Mercedes vai abandonar motores 1.5 dCi da Renault

By on 19 Outubro, 2020

A Mercedes utiliza há alguns anos o motor de origem Renault nos veículos compactos. De facto, os Classe A, B e CLA utilizam nas versões 180d o 1.5 dCi de 116 cavalos que permite ao fabricante alemão ter uma versão de entrada mais barata e que, de acordo com os números, tem tido sucesso no número de vendas. Porém, este dado pode estar para acabar de acordo com o site francês L’Argus.

A partir deste mês, a Merceedes-Benz vai deixar de utilizar este motor em detrimento do 2.0 litros Turbodiesel feito “em casa”. Tal como já se regista no GLA, a variante 180d nos compactos vai passar a estar equipada com o bloco 2.0 litros, contudo, continua com 116 cavalos de potência, enquanto o binário sobe dos 260 para os 280 Nm. Outro dado que vai subir é o valor de emissões CO2 para os 147 g/km. Depois de uma breve passagem pelo configurador da marca, percebemos que já não é possível configurar a variante 180d em nenhum dos compactos da marca, resta saber quando será emitido um comunicado oficial sobre a desistência desta solução.

Por outro lado, o motor Diesel da Renault vai continuar a fazer parte da gama da Mercedes-Benz, mas na parte dos comerciais. Isto porque ambas as marcas também fazem parceria no segmento de furgões. Tanto a Mercedes Citan como Mercedes Classe T derivam da Renault Kangoo e, por isso, são produzidos na fábrica da marca francesa.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)