E aproveitar para comprar um usado a bom preço? Seja esperto e siga estas 5 dicas

By on 6 Julho, 2020

Acabou o Estado de Emergência, as limitações estão a ser levantadas e até já podemos ir á praia. Os espaços de venda de veículos usados estão abertos e ávidos de escoar os stocks, oferecendo oportunidades de negócio que não devem ser negligenciadas. Se um carro novo está fora do seu alcance e não pode usar as 10 dicas do AUTOMAIS para fazer um bom negócio com um automóvel novo, comprar um carro usado será a sua saída e como lhe dissemos, há muitos bons negócios para serem feitos.

Mas, antes de fechar qualquer negócio, siga as 5 dicas AUTOMAIS que lhe oferecemos no sentido de verificar estes cinco pontos do veículo e evitar enfiar “um barrete”. São cinco pontos a controlar que não custa nada seguir.

Claro que deverá escolher plataformas online de confiança e, sempre, desconfiar, pois, como diz o povo e com muita razão, “quando a esmola é muita, o santo desconfia”. Santo ou não, tenha esse cuidado de não “engolir” iscos que se podem transformar numa enorme dor de cabeça. 

Embora seja difícil eliminar completamente a possibilidade de comprar um carro usado com problemas, existem formas de minimizar este risco. Em primeiro lugar, precisa de saber o que procurar quando compra um carro usado. O mesmo serve se for vendedor: há problemas que deve antecipar. Isto não só requer uma inspeção visual básica como também um ensaio e, se possível, levar consigo um mecânico. Se o vendedor não permitir o ensaio do carro ou a visita de um mecânico, fuja do negócio a sete pés!

Se seguir as dicas que lhe vamos dar e identificar as cinco áreas críticas de um veículo usado.

1 – Caixa de velocidades

Efetuar as mudanças bruscamente ou ter pouco cuidado com a caixa de velocidades tem consequências, e afeta as caixas manuais e automáticas. Avalie sempre se as mudanças estão bem calibradas caso seja um carro de caixa manual. Ou seja, verifique se a alavanca não tem muita folga, se não há ruídos inesperados, se não “arranha” e se não há resistências nas passagens. Num carro automático, se as passagens se “arrastarem” muito ou se o motor faz mais barulho que aquilo que o avanço do carro sugere, há algum problema. Se for uma caixa de dupla embraiagem, certifique-se da rapidez da passagem. Se houver hesitações muito evidentes, é uma bandeira vermelha. Uma caixa automática é cara de reparar.

2 – Motores de injeção direta 

Os motores de injeção direta mais comuns estão sujeitos à acumulação de resíduos prejudiciais nas válvulas de admissão. Tente saber o historial de revisões do modelo e, sobretudo, tente escutar se há uma ligeira “batida” em aceleração. Pode denunciar um problema nas válvulas. Se o motor tiver hesitações na subida de regime ou fizer “poço” na aceleração, isso significa que os injetores podem estar entupidos ou, mais grave que isso, com mau funcionamento dos solenoides ou das unidades piezo elétricas. A troca de injetores é muito cara e por isso, se o motor não “limpa” com uma valente aceleração em auto estrada, afaste-se do negócio. 

3 – Problemas de consumo de bateria

A parte elétrica é cada vez mais moderna e é responsável pelo conforto a bordo bem como pelo funcionamento do carro. Antes de adquirir o carro é essencial testar tudo o que envolva a parte elétrica do carro. Os sistemas mais comuns incluem recursos avançados de segurança como a deteção de colisões, sistemas modernos de entretenimento, entre outros. Caso detete algum problema, negoceie com o vendedor a reparação ou o abate do valor da mesma. 

4 – Estado dos pneus

Habitualmente, a poupança faz-se em coisas como os pneus. São caros e há a noção que não são assim tão importantes. Absolutamente errada essa ideia, pois os pneus são os únicos pontos de contacto do veículo com a estrada e deles dependem a capacidade de travagem e de curvar. Pneus em más condições são um passaporte para um acidente, especialmente em piso molhado. Se o modelo que vai inspecionar tem pneus de fraca qualidade, piso irregular, piso degradado ou apresenta altos na lateral, fuja do negócio, pois terá de mudar os pneus imediatamente depois de adquirir o veículo. Pode fazer como na situação anterior, negociar a compra de novos ou o seu valor.

5 – Travões

Os veículos usados tendem a vir com as pastilhas gastas e, muitas vezes, com os discos em má condição. É uma situação habitual e que deverá ter a sua atenção, pois não sendo demasiado caro substituir o conjunto de discos e pastilhas, pode provocar uma situação menos simpática ou provocar um acidente. Se durante o ensaio ao carro detetar que a travagem está fraca – exige muita força no pedal ou este tem um curso anormalmente longo – negoceie uma redução do preço ou afaste-se do negócio.

Estas são as cinco áreas às quais deve dar prioridade quando focar os seus sentidos na análise do veículo. Mas há mais coisas que deve controlar, nomeadamente, se há indícios de reparações feitas por acidentes, se há ferrugem ou corrosão em pontos sensíveis do veículo (pilar A, B e C, fundo da bagageira, longarinas do chassis e nos apoios do motor) e se há reparações malfeitas devido a acidentes. São justificações para pura e simplesmente se afastar do negócio, ou então, negociar um preço mais acessível.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)