Mercedes e AMG explicam como a sobrealimentação reduz consumos e emissões

By on 17 Junho, 2020

Inevitavelmente, a eletrificação é o futuro da Mercedes e da AMG e por isso a casa de Affalterbach está a desenvolver uma nova forma de sobrealimentação.

Estas tecnologias inovadoras vão colocar as prestações dos futuros modelos da AMG num novo patamar. A grande novidade? Um turbo com acionamento elétrico.

Os últimos desenvolvimentos que já se encontram na fase final e correspondem ao turbocompressor de gases de escape com acionamento elétrico, vão ser usados nos futuros modelos da AMG. 

Desenvolvida em parceria com a Garrett, esta tecnologia oriunda diretamente da Formula 1 resolve os conflitos de objetivos entre um turbocompressor pequeno de resposta rápida, mas com uma potência relativamente baixa, e um turbocompressor de grandes dimensões com uma potência elevada, mas que por outro lado pode revelar um atraso na resposta às suas solicitações.

A solução é um turbo com motor elétrico integrado de pequenas dimensões, com cerca de 4 centímetros, integrado diretamente no veio entre a turbina do lado do escape e a turbina do compressor do lado da admissão de ar. 

Este motor elétrico controlado eletronicamente aciona o veio do compressor antes do turbocompressor receber os gases de escape na turbina. Melhora-se, significativamente, a rapidez de resposta desde o ralenti até à rotação máxima do motor. O designado atraso do turbo – atraso na resposta de um turbocompressor convencional – é eliminado pelo motor elétrico. 

Assim, o motor de combustão responde de forma mais espontânea às solicitações do pedal do acelerador, enquanto o comportamento é mais dinâmico e ágil. Além disso, a eletrificação do turbocompressor permite obter um binário mais elevado a baixa rotação, o que também aumenta a agilidade e melhora a capacidade de aceleração a partir da condição de parado. 

Até nas situações em que o condutor retira o pé do pedal do acelerador ou aciona os travões, a tecnologia do turbo elétrico pode manter continuamente a pressão de sobrealimentação, de modo a garantir permanentemente uma resposta imediata. 

O turbocompressor atinge uma rotação de até 170,000 rpm e desta forma, permite fornecer um caudal de ar extremamente elevado. Pode ser acionado através de um sistema elétrico de bordo de 48 V. O turbocompressor, o motor elétrico e a eletrónica de potência estão ligados ao circuito de refrigeração do motor de combustão para controlar permanentemente a temperatura de funcionamento ideal nos vários regimes.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)