Ford com perdas massivas no trimestre final de 2019, mas Europa deu lucro

By on 5 Fevereiro, 2020

Contas feitas, foram 1,5 mil milhões de euros que a Ford perdeu no quarto trimestre de 2019.

Este violento impacto nas contas da casa da oval azul deveu-se a responsabilidades no que toca ás pensões e benefícios dos reformados da empresa, acabando isso por se refletir num ano de 2019 onde o lucro foi mínimo.

Segundo comunicado lançado ontem, a Ford referiu que o lucro antes de impostos e juros caiu 67% para 439 milhões de euros, enquanto que o EBIT escorregou 81% para cerca de 194 milhões de euros.

Os lucros da Ford nos Estados Unidos caíram 64% para 635 milhões de euros, muito por culpa dos custos do contrato com o sindicato UAW, despesas com as garantias e os problemas experimentados no lançamento do Explorer e do Aviator.

Jim Hackett, CEO da Ford, não estava muito satisfeito durante a reunião que teve com os investidores, ao dizer, claramente que “a execução financeira da empresa, simplesmente, não suficientemente boa!” Porém, pediu paciência a todos no sentido de implementar o seu plano de reestruturação da companhia, deixando claro a necessidade de introduzir mudanças fundamentais na gama e nas diversas unidades de negócio. O anúncio destes resultados pouco animadores, levou a que a Ford perdesse 9% do seu valor em bolsa (valem cada ação 8,3 dólares).

Nada disto, porém, é novidade, pois a Ford tinha alertado que iria haver uma cobrança de pensões e benefícios a elas ligadas no valor de 2,2 mil milhões de dólares. Ou seja, é uma situação recorrente, pois em 2018, no último trimestre, mais 116 milhões de dólares tinham ficado registados como prejuízo, exatamente para o fundo de pensões da Ford. Para mal dos pecados da casa da oval azul, o último trimestre de 2019 viu a receita cair para os 39,7 mil milhões de dólares.

Contas feitas ao ano de 2019, a Ford registou um lucro líquido de 42,6 milhões de euros, bem menos que os 3,4 mil milhões de euros ganhos em 2018. Já a divisão Ford Credit, antes de impostos, ganhou 2,7 mil milhões de euros, o seu melhor resultado nos últimos nove anos. Perante este quadro, para 2020, a Ford tem um “cash flow” ajustado entre 2,1 e 3 mil milhões de euros e um EBIT ajustado entre 5,6 e 6,6 mil milhões de dólares.

A Ford Europa deu lucro em 2019: 19 milhões de euros no último trimestre, comparados com os 182 milhões de euros de prejuízo em igual período de 2018. O fim da comercialização de alguns modelos, os mais de 12 mil postos de trabalho eliminados na Europa e na Rússia e o sucesso de carros como o Mustang e a divisão comercial, explicam estes números.

Tim Stone, o diretor financeiro da Ford, disse que “2019, financeiramente, não foi um bom ano. Do ponto de vista estratégico, penso que tivemos um forte progresso em termos de visão estratégica. Por isso, olho para 2020 e os anos a seguir de uma forma muito otimista.”

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)