Mais de meio milhão e 6 meses: multas aumentaram 19,7% face a 2022

By on 28 Setembro, 2023

No âmbito do relatório de sinistralidade e Fiscalização Rodoviária do 1º semestre de 2023, relativamente à fiscalização de veículos e condutores, bem como processos contraordenacionais, entre janeiro e junho de 2023 foram fiscalizados 69,9 milhões de veículos, quer presencialmente, quer através de meios de fiscalização automática, tendo-se verificado um aumento de 15,7% em relação ao período homólogo de 2022.
A GNR, a PSP, a PML e o Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) da ANSR registaram acréscimos de 23,5%, 1,7%, 210,5% e 15,0%, respetivamente.
As infrações ascenderam a 529,9 mil, o que representa um acréscimo de 19,7% face ao período homólogo do ano anterior.
A taxa de infração (nº de infrações/nº de veículos fiscalizados) foi de 0,68%, uma diminuição de 15,2% face à taxa de 0,81% registada nos mesmos meses de 2022.
Relativamente à tipologia de infrações, 66,7% do total registado entre janeiro e junho de 2023 foi referente a excesso de velocidade (+39,2%). Verificaram-se aumentos em quase todas as tipologias de infrações, destacando-se, para além do excesso de velocidade, as relativas ao sistema de retenção para crianças (+30,8%), à ausência de seguro (+17,8%), entre outras.
Quanto ao excesso de velocidade, a taxa de infração (nº de infrações de velocidade/nº de veículos fiscalizados) diminuiu 12,2%, de 0,47% nos seis primeiros meses de 2022 para 0,41% em igual período de 2023.
Relativamente à condução sob o efeito do álcool, entre janeiro e junho de 2023 foram submetidos ao teste de pesquisa de álcool 966,8 mil condutores, o que representa um aumento de 29,3% comparativamente a igual período de 2022. A taxa de infração (nº de infrações por álcool/nº de testes efetuados) desceu de 2,1% nos primeiros seis meses de 2022 para 1,8% no período homólogo de 2023.
A criminalidade rodoviária, medida em número total de detenções, aumentou 12,9% por comparação com 2022, atingindo 18,2 mil condutores.
Do total, 55,1% deveu-se à condução sob o efeito do álcool (+14,6%), seguindo-se 35,3% por falta de habilitação legal para conduzir (+17,3%).
Desde a entrada em vigor do sistema de carta por pontos em junho de 2016, o número de condutores que perderam pontos na carta de condução foi de 588,3 mil até final de junho de 2023.
Desde junho de 2016, 2.645 condutores ficaram com o seu título de condução cassado.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)