Foi atropelado? Indemnização por atropelamento

By on 7 Outubro, 2020

Os acidentes por atropelamento, são muito frequentes e, em regra, os mais afetados por este tipo de acidentes são os idosos e as crianças.

Este tipo de acidentes, caracterizam-se, em regra, pela gravidade das lesões dos peões, face à desproporcionalidade dos corpos em colisão; de um lado um veículo automóvel e do outro o corpo humano.

Nota importante: o escritório Rito Advogados, aconselha todos os sinistrados e respetivos familiares a recorrerem sempre a advogados especialistas e nunca, em momento algum, tentarem resolver a sua situação pelos seus próprios meios ou aceitarem os valores adiantados para acordo. Os valores das indemnizações podem subir substancialmente quando o processo é devidamente discutido e estudado por um advogado especializado.

O que fazer em caso de atropelamento?

Por os peões estarem numa situação de maior fragilidade e vulnerabilidade face a um veículo a motor, também no momento do acidente as vítimas de atropelamento não têm, em regra, condições -físicas e psicológicas – para relatar as circunstâncias em que aquele se produziu.

Daí que se recomende vivamente, em caso de atropelamento, que o acompanhamento jurídico se faça junto das seguradoras e entidades policiais, imediatamente a seguir ao sinistro. Até porque não são poucas as vezes em que os condutores, e mais tarde, as seguradoras tentam distribuir ou até imputar exclusivamente a responsabilidade na produção do sinistro ao próprio peão.

Indemnização por atropelamento

Os peões vítimas de atropelamento, tem igualmente direito a indemnização decorrente do acidente como qualquer vítima de acidente de viação. E nessa medida, terão de ser indemnizados em função da gravidade das lesões e sequelas em consequência do acidente, bem como o tempo de recuperação, prejuízos económicos, incapacidade laboral e para exercer qualquer atividade habitual e os Danos Morais, onde se incluem: quantum doloris, dano estético, prejuízo de afirmação pessoal, direito à vida, entre outros.

E se o condutor do veículo fugir do local do acidente, quem paga a indemnização?

Se o condutor que provocou o acidente se puser em fuga e não for possível identificá-lo, o Fundo de Garantia Automóvel (FGA), toma o lugar de uma qualquer seguradora, e garante o ressarcimento de todos os danos sofridos pelo peão e o pagamento final da indemnização. 

E se o veículo atropelante não tiver seguro?

A responsabilidade do Fundo de Garantia Automóvel (FGA) verifica-se também no caso de o veículo atropelante não dispor de seguro válido e eficaz, pelo que todas as considerações anteriores quanto aos cuidados a ter para as participações, nomeadamente às autoridades policiais, são válidas para o presente caso.

Recomendações

Se foi atropelado, participe o acidente o mais rápido possível à companhia de seguros do veículo atropelante. Contacte um advogado especialista para que acompanhe o processo desde o início, de forma a que sejam, de imediato, assegurados os reembolsos de todas as despesas inerentes ao acidente, bem como sejam acautelados todos os pressupostos para que as vítimas venham a receber a justa indemnização.

Leia também:

Indemnização por atropelamento

Este artigo foi elaborado pelo escritório Rito Advogados, especializado no Direito dos Seguros e na reclamação de indemnizações por acidentes de viação. O mesmo autoriza a sua publicação a título meramente informativo a pedido da Autosport.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)