Ferrari Testarossa: um erro da Ferrari ou um carro incompreendido?

By on 3 Julho, 2020

Fez parte dos posters de parede de quase todos os adolescentes dos anos 80, rival em termos de exibição com o Lamborghini Countach. A questão é: foi um erro ou um caso de falta de compreensão?

O Testarossa nasceu e viveu numa época de supercarros sem o ser, pois não estava desenhado ou tinha a engenharia suficiente para isso. Afinal, o Testarossa era apenas um GT de luxo. Mas, será que é assim.

Jason Cammisa da Issimi, explica tudo no vídeo que publicamos, sobre um carro que tinha um motor de 12 cilindros “boxer”, com 4,9 litros de cilindrada, cárter seco e 385 CV, que permitiam ir dos 0-100 km/h em 5 segundos com uma velocidade máxima de 290 km/h.

O Ferrari Testarossa veio ocupar o lugar do 365 GT/4 BB, tentando reparar os problemas que eram apontados ao primeiro carro da Ferrari com o motor 12 cilindros boxer. O Testarossa era maior e viu o motor passar para a traseira entre o habitáculo e o eixo traseiro, para evitar que tal como acontecia no BB (Berlinetta Boxer) o interior fosse um forno.

Quanto às grelhas laterais, ficaram famosas, mas não foi um momento de magia de Pininfarina, antes uma imposição das regras de segurança dos Estados Unidos da América. Acabou por correr muito bem!

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)