McLaren Artura está atrasado e o culpado é o do costume

By on 30 Dezembro, 2021

As primeiras entregas do novo McLaren Artura foram atrasadas devido a atrasos de produção causados pela falta de semicondutores.

Segundo a Automotive News, as primeiras unidades do McLaren Artura, o primeiro híbrido plug-in da marca britânica, só vão chegar aos clientes no início do verão de 2022. Este adiamento deve-se a atrasos de produção causados pela falta do “componente do costume”, ou seja, semicondutores. Para além disso, a marca britânica está a dar prioridade de produção aos novos Elva e 765LT Spider.

De recordar que o McLaren Artura não utiliza o habitual V8, mas sim um V6 associado a um motor elétrico que, em conjunto, debitam 680 cavalos e 720 Nm de binário. Perante estes valores de potência, o McLaren Artura acelera dos 0 aos 100 km/h em 3 segundos, dos 0 aos 200 km/h em 8,3 segundos e atinge uma velocidade máxima de 330 km/h.

Tal como a motorização, também a caixa de velocidades é nova. Falamos de uma transmissão automática de dupla embraiagem de oito velocidades, ao contrário da típica com sete, com a última relação pensada para ajudar a reduzir consumos em velocidade de cruzeiro.

Sendo um híbrido plug-in, permite andar apenas em modo 100% elétrico. Como tal, a bateria de 7,4 kWh tem autonomia para até 30 km sem que o motor a combustão entre em ação. Quando não está a ser utilizada em papéis mais focados na eficiência, esta autonomia é utilizada a favor de acelerações e retomas de velocidade.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)