FCA lembra que disrupções na China podem ameaçar a produção europeia

By on 7 Fevereiro, 2020

O Coronavírus está a revelar-se um problema bicudo para a indústria automóvel, com a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) a lembrar que a produção na Europa pode ser afetada.

A disrupção de funcionamento das fábricas chinesas de produção de peças e acessórios, pode afetar a produção europeia e a FCA já veio a terreiro dizer que as unidades de produção podem ser prejudicadas em duas a quatro semanas. Quem o disse foi Mike Manley, o CEO da FCA.

Recordamos que o governo chinês alargou o período de férias do Ano Novo Chinês, fechando fábricas até ao dia 9 de fevereiro, estando em estudo alargar ainda mais esse prazo. A Hyundai, por exemplo, está a suspender a produção na Coreia do Sul e foi o primeiro a fazê-lo fora do território chinês, devido a uma interrupção de fornecimento de cablagens vindas da China.

A Toyota está a monitorizar de forma próxima o seus “stock” de componentes que são feitos na China e que são usados nos vários territórios onde a marca tem fábricas e estuda possibilidades de fornecedores alternativos. Quem o disse foi Masayoshi Shirayanagi, responsável pelas compras globais na Toyota.

Para a FCA, a situação começa a tornar-se complicada, embora não tenha havido nenhum relatório a comunicar paragem de fábricas devido a falta de fornecimentos. Mas, como referimos acima, pode haver paragens no final de fevereiro ou março, embora Mike Manley não tenha referido que fábricas podem ser fechadas.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)