidos dos motoristas de táxi e de outros serviços. O motor 1.5 litros produzia 72 cavalos e a caixa de quatro velocidades era comandada por alavanca na coluna de direção. Os 120 km/h eram mantidos apenas com a utilização de um dos seus carburadores, reduzindo o consumo.

Quanto a equipamento, destacavam-se elementos como os travões de disco às quatro rodas, com servofreio, o apoio de braço central no banco da frente, o porta-luvas com fechadura e as luzes de leitura atrás. Ao longo da sua carreira comercial foram sendo introduzidos melhoramentos. São disso exemplo a iluminação dianteira, a adoção de um alternador no lugar do dínamo, bem como alterações mecânicas como a superior compressão do motor e os coletores de escape. Em 1969 recebeu também um motor Diesel.

Seguiu-se o SEAT 132, mais pequeno e leve, e que recorria já a motores de dupla árvore de cames. Com o motor 1.8 litros atingia 170 km/h e os 160 km/h quando equipado com motor 1.6 litros, neste último, associado a uma caixa de cinco velocidades em opção. Ambos utilizavam correia de distribuição, com necessidade de manutenção, mas que tornava o motor muito mais silencioso e refinado.

O 132 possuía soluções inovadoras como os limpa para-brisas pretos, para evitar reflexos, e os encostos de cabeça dianteiros, uma solução que causou polémica por poder causar sono, colocando a segurança em causa, imagine-se. O conforto oferecido era o seu foco, destacando-se pelos excelentes bancos e pela suspensão. O motor Diesel chegou em 1978.

Com o final da produção do 132 em 1980, a SEAT saiu do segmento das berlinas, só regressando em 2008 com o Exeo. O motor continuava colocado em posição longitudinal mas havia três motores a gasolina e outros tantos Diesel. Inovou ao oferecer airbag de joelhos para o condutor e também um teto solar que recuperava energia para alimentar a ventilação e assim arrefecer o habitáculo. Em 2009 foi lançada a carroçaria SportsTourer.

O atual representante do segmento é o Tarraco, o maior dos SUV da marca de Martorell e que pode inclusivamente contar com uma lotação para sete passageiros. Quase 60 anos depois, o conforto, o espaço e o equipamento continuam a ser os focos das propostas topo de gama. No entanto, o formato de carroçaria não podia ser mais diferente, trocando a elegância de uma clássica berlina pela robustez e irreverência de uma carroçaria sobreelevada.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)