Está cumprida mais uma edição das 500 milhas do ACP para clássicos

By on 2 Maio, 2022

O ACP Clássicos realizou mais uma edição das 500 milhas do ACP. Uma prova de regularidade histórica, destinada a modelos produzidos entre as décadas dos anos 50 a 70.

Os eventos realizados pelo ACP Clássicos continuam a apaixonar os fãs do mundo automóvel, especialmente que já somam alguns anos e dos quais gostamos tanto de cuidar. No entanto, como parte deste cuidado, por vezes, há que tirá-los da garagem e somar alguns quilómetros ao totalizador, algo que é oferecido em pleno em mais uma edição das 500 milhas do ACP.

Para efetuar o percurso com mais de 640 quilómetros desta 17ª edição, inscreveram-se 56 equipas e o entusiasmo foi de tal forma elevado que a vitória foi discutida até ao último ponto de controle e já depois de 16 horas ao volante.

O início da prova foi efetuado precisamente às 6h01 do passado sábado, no Bom Jesus de Braga e a ideia foi sempre ficar o mais próximo possível da N2, em jeito de homenagem àquela que é a maior estrada da Europa e a terceira mais longa do mundo. Como destino final, estava assinalada a vila de Montargil, mas o percurso também incluiu passagens pelo Gerês, Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Serra da Estrela, Fundão, Vila Velha de Rodão e Ponte de Sor.

Entre os modelos presentes, sempre provenientes das décadas de 50, 60 e 70, foi possível encontrar representantes de 16 marcas, tais como um Datsun 240X, um Jaguar E-Type, um Porsche 356, um Mercedes-Benz SL, um Alfa Romeo GTV, um BMW 2002 ou um Ford Escort, entre tantos outros que só trouxeram excelentes memórias de tempos que parecem cada vez mais distantes.

No final das 19 provas especiais, sendo que a primeira foi anulada, e depois de mais de 16 horas de condução, os dois primeiros classificados ficaram separados por 0,8 décimas de segundo. Depois de organizada a tabela de resultados, o primeiro lugar ficou então entregue à dupla Carlos Seara Cardoso e Ricardo Seara Cardoso, ao volante de um Triumph TR4 de 1964, seguido de Pedro Carregosa e Ekta Sureschandre, num Jaguar MK2 3.8 de 1960. Na terceira posição e a fechar o “pódio virtual”, ficou o Datsun 240Z de 1973, conduzido por Manuel Romão e António Caldeira. De salientar ainda que das 56 equipas inscritas e presentes no início da prova, 51 chegaram ao final desta 17ª edição das 500 Milhas ACP.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)