Hertz quer ver-se livre de parte da sua frota próxima do meio milhão de veículos

By on 3 Julho, 2020

Após o processo de insolvência, os detentores de capital da empresa estão a tentar reduzir a frota de quase meio milhão de veículos.

O problema está no facto destes 494 mil veículos estão dados e arrendados como garantia dos ativos. Quando uma empresa abre falência, tem de aceitar ou rejeitar o contrato de leasing ligado à dívida. Se aceitar, deve continuar a pagar o leasing dos veículos, se decidir rejeitar, a garantia é executada para reembolsar os acionistas.

Ora, a Hertz está a tentar que um juiz permite que o contrato principal dos 494 mil veículos em 494 mil contratos separados, permitindo assim desfazer-se de 144 mil unidades, economizando qualquer coisa como 80 milhões de dólares por mês.

A Hertz está a tentar evitar a liquidação e reforçar as sua contas através de uma reestruturação, ao mesmo tempo que os credores que possuem 11 mil milhões de dólares em títulos, estão perante a forte possibilidade de perder muito desse dinheiro.

A luta dos acionistas é manter a Hertz à tona, pagando o leasing dos carros e mantendo a frota. Porque se a Hertz vende a frota, fica sem carros e a liquidação é a única saída com perdas monstruosas.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)