FCA Portugal assume marca Jeep

By on 18 Setembro, 2017

FCA Portugal assume Jeep com promessas de maior estatuto

Depois de alguns anos entregue ao grupo espanhol Bergé, a marca norte-americana de veículos todo-o-terreno Jeep passou a ser representada, em Portugal, por aquele que é o seu verdadeiro proprietário, a Fiat Chrysler Automobiles. Passagem de testemunho assinalado com promessas de um posicionamento mais estatutário, mais e melhores concessionários, além de uma gama abrangente. A começar no novo Compass, que chega já em Outubro.

Assinalada oficialmente no passado dia 8 de Setembro, a passagem da Jeep, das mãos do importador privado espanhol, para a FCA, que entre nós já detém marcas como a Fiat, a Alfa Romeo e a Abarth, é, no entanto, o culminar de um processo iniciado há dois anos. Altura em que a filial portuguesa do construtor ítalo-americano começou a desenvolver todas as condições necessárias para integrar uma marca que, anunciou o director geral, Artur Fernandes, “passará a deter, na Europa, e em conjunto com a Alfa Romeo, um posicionamento premium”.

Assim e a pensar nesta nova realidade, não só as equipas de gestão foram reforçadas, como a própria rede foi revista e aumentada, passando, no caso da Jeep, para um total de 15 concessionários. Fórmula que, garante a FCA, permite cobrir cerca de 90% da totalidade do território continental e ilhas, com os espaços de venda a ficarem localizados mais perto das grandes urbes e do litoral, ao passo que, para o interior, foram deslocados, preferencialmente, o após-venda.

Por outro lado e a par do crescimento no número de espaços, reformuladas foram também as condições exigidas às concessões para poderem ter um showroom Jeep ou Alfa Romeo. Nomeadamente, fixando como um mínimo de 200 m2 para cada uma das duas marcas, com os espaços a procurarem reflectir aquele que é o DNA de cada emblema. Exigências que, em alguns casos e segundo revelou também Artur Fernandes, “representou da parte dos nossos parceiros investimentos que, nos casos mais extremos, atingiram os dois milhões de euros. Com o investimento total feito na rede a rondar os seis milhões de euros”.

Revistas foram também as equipas de vendas, não só através de um reforço do número de vendedores, que passou dos iniciais 90 para 150 elementos, mas principalmente através de acções de formação específica. Com as quais procurou-se dotar esses vendedores de maiores conhecimentos e ferramentas, para prestarem um atendimento mais cuidado e direccionado.

Finalmente, a confiança manifestada pelo director geral da filial portuguesa da FCA numa gama que considera abrangente, com preços que vão dos 24 mil euros com que começa o modelo Renegade e que é “o nosso modelo de volume”, até aos 82 mil euros do Grand Cherokee, “o nossa proposta de maior requinte”. Sendo que a caminho está já outro modelo quase tão importante como Renegade e que em Portugal, acredita Fernandes, “deverá ser o nosso segundo modelo mais vendido” – o novo Compass.

Jeep Compass

Com data prevista de lançamento no nosso País a 21 de Outubro, o novo SUV médio da Jeep, que segundo os responsáveis da marca tem já garantido o pagamento de apenas de Classe 1 nas portagens (versões de tracção apenas dianteira e com adesão à Via Verde), deverá chegar com preços a rondar os 30 mil euros. Contribuindo, de forma significativa, para o objectivo já fixado pelo importador de chegar ao final de 2017 com 0,21% de quota de mercado. Levando a que a Jeep venha a representar, no seio da FCA Portugal, entre 15 a 20% da facturação da filial.

“Acreditamos que, em 2018, o primeiro ano completo de comercialização do Compass e do Renegade, em conjunto, os dois modelos poderão representar qualquer coisa como entre 80 a 90% das vendas da Jeep”, afiança Artur Fernandes.

 

 

 

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)